Policia Civil fecha ‘biqueira’ do “Lê”

O mocó do traficante era ‘self-service’… Os clientes compravam e consumiam a droga ali mesmo! Duas nóias estavam no local há quase uma semana consumindo pedras!

A prisão do traficante Alessandro Pereira da Silva, o “Lê”, no final da tarde desta quinta-feira na cidade de Jacutinga, foi resultado de semanas de investigações encetadas pela polícia civil local. Tudo começou com as denúncias de vizinhos incomodados com o entra e sai de clientes de todo tipo, dia e noite, no mocó da Vila Esperança. Alguns não saiam! Compravam a droga e queimavam no interior da própria biqueira, em ‘marikas fornecidas pelo traficante. Durante a abordagem e prisão desta quinta, os policiais encontraram duas nóias que estavam no interior do mocó há quase uma semana ‘viajando’ na pedra bege fedorenta. As duas já haviam consumido, segundo levantaram os policiais, mais de mil reais em drogas.

Para dar o bote certeiro e não permitir que o gavião levantasse voo, ou que a pedra escorresse pelo ralo, os detetives armaram a arapuca e ficaram na moita nas proximidades. Quando duas saracuras chegaram para comer o milho, quero dizer, quando os clientes “Grilo” e “Negão” chegaram para comprar a droga, eles puxaram o laço e pegaram o traficante com a boca na botija. Na casa havia pequenas porções de crack e farto material para dolagem da droga.

Agora é tarde para fechar o olho, Lê…!


Além da presença das nóias Marcela Bresci e Andreza Gonçalves da Silva na biqueira; das saracuras Marco Antonio da Silva, o “Grilo” e Ismael Dias, o “Negão”, que foram comer o milho; das denúncias de amigos ocultos da lei e de vizinhos; e até de um irmão do traficante que se mudou do local, “Lê” figura também, na lista de outro traficante graúdo preso pela PC durante o carnaval deste ano. Ou seja: o homem da Capa Preta tem um vasto dossiê elaborado pela PC, suficiente garantir longos anos de férias ao traficante “Lê”, vendo o sol nascer quadrado no velho Hotel Menino da Porteira!

Roubo à prestação em Pouso Alegre

Marcio "Bolacha" Mateus não costuma criar raízes na cadeia...

Marcio “Bolacha” Mateus não costuma criar raízes na cadeia…

Você já ouviu falar em roubo à prestação? É raro, mas existe! Foi cometido há quase duas semanas em Pouso Alegre…

No final da tarde de sábado, 07 de novembro o cidadão Marcio Mateus dos Santos Oliveira, entrou na loja Super Magazine no centro e preparou o terreno para o crime…! Segundo relato dos policiais, após breve discussão com as vendedoras, Marcio Mateus teria dito que era ex-presidiario e que na semana seguinte voltaria ao local armado, para amedronta-las!

E voltou mesmo! Voltou na segunda feira, 09, entrou na loja de cara enfunada e foi logo pegando varias peças de roupas, na frente das vendedoras, e colocando numa sacola.

As funcionarias da loja, lembrando das ameaças da semana anterior, arregalaram bem os  olhos e ficaram olhando à distancia sem dizer uma palavra! Somente depois que Marcio saiu da loja pisando alto, levando varias peças de roupas e dobrou a serra do cajuru, elas avisaram o gerente.

Marcio Mateus foi alcançado pela policia militar no inicio da Adolfo Olinto chegando à Vicente Simões. Levava dentro de uma caixa de sapatos uma calça e 07 camisetas diversas!

O crime cometido pelo ex-presidiário, à primeira vista se enquadra no artigo 155 do código penal que diz: “Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel” – Pena: reclusão, de um a quatro anos, e multa. No entanto, como Marcio havia feito cara de mal e dito que era ex-presidiario, e ameaçado voltar armado na semana seguinte, o douto delegado de plantão entendeu que ele havia cometido o crime tipificado no artigo 157, que prescreve: “Subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça…”. Pena: reclusão, de quatro a dez anos, e multa. E enquadrou o meliante no 157!

Marcio Mateus, que atende também pelas alcunhas de “Bolacha” e “Perfect”, nasceu em julho de 82 em Espirito Santo do Pinhal. Assinou seu primeiro 157 em 2003 na cidade mineira de Campos Gerais. De lá para cá assinou outros tantos 157, 155, 180 e 10 da antiga lei que regulava o porte de armas. Já se hospedou nos hoteis do contribuinte de Albertina, de Pouso Alegre, de Campo Belo, de Campos Gerais, de Lavras e de Tres Corações.

Apesar de tantas BOs, suas penas são brandas. Ele nem chega a criar raízes na prisão. Saiu do Velho Hotel de Campos Gerais no dia 20-10-2015.

Embora tenha assinado o 157 pelo crime das camisetas, o que não comporta fiança, é bem provável que neste momento ele esteja lendo esta postagem confortavelmente sentando na poltrona da sala de sua casa, sabe-se lá em que cidade!

 

Tive que 'pagar' um cigarro por esta foto!

Tive que ‘pagar’ um cigarro pela foto atualizada!

Antes de seguir viagem no Taxi do Magaiver para o Hotel do Juquinha, Marcio Mateus fez cara de mal e posou para o blog… Mas não foi de graça, não!

– Me arruma um cigarro aí, Chips, que eu deixo você tirar uma foto atualizada! Mas não vá me “zuar” muito não, hein!

Sem ‘zueira’, Marcio… Voce ficou bem na foto!

 

Levando ‘farinha’ para Maria Cecilia & Rodolfo

Washington, o único do trio de mulas que é 'dimaior'...!

Washington, o único ‘dimaior’ do trio de mulas…!

Raspava oito da noite deste domingo, 13, quando os policiais Ferreira & Fernandes viram três guampudos com pinta de somongós, usando uniformes, – blusas de moletom! – se aproximando do terminal Rodoviário de Pouso Alegre com pinta de somongós! Pelo sim pelo não, resolveram abordar o trio…! Vai que são mulas e estão levando uma carga de farinha, erva ou pedra para despachar na rodoviária! Tiro e queda! Eram mesmo mulas… E estavam carregadas!

O de moletom verde era Gegê, 16 anos… Ele levava na guaiaca 54 barangas de farinha do capeta!

O de moletom Cinza, M.R.M. – como esses mulas gostam de moletom!! A indumentária de tecido forrado, quase sempre com capuz, parece ser uniforme de mulas e aviõezinhos! – levava embrulhados em um pé de meia 55 barangas da mesma farinha!

O terceiro guampudo, o qual havia dispensado a encomenda na beira da calçada era Washington Donizete da Silva, o único ‘dimaior’ do trio. A encomenda dispensada na beira da calçada eram 30 pinos da merma mer… Cadoria!

Segundo o trio, a droga seria vendida no show de Maria Cecilia & Rodolfo na Festa do Peão de Jacutinga!

Segundo o trio, a droga seria vendida no show de Maria Cecilia & Rodolfo na Festa do Peão de Jacutinga!

– Estamos indo para a festa do Peão de Jacutinga… Vamos vender a droga no Show de Maria Cecilia & Rodolfo! – disseram os três!

Certamente o que disseram era pura ladainha!!! O mais provável é que estivessem levando a droga para entregar a outro mula que viera de uma cidade vizinha e não quisera correr o risco de busca-la na “Baixada do Mandu”! De qualquer forma isso não faz diferença! A droga estava com eles e o 33 era deles!

A dupla Olho Vivo & Faro Fino que sente cheiro de maracutaia nas imediações do terminal rodoviário de Pouso Alegre, atropelou mais um trio de meliantes! Gegê, M.R.R. e Washington receberam pulseiras de prata e desceram no taxi do contribuinte para a DP, onde sentaram ao piano e assinaram o 33. Mais tarde Washington pegou o taxi do Magaiver para o Hotel do Juquinha… Os dois ‘dimenor’ voltaram pra casa como manda a lei.

Se fosse mais cedo talvez desse tempo de fazer uma segunda tentativa de levar farinha paras os fãs de Maria Cecilia & Rodolfo…!

 

‘Trombadonas’…! Ou “mãos de fadas”?

Trom...Este é o perfil das mais novas meliantes que estão agindo em Pouso Alegre. Às vezes esbarram na vitima dentro das lojas. Outras vezes agem tão sorrateiramente, com mãos tão leves e cortam a bolsa da vitima com gilete ou tesoura sem que elas percebam. O furto só é percebido quando a dona da bolsa procura a carteira para pagar uma conta ou então quando chegam em casa!

Foi assim que aconteceu com a senhora Irma, moradora do bairro Santo Ivo em Pouso Alegre. A aposentada esteve fazendo compras no comercio de Pouso Alegre na manhã deste sabdo, 05, e quando chegou em casa deu pela falta da carteira com documentos, três cartões de créditos, cartão do SUS, cartão Drogasil! Detalhe: dona Irma, 72 anos, é do tipo conservador! Daquelas que carregam um papelzinho na bolsa com as senhas bancarias!

Tão logo percebeu que havia sido vitima de furto e comunicou o fato à sobrinha, esta tratou de comunicar o fato às operadoras dos cartões e pedir os respectivos bloqueios… Tarde demais!  As ‘trombadonas’ ou ‘mãos de seda’ já haviam feito a festa com os cartões de credito! Fizeram compras em vários estabelecimentos comerciais de Pouso Alegre. Veja algumas delas com os respectivos valores:

– Perfumaria São Paulo… R$ 560;

– Loja Nucleo … R$ 759;

– Drogaria Teixeira… R$ 110;

– Rosana Modas… Aqui as larapias não quiseram arriscar perder a compra! Compraram em duas vezes, uma de R$ 487 e outra de R$ 740.

Um dos cartões de dona Irma foi usado pela ultima vez, já no final da tarde de sábado no Posto Canelão, chegando em Jacutinga, para pagar R$ 50 de gasolina…

Pelo jeito as ‘trombadonas’ estavam pretendendo acabar de torrar os cartões na liquidação de inverno da ‘Capital da Malhas’! Quando tentaram, pagar a gasolina no canelão, no entanto, o cartão já havia sido bloqueado!

Antes do registro do BO de dona Irma, outros casos de ‘trombadonas’ ou “mãos de fada” já haviam sido registrados na cidade.

Uma das lojas onde as ladras fizeram a festa com o cartão da aposentada forneceu imagens do circuito interno de segurança. Veja se você reconhece as “mãos de fada”…!

Dupla derrama notas de R$ 100 – falsas – em jacutinga

Nota de R$100A primeira pessoa a desconfiar que a cédula recebida do cidadão Wellington de Almeida Souza era falsa, foi a comerciaria Andressa… Antes que ela tomasse qualquer atitude, chegou esbaforido em sua loja o comerciante Jeferson Freinhan procurando por eles!

– Estiveram aqui na sua loja um sujeito assim-assado acompanhado de outro fazendo compras?

– Sim…

– Ele te pagou também com uma nota de cem reais? Deixe-me ver! É igual a que ele me deu. É falsa…!

Em poucos minutos reuniu-se meia dúzia de comerciantes do centro de Jacutinga que haviam recebido dinheiro falso da dupla, entre eles o Jonival da lanchonete ‘Sabor de Minas’, o Jeferson Freinhan do Supermercado Estrela, e o Tiãozinho da mercearia!

A lavagem do dinheiro falso era idêntica em todas as lojas pelas quais passaram… Compravam secos e molhados, material de limpeza e outros artigos domésticos cuja soma não passava de trinta reais, davam uma nota de R$ 100,00 fria… E recebiam o troco, quente!

Dado o alarme procuraram pelos guampudos do Citroen Xsara preto mas eles já haviam dobrado a serra do cajuru!

 

Produtos comprados pela dupla para lavar as notas de R$ 100.

Produtos comprados pela dupla para lavar as notas de R$ 100.

Comunicada, a policia militar espalhou a noticia via radio e imediatamente armou-se o cerco em torno da cidade de Jacutinga.

A dupla de falsários foi abordada no Bairro Escolinha, tentando dobrar a serra do cajuru. Com eles havia ainda cinco notas de cem mais falsas que cabelo de loira! Mas havia dinheiro quente! Mocosado na meia de Wellington os policiais encontraram R$ 1.500 devidamente ‘lavado’ nos estabelecimentos comerciais por onde passaram!

Wellington de Almeida Souza, 37 e Murilo Gonçalves de Lima, 25, oriundos de Santo André–SP, mudaram o itinerário… Pegaram carona do taxi do contribuinte e foram até Pouso Alegre sentar ao piano do delegado de plantão. Preferiram o silencio. E mudos assinaram o 189!

Na manha desta terça pegaram o taxi do Magaiver e foram se hospedar no velho Hotel de Albertina!

Eduardo, Rubens e Valdinei, os caçadores de capivara de Jacutinga…

DSC02009

O sol de sexta feira já estava se deitando atrás dos montes quando os homens da Lei de Jacutinga, ao trafegar pela estrada vicinal que liga a cidade ao município paulista de Espirito Santo do Pinhal, resolveram abordar o Chevrolet Monza placas EVR-8230 Sumaré-S.P., para checar a documentação. Com o velho Monza conduzido pelo cidadão Eduardo Henrique de Oliveira, 31, não havia nada de irregular. No entanto, o que ele e seus passageiros Rubens Benedito Filipini e Valdinei Batista Moreira levavam estava em desacordo com a lei! Cada um levava dentro do carro uma espingarda cartucheira e farta munição, sem registro, além de facão e lanterna. Não havia duvidas de que estavam indo para a caça!

Interpelados pelos policiais sobre o destino que seguiam, os três amigos foram – quase – sinceros.

– Sabe o que é sargento… Nós temos uma plantação de milho lá perto das terras do Alcides Sales, mas as capivaras não dão sossego! Elas estão acabando com nossa plantação… – Disse um deles.

– É isso mesmo sargento! Nós estamos indo pra lá dar uns tiros para espantar as danadas…- acrescentou outro.

– Mas nós só vamos espantá elas, seu guarda! – Acudiu o terceiro caçador.

capivara_05

Bem, se os três amigos iriam apenas expulsar as folgadas capivaras do milharal ou se iriam fazer um churrasquinho de carne nobre no final de semana, não vem ao caso… Naquele momento Eduardo, Rubens e Valdinei estavam cometendo o delito previsto no artigo 14 da Lei 10.826. Por isso, de supostos caçadores, viraram caça! E foram sentar ao piano do delegado de plantão na Delegacia Regional de Pouso Alegre. Já de madrugada os três amigos voltaram – desarmados – para casa… Cada um R$ 678 mais pobre!

Se é verdade que queriam apenas espantar as capivaras e salvar a lavoura de milho, os três amigos terão que arregimentar uma matilha de cães perdigueiros e fazer o forrobodó no grito…!

 

Policia prende ladrão pe-de-couve e leva para passear

Valdeci da Silva Venancio: -Eu só furto coisa pequena, Whisky, perfume, relógio...

Valdeci da Silva Venancio: -Eu só furto coisa pequena, Whisky, perfume, relógio…

Foi preso no final da tarde quarta, 27 – de lindíssimo céu azul e púrpuro por do sol – o meliante Valdeci da Silva Venâncio, 24 anos. Ele foi preso pela policia militar mineira a mando da ‘Mulher da Capa Preta’ da Comarca da cidadezinha fronteiriça de Espirito Santo do Pinhal-SP. Valdeci está na estrada tortuosa do crime desde a maioridade penal. Só na cidadezinha universitária ele responde a pelo menos quatro processos por furtos pés-de-couve.

– Eu furto coisa pequena… Whisky, perfume… Já furtei o relógio de um tio meu! – Contou-me ele atrás das grades do ‘corró’.

– Mas com a droga eu já parei, graças à Deus! Eu usava crack, mas fiz um tratamento no sanatório de Espirito Santo do Pinhal e parei com a droga já faz uns dois anos – Emendou ele se benzendo.

No dia 18 de novembro a juíza deu a primeira ‘canetada’ no pequeno meliante do município vizinho. Dois anos, 8 meses e 20 dias de cana no regime semi-aberto.

Ontem os policiais foram cumprir o Mandado… Aí entrou em cena a burocracia judicial! Valdeci Venâncio está em debito com a justiça da cidade paulista, mas mora num sitio do lado de cá da fronteira, no município de Albertina. Como ele foi preso pela policia mineira, ele tinha que ser entregue numa delegacia minera. Como desde de 2011 não há expediente nas delegacias de comarcas de Minas Gerais, o preso teve que ser apresentado à autoridade policial da Regional, ou seja, em Pouso Alegre, cerca de 100 quilômetros distante de sua casa.

Aí entrou em cena mais um detalhe da burocracia judicial. Embora os policiais tivessem uma copia do Mandado de Prisão em mãos, o nome do meliante não foi lançado no sistema como procurado. Desta forma, embora o Taxi do Magaiver tenha levantado ‘bandeira 2’ em direção a Ouro Fino esta manhã, para evitar o risco de cometer uma ilegalidade, o condenado permaneceu no corró da Delegacia Regional. Posteriormente será encaminhado ao Hotel do Juquinha para depois ser recambiado ao presidio de Albertina, de onde será entregue no presidio da vizinha cidade paulista!

Enquanto isso a hospedagem e transporte vai para a conta do contribuinte…!

Policia militar é vitima de furto em Jacutinga

... Será que os garotos iam promover algum evento particular na rua da casa deles...?

… Será que os garotos iam promover algum evento particular na rua da casa deles…?

A brincadeira com fogo que acabou queimando aconteceu no meio da tarde deste domingo na simpática Jacutinga. No meio da tarde o cidadão Tiago Garcia digitou o 190 e chamou a policia ao local onde estava acontecendo um campeonato de Skate e contou apreensivo…

– Sabe aqueles cones que você emprestaram para sinalizar o nosso evento? Pois é… Passou por aqui um moleque e furtou um dos cones! Um dos participantes do evento viu o garoto pegar o cone e coloca-lo dentro de um GM Astra prata de um amigo dele e fugir – contou o responsável pelo evento..

Enquanto anotavam os detalhes do furto do cone para confecção do BO, os policiais avistaram o tal Astra prata passando e sinalizaram para parar. O piloto Adilson Martins, 23 anos e o passageiro A.W.S. 17 anos fingiram que não era com eles. No entanto, temendo as consequências, pararam o carro e entraram no bar do Buiú ali perto, onde foram abordados. Eles nem tentaram tapar o sol com a peneira…

– O cone está dentro do carro… – Disse o dono do Astra.

– O que vocês iam fazer com isso? – Quis saber o policial.

– Foi só uma brincadeira… – Emendou o garoto A.W.S.

Brincadeira sem pé e sem cabeça e de muito mau gosto! Que saiu caro para o motorista Adilson Martins. Dentro do carro havia uma caixa de isopor com varias latinhas de loiras geladas e outras vazias. Adilson estava com os olhos vermelhos, a fala mansa, as pernas bambas e o terrível bafo de jiboia. O teste do bafômetro acusou que 0,97 dg/l de suco de cevada corria em sua veias. Para completar o fiasco ele não possui CNH…!

A brincadeira do garotão A.W.S. com o cone da policia aconteceu às três e meia da tarde, mas até que tudo fosse esclarecido e o imbróglio colocado no papel já era meia noite. O ‘dimenor’ que brincou com fogo e acabou se queimando assinou um 155. Seu amigo Adilson assinou o 306 e 309 da Lei Seca. Os dois voltaram para casa de madrugada, pois o Astra usado na pratica delituosa foi apreendido e guinchado. Adilson Martins teve que pagar R$2 mil de fiança para responder o processo em liberdade…!

Doravante eles vão correr léguas de um cone laranja da policia…!

PM prende ladrão de extintor e bateria em Jacutinga

DSC01638

O ‘praça véio’ Marivaldo José Pereira chegou da rua no final da noite deste domingo, estacionou seu fusca na porta de casa, no centro de Albertina e foi ali perto comprar uns pasteis. Minutos depois quando voltava para casa, ainda à distancia, avistou um sujeito sorrateiro no interior do seu carro. Antes que ele chegasse para enquadrar o gatuno, este saiu correndo e dobrou a serra do cajuru levando o extintor de incêndio e a bateria do veiculo. Vizinhos que presenciaram o furto foram logo informando;

– Foi o Moisés Maloni… Ele correu pra lá!

Acionados pelo ex-companheiro de farda, os homens da lei saíram na sombra do ladrão de fusca. Não precisaram ir longe e nem gastar muita gasolina… Moisés Maloni Franco, 27 anos, figurinha fácil no álbum da policia, correu em direção à sua casa ali perto, nas proximidades do quartel da policia! Mas, ao invés de entrar na sua casa, foi se esconder numa construção vizinha. Ao ser abordado pela dupla de policiais, Moisés resistiu à prisão e rolou com eles na poeira. Mas acabou recebendo as pulseiras de prata!

Ao sentar ao piano da delegada de plantão na Regional de Pouso Alegre, como a maioria dos meliantes pilhados em flagrante, Moisés não tinha nada a dizer. Mas como manda a lei, em se tratando de furto simples, a delegada arbitrou fiança no valor minimo. No entanto, como quem furta um extintor de incêndio e uma bateria veicular em uso geralmente não dispõe de R$678 no bolso, Moisés teve que cruzar o mar vermelho, quero dizer, a MG 290 no Táxi do Magaiver de volta para Albertina… Mais precisamente para o velho Hotel de Albertina…!

 

* Se voce acha que o Moisés foi preso por coisa boba, leia a estorinha do Adilson Martins e seu amiguinho A.W.S., daqui a pouco…!