Tentativa de estupro no gabinete do prefeito

O alcaide teria aproveitado a presença da senhora que fora à prefeitura fazer o cadastramento no programa “Minha casa, minha vida” para leva-la ao seu gabinete e agarrá-la à força!

O esdrúxulo caso aconteceu na pequena Heliodora, cidade das cachoeiras, a 54 quilômetros de Pouso Alegre. Segundo D.T.C. 29, ela foi levada para o gabinete e agarrada à força pelo prefeito municipal Alex Leopoldino de Lima. No BO que registrou na polícia militar, a senhora contou que havia ido à prefeitura fazer o cadastramento no programa “Minha casa, minha vida”, e na saída foi abordada pelo prefeito que, a pretexto de falar sobre o tratamento médico de um parente, levou-a para o seu gabinete onde o crime aconteceu.
– Quando entramos ele fechou a porta, sentou na beira da mesa, começou a dizer coisas obscenas, pegou meu braço, me empurrou contra a parede e tentou me beijar na boca à força – contou ela aos policiais.
Sem conseguir o intento, o prefeito teria mordido seu pescoço enquanto tentava bolinar seus seios. Ainda segundo a vitima, o prefeito só interrompeu sua investida quando ela pegou na maçaneta da porta e ameaçou gritar!
D.T.C. conta que saiu da prefeitura totalmente transtornada e foi direto para a casa onde trabalha sua sogra e contou-lhe o fato. Posteriormente contou também ao marido e demais familiares.
O fato aconteceu no meio da tarde do dia 25 de abril, mas chegou ao conhecimento da polícia no dia 29.
– Eu fiquei com muito medo de não acreditarem em mim. Mas hoje à tarde o prefeito foi ao meu local de trabalho e depois à minha casa. Felizmente eu não estava lá. Depois ele procurou meu sogro no local de trabalho dele para dizer que eu estava mentindo, sem ele ter dito nada… Só então criei coragem para procurar a policia – contou D.T.C., acompanhada de dois advogados de Pouso Alegre.
E contou mais. Disse que trabalha no caixa de um estabelecimento comercial na cidade e sempre que vai ao local, o aludido prefeito lhe “faz propostas de cunho sexual”!
Com a redação da Lei 12.015/2009 dada aos Crimes Contra a Dignidade Sexual, o crime do prefeito de Heliodora, ainda que não tenha passado do campo do “ato libidinoso”, em tese, se enquadra no artigo 213 do CP: Estupro.
“Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique ‘outro’ ato libidinoso: Pena: Reclusão de 6 (seis) a 10 (dez) anos”.
Como tem ‘foro privilegiado’, Alex Leopoldino de Lima, de tradicional e respeitada família de comerciantes residente no bairro São Geraldo em Pouso Alegre, depende de autorização da Câmara municipal de Heliodora para ser processado. Caso venha a ser processado e condenado, o que era para ser “minha casa, minha vida” para D.T.C., poderá ser tornar “minha casa, minha, prisão” para o prefeito de Heliodora.

Policia Civil prende Galinha em Heliodora

O fugitivo carioca era procurado desde o final do ano passado quando matou a tiros um ex-vereador na Baixada Fluminense!

A prisão do bandido aconteceu ao pé da manhã desta quinta-feira, 16. Ele estava trabalhando numa lanchonete em Heliodora, cidadezinha mineira no sul do estado, que homenageia a musa do inconfidente Tomas Antônio Gonzaga, autor do celebre poema… “Barbara bela do norte estrela, que o meu destino sabes guiar…”.
A polícia civil de Pouso Alegre soube do paradeiro de Galinha através de denúncias de amigos ocultos da lei nesta quarta-feira, 15 e armou a arapuca. Quando o sol mostrou os bigodes na manhã desta quinta, 16, a mando do inspetor Balca, os detetives Valdo e Davi, de Natércia e de São Gonçalo do Sapucaí, já estavam de campana na bucólica pracinha da cidade. Tão logo entrou na lanchonete, na qual trabalhava, Galinha ouviu a frase de gelar a espinha:
– “teje preso”! – e recebeu as pulseiras de prata.
Alexandre Magno de Aquino Sampaio, o “Galinha”, 30, era procurado pela justiça carioca desde o final do ano passado. Ele estava com a prisão preventiva decretada por conta do assassinato do ex-vereador e ex-policial militar aposentado, Nelson Gomes de Souza, o Nelson Lilinho. O crime capital contra o político aconteceu no dia 16 de dezembro do ano passado no bairro Tomazinho em São João do Meriti, na Baixada Fluminense. Galinha e o ‘parça’ Rodrigo Siqueira Moura teriam matado o desafeto em terras fluminenses por causa de uma briga de transito. Os assassinos que estavam numa moto atiraram quatro vezes contra o ex-vereador. Dois tiros acertaram sua cabeça. O comparsa de Galinha foi preso no mesmo dia. Galinha bateu asas, dobrou a serra da cajuru, a Serra das Araras, e foi se esconder na cidadezinha das cachoeiras, a 54 quilômetros de Pouso Alegre.

Fim da linha para o “Galinha” Fluminense…


Além do assassinato do político, o meliante carioca é figurinha fácil no álbum da polícia por furtos, receptação e estelionato. A última vez que ele viu o sol nascer quadrado foi em dezembro de 2013, quando então saiu em liberdade condicional.
Enquanto espera bandeira 2 no Taxi do Magaiver para São João do Mariti, Galinha ficará hospedado no Hotel do Juquinha.

Enterrados em cova rasa!

Foto IMLOs sinistros aconteceram a 7 quilômetros um do outro, na baixada próximo à São Sebastião da Bela Vista.

O primeiro no KM 828, às 20h30. O cidadão foi atropelado por uma Van Fiat Ducato, placas PWJ-4374.

O segundo aconteceu mais tarde no KM 835. Desta vez por um caminhão Iveco Placas MRA-4512.

Ambos os atropelados morreram no local. Nenhum deles portava documento ou qualquer meio que pudesse identifica-los.

Os corpos passaram por exame de necropsia no IML de Pouso Alegre na quinta feira e foram sepultados em cova rasa no cemitério municipal, como indigentes.

O desconhecido 12/2015 é um homem, branco, meia idade, de compleição física mediana, olhos castanhos, cabelos liso, curto e ligeiramente grisalhos, de barba e bigode por fazer, e sem tatuagens!

 

       O Desconhecido 13/2015 também é um homem, pardo, bigode e cavanhaque ralos e aparados, trajava bermuda tactel cinza estampada de branca e preta marca ‘’bilabong’, cabelos negros curtos lisos.

Devido às múltiplas lesões ficou impossível precisar idade. A julgar pelo modelo e marca da bermuda – da moda – presume-se que seja jovem!

Até o final da manha desta sexta, 06, ninguém havia reclamado os corpos!

Quem souber algo a respeito dos acidentes ou estiver procurando um “desaparecido”, deverá procurar a DP ou o IML de Pouso Alegre!

 

Em Heliodora … O muro é o limite para quem dirige abraçado com a loira!

Lambança maior ainda do que o cidadão Eduardo Firmiano, fez o pintor Odair Jose Gonçalves, 36, ao pé da noite deste domingo na bucólica Heliodora! Ele conduzia seu Seat Córdoba KMV-6231 pela cidade quando de repente a rua ficou pequena para ele o Toyota Corola DPX-0922 conduzido pelo Sr. Sidney Rodrigues!

Ao bater na traseira do Corola Odair perdeu o controle da direção, arrancou a cerca de bambu da sra. Elza de Fátima Jordão, no pára-choque e só foi parar em um muro de tijolos alguns metros adiante.

Ao assinar o 306 na DP de Pouso Alegre, Odair recebeu três multas administrativas e foi informado que durante algum tempo não poderá mais dirigir. Para voltar para casa em segurança precisou pegar um táxi e antes pagar R$ 700 reais de fiança. Se tivesse voltado à pé para casa teria custado bem mais barato…!

Caçador de Heliodora vira caça…!

Policiais militares que passavam pela rodovia que liga Heliodora à Careaçu no final da tarde deste domingo, avistaram o cidadão Sergio de Fatimo Alves, caminhado ao lado da via, com um mochila nas costas. Aos olhos experientes dos policiais não passou despercebido que Sergio estava com pinta de somongó. Pararam para checar o que ele levava na mochila. Era uma espingarda cartucheira calibre 32!

Quem tem registro pode ter a arma... Em casa!

Quem tem registro pode ter a arma… Em casa!

Estaria ele indo caçar somongós?

Certamente, mas Sergio de Fatimo, 47 anos, disse apenas que tinha registro da cartucheira. E levou os policiais até sua casa ali peto para mostrar a credencial. Tinha mesmo. Tinha registro, mas não tinha porte… e estava ‘portando’ o trabuco beira da estrada, por isso foi preso. Em sua casa havia também diversos apetrechos de caça.

O caçador caçado no entanto, não foi para a gaiola! Ele pagou três salários de fiança e voltou para casa… Desarmado!

 

 

Heliodora… Ameaçou matar a companheira e foi dormir

Aos quinze anos de idade a jovenzinha Barbara Verônica de Paiva Sena resolveu sair de casa e ir morar com o cidadão Andre Luiz Lucas, de 32 anos. Certamente ouviu a advertência dos pais;

– Não faça isso, você é muito criança – Mas não deu ouvidos. Afinal de contas, todo garoto e garota de 15 anos sabe muito mais da vida que os antiquados pais e são donos do próprio nariz, não é mesmo!!

… Deu com os burros n’agua!

Desde o inicio da vida em comum a garotinha de nome bonito e pouco comum, sofre na pele o resultado do seu engano. Treleu não deu ela entra na manguara do amasio brucutu! Ele já respondeu a vários processos por ameaça a jovem cara-metade.

Agora ela tem 19 e finalmente decidiu separar os cobertores. Mas para isso precisou receber uma tijolada e ser ameaçada com uma faca de cozinha.

O ultimo ato de violência do companheiro aconteceu Continuar lendo

Por ciúmes do sapato…

Com a criminalidade sob controle em Pouso Alegre e ‘suas’ cidades satélites, quem anda entupindo o Hotel do Juquinha de presos é Maria da Penha. Treleu-não-deu os homens da lai são chamados e mais um brucutu vai sentar-se ao piano do delegado de plantão. Se tiver o dim-dim para pagar a fiança responde o processo em liberdade. Se estiver tão duro quanto os sentimentos pela cara metade… Cadeia!!!

Foi o que aconteceu com Marcelo Fonseca Pereira, 36 anos, morador de Heliodora. Ao chegar em casa nesta terça, ele não encontrou a amasia Rosemeire Ferreira Roberto, 22 anos. Ela havia ido na vizinha comprar um sapato novo. Quando chegou entrou no borralho. Marcelo ainda ameaçou;

– … E se voce fizer a mala e for embora ou me trair, vou te matar!

Rosimeire disse que já apanhou antes e deu queixa do amasio com quem vive a seis anos. Mas fizeram as pazes, ela esqueceu as marcas da manguara e  retirou a queixa. Desta vez quer ver o amasio pelas costas, bem longe dela. Será?

Com um salário de fiança Marcelo volta para casa…

Mamado e levando maconha para os amigos…

Uma abordagem de rotina na MG 458 – aquela que liga a Fernão Dias à Lambari, passando por Heliodora – no final da noite desta segunda, rendeu aos policiais um 306 do CTB e um 33 da Lei antidrogas…

Ao descer do seu Fiat Strada de placas GYJ-4038, o condutor Luiz Schnoor Fernandes, 35 anos, tinha os olhos vermelhos, a língua enrolada, o terrível bafo de jibóia e não conseguiu fazer o 4… Por isso foi convidado a soprar o bafômetro. Os números confirmaram que ele estava dirigindo embriagado: 3,2 DG/L do liquido que corria em suas veias era suco de gerereba.

O artigo 306 do sisudo CTB diz que não pode! Por isso Luiz ‘de sobrenome difícil’ Fernandes, foi apeado do seu possante e levado para a DP de Pouso Alegre. Antes porém, os patrulheiros deram uma geral no seu Fiat Strada… E o caldo engrossou de vez! Atrás do banco do passageiro havia um belo pacote de ‘erva do capeta’, bem embaladinha para viagem.

– Sou usuário! Comprei do “Rogério” no bairro Cidade Jardim em Pouso Alegre por R$ 500 reais, para fumar com meus amigos em Lambari… – Disse o moço com naturalidade!

O artigo 33 da Lei 11.343/2006 diz que isso é crime, punido com prisão de 5 a 15 anos. Como Luiz Schnoor é primário, hoje terça feira, faltam apenas 1824 dias para que ele deixe o Hotel do Juquinha…

Um litrão e 2 copos de cerveja… Dez mil reais!!!

Patrulheiros da lei resolveram fazer um blitz de rotina na MG 458, próximo ao trevo de Heliodora com Natercia, na noite deste domingo 09. Não tardou passou por ali o sitiante Jose Marcio de Souza, 43 anos morador do bairro Rural Pouso do Campo, município de Santa Rita do Sapucaí. Ao checar a documentação da F 1000, os policiais notaram que Marcio estava com a fala mansa e exalava o famoso bafo de jibóia!!! Convidado a soprar o bafômetro, Marcio não se opôs e o aparelhinho dedo duro acusou 6,8 dg/l de teor alcoólico no sangue…

– Eu tomei apenas dois copos de cerveja – Garantiu Marcio.

Mas não teve choro e nem vela. Ele assinou o 306 e voltou para casa de carona… Isso depois de pagar R$ 5 mil reais de fiança!!!

No mesmo trevo os patrulheiros abordaram a cidadã Rita Donizete Fernandes Sprovieri, 47 anos, funcionaria da prefeitura de Jacareí-SP, conduzindo seu VW Fox.

      Rita disse que fora visitar o irmão em Heliodora e bebera com ele um litrão da loira gelada no final da tarde, mas estava bem para dirigir até Natercia onde passaria a noite. Como uma ordeira cidadã ela se prontificou a soprar o bafômetro. Que azar!!! Seis virgula oito decigramas por litro de álcool no sangue!!!

       Rita Sprovieri também voltou para casa, mas teve que desembolsar R$ 5 mil reais de fiança…

        Um blitz desta por dia em cada estrada, dá reformar nossas estradas…

 

Brigou com a amasia e mostrou o ‘morto’ para a enteada

Edeval Cesar, 40 anos e Rosana de Souza e Silva, moradores de Heliodora,  namoraram quatro anos até que finalmente resolveram trocar alianças. Já faz quatro anos que juntaram os cobertores, mas, de vez em quando o tempo ‘esquenta’ e um deles vai dormir no sofá…

Ontem aconteceu de novo! Logo pela manhã, eles se desentenderam e Edeval desceu o borralho na esposa. Depois que ela saiu para o trabalho, ainda com as estribeiras em desalinho, ele passou a discutir com a enteada M.C.B. de 12 anos. Depois de chamá-la ‘carinhosamente de “negrinha beiçuda, fedorenta”, teria baixado as calças, exibido e chacoalhado o ‘morto’ para ela.

Ao chegar em casa às nove da noite e tomar conhecimento das ofensas e da ‘pouca-vergonha’ do marido, Rosana exigiu explicação… Entrou novamente na manguara!

Desta vez os homens da lei foram chamados, o valentão despudorado, que estava escondido na casa de um vizinho, desceu no taxi do contribuinte para a DP de Pouso Alegre, sentou-se ao piano e assinou o 147. Depois de pagar um salário de fiança, poderá voltar para casa…