Estupro… o inimigo mora sob o mesmo teto!

Ele pode ser o vovô com cara de bonzinho, o tio que traz balinhas e chocolates, o pai supercarinhoso, mas nas maioria das vezes é o padrasto!

O estuprador nem sempre é um bicho de 7 cabeças!


O crime de estupro tem quatro peculiaridades:
– É um dos mais severos em termos de punição;
– É um do mais recorrentes;
– Pode ser um dos mais injustos e
– É o mais difícil de ter a pena aplicada!
O hediondo crime tem dois artigos distintos: o 213, aquele tradicional que fala da conjunção carnal mantida à força contra a vontade da mulher com idade acima de 14 anos. Neste caso a pena vai de 6 a 10 ou de 8 a 12 no caso de a vítima ter entre 14 e 18 anos. E há o 217-A, que prevê o crime praticado contra homem ou mulher com idade inferior a 14 anos. É o ‘estupro de vulnerável’, aquele em que há a “violência presumida”. A pena aqui varia entre 8 e quinze anos. E pode chegar a 20, caso haja lesão corporal de natureza grave.
No caso de estupro de vulnerável a tipificação é muito mais severa. Um simples toque nas ‘regiões pudendas’ da criança, um beijo ainda que no rosto com intenção de lascívia, pode ser considerado uma violência e, portanto, crime.
O autor deste execrável crime está muito mais perto da vitima do que se imagina;
– Muitas vezes é o pai, que se vale da condição tal para abusar da filha. – – Às vezes é o simpático vovozinho acima de qualquer suspeita,
– ou então o tio com cara de bonzinho, aquele que trás balinhas para a sobrinha!
– Pode ser também o cunhado, um vizinho amigo…!
– O grande vilão do estupro de vulnerável, no entanto, é o padrasto!
A vitima do padrasto tem quase sempre entre 4 e 12 anos. O abuso ocorre sempre entre quatro paredes na própria residência na ausência da mãe da criança. Na maioria das vezes o abuso dura anos até que venha à tona.
No caso de estupro contra vitima nessa faixa etária, sem sempre a violência deixa marcas. Como o estupro, qualquer que seja ele, raramente existe testemunha ocular, a autoridade policial conta apenas com o depoimento da vitima como prova. Ou seja: é a palavra da vitima contra a palavra do suposto estuprador!
Há nestes casos, portanto, a possibilidade de um acusado ser inocente e assim mesmo ser jogado na ‘cova dos leões’. Por outro lado, há também a possibilidade um psicopata sexual passar impune pela polícia.
Nas três primeiras semanas deste auspicioso 2018 vários casos de estupro foram registrados na jurisdição da polícia de Pouso Alegre.
– Em Heliodora, a 54 quilômetros de Pouso Alegre, na primeira semana do ano um guampudo foi surpreendido com a calça na mão abusando de sua cunhada, de 12 anos. Depois de a casa caída, a garotinha criou coragem e contou que vinha sendo ameaçada e abusada há mais de ano!
– Semana passada tivemos um estupro ‘clássico’ no Cidade Jardim em Pouso Alegre. Na volta de uma festa para casa, uma jovem de 21 anos foi atacada, agredida, arrastada para o mato e estuprada.
– Na quinta-feira passada ocorreram dois estupros em Pouso Alegre. No bairro Primavera um padrasto abusou da enteada de 8 anos de idade. E não ficou só nos atos libidinosos! A garotinha sofreu esganadura e lesões na vagina. O padrasto tarado ainda não sentiu o frio das pulseiras de prata.
– No mesmo dia chegou ao conhecimento da polícia outro caso de estupro. Uma tia da adolescente constatou no seu corpo e nas suas vestes os vestígios da conjunção carnal.
A história da garotinha de 15 anos é um pouco confusa. Ao chegar chorando à casa da avó no Cascalho, onde passava férias, ela contou que havia sido estuprada pelo namorado num local ermo entre os bairros Medicina e João Paulo II. O suposto ‘namorado’, no entanto, jura de pés juntos que é inocente. Ele foi detido no Cidade Jardim, onde ambos moram, e disse que conhece a garotinha apenas através das redes sociais e que jamais teve qualquer contato pessoal com ela.
Reinquirida, a adolescente ‘arranjou’ outro estuprador! E contou que há mais de ano vem sendo ‘molestada’ por um vizinho cujo nome começa pela letra “L” no seu próprio bairro. Os exames médicos não constataram lesões.
– No sábado,20, a delegada de plantão de Pouso Alegre recebeu mais um caso de estupro de vulnerável. O crime teria acontecido na quinta-feira,18, na zona rural de Inconfidentes. Um garotinho de 9 anos contou que foi abusado por um maquinista no interior da casa dele. O maquinista de 58 anos nega os fatos. O hediondo crime não deixou marcas e nem testemunhas. A douta paladina da lei que estava de plantão, por acaso é a delegada de mulheres, com vasta experiência neste tipo de delitos. Sem provas e sem vestígios do crime, ela optou pelo “in dubio pro réu”! Mandou soltar o acusado e instaurou Inquérito Policial para apurar os fatos.
Nestes dois últimos casos, se houve de fato os crimes, os criminosos talvez fiquem impunes.
Para evitar que tais situações aconteçam, é fundamental que os pais confiem desconfiando! E, principalmente, mantenham sempre os filhos imberbes e indefesos ao alcance dos olhos!

Anúncios

Arrombamento no banco Santander…

Os ladrões fizeram quatro buracos nas paredes vizinhas até chegar ao interior do banco de onde levaram cerca de R$100 mil.

O terceiro final de semana em Pouso Alegre, foi um dos mais leves em termos de crimes contra o patrimônio. Durante o sábado e o domingo foram registrados apenas seis furtos e um roubo pé-de-couve. Um dos furtos, no entanto, rendeu aos gatunos da madrugada uma bela grana… quase cem mil reais!
O crime aconteceu nos primeiros minutos da madrugada de sábado, 20, na agencia do banco Santander na Avenida Prefeito Olavo Gomes de Oliveira, no bairro Cruzeiro em Pouso Alegre. E deu trabalho! Os meliantes tiveram que suar a camisa para ganhar a bufunfa. Para chegar ao caixa eletrônico, os ladrões fizeram dois buracos na parede de um consultório dentário, passaram por um lote vago e fizeram outros dois buracos na parede do banco. Só o buraco na parede da agencia precisou de cerca de quarenta minutos para ser aberto! Para localizar o sensor de presença sem dispará-lo, os ‘trabalhadores noturnos’ usaram um espelho! E para evitar que o sensor captasse seus movimentos e pudessem trabalhar sem serem perturbados no interior da agencia, os gatunos montaram uma barraca em volta do caixa eletrônico. Aliás essa estratégia é bastante comum. Satisfeitos com a grana arrecadada num dos caixas – entre 60 e 100 mil reais, segundo uma gerente, – os gatunos da madrugada desistiram de arrombar o segundo caixa e dobraram a serra do cajuru com guaiaca cheia.
O arrombamento da agencia só foi descoberto na manhã de sábado, quando a dentista vizinha chegou ao seu local de trabalho.

Resposta de uma médica carioca à mãe de Cabral

O maior bandido que já pisou o Rio de Janeiro, responsável pela morte de centenas de cidadãos fluminenses cariocas nas filas dos hospitais, por falta de atendimento, de leitos ou de medicamentos – isso pra ficar só na questão da saúde, sem falar nas pessoas que já morreram no Rio por falta de segurança e outras mazelas – condenado a 87 anos de cadeia, – por enquanto – foi transferido da prisão de Benfica, no Rio – onde tinha TV de 65 polegadas e banquete de lagostas – para uma prisão federal em Curitiba.

Durante a transferência, nesta quinta-feira,17, o perigoso bandido que, de 2007 a 2014 foi Governador do Rio de Janeiro com o nome de Sergio Cabral, aparece como um bandido comum que é, com pulseiras de prata nas mãos e nos pés!
Indignada com o que chamou de ‘humilhação’ ao pobre filho, a mãe do politico fez um desabafo, publicado num grande jornal carioca neste domingo, 20.
Veja o que disse a mãe do bandido que desviou cerca de R$ 270 milhões de reais dos cidadãos do Estado do Rio de Janeiro:

A medica reumatologista Francinne Machado Ribeiro, que conhece bem a realidade da saúde na Cidade Maravilhosa, respondeu ao desabafo da mãe do bandido preso; Veja sua resposta publicada em sua pagina no face neste domingo,20.

“Dona Magaly Cabral,
também sou mãe. E nas horas vagas sou médica. Trabalho em um hospital público. De uma universidade. Estadual. No Rio de Janeiro. Como tal, assisti, impotente, a uma enxurrada de solicitações de medicações essenciais para a vida de milhares de pessoas ser negada por falta de compra. Vi, aterrorizada, centenas de leitos serem fechados no HUPE por falta de repasse de verba. E tive, desesperada, que negar admissões e internações justamente por falta de leitos.
O que durante algum tempo parecia ocorrer pela crise financeira se mostrou uma farsa.
Descobri, perplexa, que o dinheiro de merenda escolar e remédio era desviado para que o governador do Estado e sua esposa advogada esbanjassem em iate, quadros, viagens com fotos cafonas, joias e privada automatizada.
E, não por acaso, este senhor era seu filho.
Desculpe a minha falta de empatia, mas discordo categoricamente da sua afirmação. Seu filho não “cometeu erros”. Ele fez algo mais grave. Ele cometeu crimes. C-r-i-m-e-S. No plural. É fato que ele não deu ordens de matar, a partir da cadeia. Por um motivo muito simples: ele matou muita gente com sua caneta. Que lhe foi concedida para cuidar deste estado e não para se esbaldar em Paris com guardanapos na cabeça e Loubotin nos pés.
Abre parênteses para update:
Da cadeia ele não “mandou invadir”. No entanto, os lares dos cidadãos do estado foram invadidos com as imagens das mordomias concedidas ao seu filho. Enquanto milhares de presos semianalfabetos, negros e pobres apodrecem na cadeia superlotada, onde adquirem, entre outras coisas, tuberculose e sarna. E de sua nora desfrutando do conforto do seu apartamento no Leblon, ao passo que outras milhares de mães presidiárias são afastadas dos seus filhos.
E não, não compartilho da máxima que as mães podem tudo. Caso não tenha percebido, vou lhe contar um segredo: seu filho lhe deu presentes caros nos últimos anos? Saiba que eles custaram os rins, corações e fígados de pessoas doentes.
Fecha parênteses.
Humilhação é mendigar remédios e salários que lhe são devidos por direito. É ser achincalhado publicamente pelo seu patrão, como nós médicos fomos. É assistir inúmeros pacientes morrerem por falta de antibiótico e perderem seus transplantes por falta de imunossupressores.
Dona Magaly, me desculpe se não sinto compaixão e se acho que as algemas são um castigo leve demais.
Ao contrário da senhora, que tem acesso à coluna, sou mais uma médica tentando enxugar gelo todos os dias, além de tentar reconstruir, com muito trabalho, o hospital que seu filho quebrou.
Infelizmente, o meu lamento não desfaz a desgraça das inúmeras famílias que seu filho provocou. Isso sim faz sentido, minha senhora.”

Estivemos com a Doutora Francinne na semana passada. Por acaso ela é reumatologista da minha esposa.
Faço minhas suas palavras Francinne!

“Gaticidio” no bairro Santa Rita

Mulher abandona gato na rua e em seguida atropela o bichano

O sinistro aconteceu nesta sexta-feira no bairro Santa Rita, a dois quarteirões do Forum Orvietto Butti. Imagens da câmera de segurança de um morador vizinho captaram o momento em que uma mulher para o um veiculo Fiat Palio vermelho, desce do carro e joga um gato de duas cores, parecendo ser filhote, na beira da rua e volta para o carro. O bichano também tenta voltar para o carro mas as portas já estão fechadas. Nesse momento a mulher passa o carro por cima do gatinho e o deixa agonizando na beira da rua.
Veja o vídeo.

Adeus João Cavalo…

Hoje deve ter ‘conselho arbitral’ no céu. Presididos pelo saudoso cartola Aguinaldo Falcão, João Cavalo já deve estar em calorosa discussão com Hailtom Custodio, Jorge Carpineti, “Gustinho” Balbino, Edson “Corinho”, “Tião Cueca”… outros grandes boleiros que, cada um com seu estilo, escreveram com letras de ouro belas paginas no futebol de base de Pouso Alegre. Eles devem estar discutindo o Regulamento da Copa Lepa de Futebol Infantil 2018!

João Cavalo era uma pessoa simples como seu nome: João Batista Ferreira
Simples também era sua profissão… Ele era pedreiro!
Simples também era sua casa… uma casinha pequena na vargem de cima do velho Aterrado, construída muito antes de o calçamento chegar ali. Aliás para chegar em época de chuvas, precisava de canoa!
Nas ‘horas vagas’ João Cavalo ensinava futebol para garotos carentes do bairro São Geraldo – E não só do bairro. Muitos garotos de Pouso Alegre, inclusive meus dois mais velhos adquiriram intimidade com a redonda na sua escolinha. Mas foi muito mais do que um professor de futebol… foi professor de vida. Ensinou centenas, milhares de crianças, adolescentes e jovens a ser homens, corretos, honrados!
Tinha eu jeito peculiar, contundente, incisivo, decidido… Era um bravo homem e um homem ‘brabo’. Defendia com unhas & dentes seu ponto de vista. Mas não queria nada que não fosse direito e correto e pra todos. Com João Cavalo oito era oito, e oitenta era oitenta!
Era politizado mas não era político. Não esperava que alguém fizesse… Arregaçava as mangas e fazia ele mesmo.
Construiu, à base de cabo de enxada, o campo do Santamaria. Arrancou raízes de arvore e touceiras de capim no enxadão para construir o campo simples como ele, do seu Santos F.C. que servia a todos os clubes da cidade numa época em que tínhamos um futebol vibrante, com oito campeonatos de futebol por ano.
Nobres, no, entanto eram seus ideais… Com sua escolinha de futebol, João Cavalo afastou centenas de garotos das drogas.
João Cavalo estava doente há vários anos. Morreu de insuficiência renal nesta quinta-feira, 18.
Seu combalido corpo foi sepultado no Distrito de Crisolia/Ouro Fino, onde nasceu há quase setenta anos.
O boleiro João Cavalo já estava fazendo falta…
O homem João Cavalo fará muita falta no Aterrado… fará muita falta na nossa sociedade.
Temos hoje poucos homens simples e honrados da estirpe do amigo João Cavalo.
Hoje deve ter ‘conselho arbitral’ no céu. Presididos pelo saudoso cartola Aguinaldo Falcão, João Cavalo já deve estar em calorosa discussão com os rivais Hailtom Custodio, Jorge Carpineti, “Gustinho” Balbino, Edson “Corinho”, “Tião Cueca” – outros grandes boleiros que, cada um com seu estilo, escreveram com letras de ouro belas paginas no futebol de base de Pouso Alegre. Eles devem estar discutindo o Regulamento da Copa Lepa de Futebol Infantil 2018!
Firmeza como sempre, meu amigo… Não permita ‘gatos’ neste campeonato…!

Assalto violento em Cambui

Após agredir fisicamente o aposentado, o assaltante tentou mata-lo asfixiado. O velhinho de 79 anos só sobreviveu porque fingiu de morto!

(I.i)

O violento crime aconteceu no crepúsculo desta quarta-feira,17, no bairro Vale do Itaim em Cambui, a 54 quilômetros de Pouso Alegre. Norival Lambert Manoel, 79 anos, estava quieto no aconchego do seu lar onde mora sozinho, quando o assaltante Dircelio Aparecido de Oliveira invadiu sua casa e tocou o terror.
– Onde está o dinheiro, onde está o dinheiro… sei que você é aposentado e tem muito dinheiro! Diga onde está o dinheiro senão te mato.
Diante da negativa de que não havia dinheiro debaixo do colchão, o assaltante passou a executar a ameaça. Começou com chutes e pontapés no velhinho até joga-lo ao chão. Em seguida foi até o quarto, pegou uma espingarda cartucheira, colocou o cano na boca da vitima e ameaçou puxar o gatilho. Vendo que daquele mato não sairia coelho, o assaltante então encheu a boca do velhinho com pano tentou asfixiá-lo. Incapaz de se defender da violência do assaltante, o aposentado fingiu ter morrido… Ao ve-lo inerte no chão o assaltante pegou os cem reais que encontrou e dobrou a serra do cajuru levando a espingarda com apetrechos e cartuchos.
Já na estrada, enquanto se afastava da casa da vitima, o assaltante, talvez por farra, ou sob efeito de alguma droga, passou a dar tiros a esmo para o alto com a cartucheira roubada. Atraídos pelos tiros os homens da lei compareceram ao local e prenderam o assaltante com a boca na botija.
Com escoriações generalizadas pelo corpo e sangramento na face, Norival Lambert foi levado para o pronto socorro local onde recebeu tratamento médico e ficou internado para observação. Ele ainda – pasmem – será processado por porte ilegal de arma de fogo!
Dircelio Aparecido de Oliveira, 38, é figurinha fácil no álbum da policia por crimes de violência doméstica. O violento roubo cometido contra o velhinho de 79 anos, ontem, foi seu primeiro crime contra o patrimônio que se tem registro. A bravata lhe garantiu hospedagem gratuita no Hotel do Juquinha.

Furto no hospital regional

A vitima é uma senhora de 86 anos. O larapio aproveitou um minuto que ela se ausentou do quarto para visitar sua bolsa!

Bons tempos aqueles de 1921 quando o hospital foi inaugurado. Naquela época os meliantes de plantão respeitavam ao menos os hospitais!

Furto é furto tanto no brasil, quanto na Belgica ou no Nepal. O que muda é o número do artigo e suas sanções. Mas a tipificação continua a mesma: “subtrair para si coisa alheia móvel”. Em alguns países do Oriente Medio fala-se que a pena pelo desvio de comportamento social ou psicológico do cidadão desajustado ou vitima da sociedade – ou simplesmente… sem vergonha! – é a amputação da mão leve. Cá em terras tupiniquins abençoadas por Deus, a pena varia entre 1 e quatro anos. Com pena tão ínfima e a falta de cadeias ou colônias penais onde o larápio possa pegar no cabo da enxada e conquistar os bens que os outros já conquistaram com seu trabalho, furtos simples … dão nada, não! Por isso mesmo os mãos leves desavergonhados estão cada vez mais ousados… e sem vergonha! Estão furtando crianças e velhinhos indefesos… Até nos hospitais!
O Hospital Regional Samuel Libânio em Pouso Alegre tem sido palco frequentes destes covardes espetáculos. Médicos, enfermeiros e pacientes tem ficado doentes de raiva ou indignação com a atitude de larápios que furtam seus celulares, bolsas, carteiras e dim-dim. Nem os enfermos pálidos e convalescentes ou os acidentados desvalidos sobre macas à espera de atendimento escapam da sanha covarde dos larápios de plantão!
A ultima vitima de furto no interior do referendo nosocômio foi uma senhora de 86 anos. Ela fazia companhia ao marido na noite desta segunda-feira, 15, quando o vergonhoso crime aconteceu. Rachel contou que havia feito um saque bancário de cinco mil reais e havia deixado o dinheiro dentro da sua bolsa sobre o sofá no quarto. Ainda segundo a aposentada, durante a noite ela se ausentou do quarto onde estava o marido durante alguns minutos por quatro vezes. Foi num destes momentos que sua bolsa recebeu a visita do mão leve e seu rico dinheirinho, que tinha outros compromissos, criou pernas! Vergonhoso!

PM troca tiros com ladrões de carro em Congonhal

Um dos assaltantes foi baleado e está internado no Hospital Regional Samuel Libanio. O outro foi preso em Ouro Fino.

Tudo começou com uma aproximação de rotina no final da noite desta terça na vizinha Congonhal, a 16 quilômetros de Pouso Alegre. Ao ver a chegada da viatura policial, dois guampudos que abasteciam um VW Gol no posto Petromix, e tinham culpa no cartório, abandonaram o carro no posto e passaram sebo nas canelas. Eles se embrenharam em um matagal próximo e conseguiram dobrar a serra de cajuru.
Minutos depois, quando faziam o BO de apreensão do veículo abandonado pelos meliantes, os policiais receberam notícias de outro furto de carro nas imediações do pronto atendimento da cidade. Desta vez a res furtiva um Fiat Uno, que seguia pela rodovia BR 459 em direção à Ipuiuna.
Durante a perseguição houve troca de tiros entre a policia e os bandidos e mais uma vez os meliantes abandonaram o carro roubado após este rodar na pista e se embrenharam numa plantação de milho. Apesar do cerco feito pela polícia com apoio de outros policiais de Pouso Alegre, os ladrões de carros conseguiram dobrar a serra, mas não a de Ipuiuna! Eles seguiram à pé em direção ao bairro Grota Rica. Foi lá que na aurora desta quarta-feira, após nova troca de tiros, os militares prenderam o meliante Talison da Silva Gonçalves. Baleado, Talison foi socorrido ao Pronto Socorro de Congonhal, mas, dada a gravidade das lesões sofridas no tiroteio, foi transferido para o Hospital Regional Samuel Libanio, onde permanece internado sob custodia da policia. Com ele a policia apreendeu apenas uma replica de pistola.
Eduardo de Almeida Pereira conseguiu dobrar a Serra da Grota Rica e voltou para casa. Ele foi preso poucas horas depois na cidade de Ouro Fino.
O gol abandonado pelos meliantes na primeira tentativa de abordagem em Congonhal, havia sido roubado na cidade paulista de Águas de Lindoia, no domingo, 14.
Talison da Silva Gonçalves, 21, é figurinha fácil no álbum da policia por furtos e roubos na cidade de Ouro Fino.
Eduardo de Almeida Pereira, 36, o “Lalau”, – aliás o apelido lhe cai bem! – possui a capivara ainda mais gorda do que o comparsa Talison. Ele tem no currículo furtos e roubos de carros e de moto em Ouro Fino e região e até um furto de cavalo. Em 2014, após furto de veículo em Borda da Mata, durante a perseguição policial, Eduardo abriu fogo contra os policiais e foi se esconder em no Distrito de Crisolia, onde acabou recebendo as pulseiras de prata. Depois de assinarem o 157, Talison e Lalau deverão se hospedar no Hotel do Juquinha.

Suborno no exame de motorista

Ao ‘escorregar’ na baliza, o garoto tentou ‘comprar’ os examinadores para aprova-lo no exame de baliza… E foi preso!

Onde está agora, por uns tempos, Giovani não precisará de carteira de motorista!

O imbróglio aconteceu ao pé da manhã desta segunda,15, na cidade de São Lourenço, circunscrição do 17º DPC de Pouso Alegre.
Deu tudo errado para o jovem Giovani Belo dos Santos, 18, morador da cidade serrana de Itamonte. Ele foi fazer os exames de motorista pela primeira vez e, por garantia levou R$2.400 na algibeira para, caso não passasse nos exames, comprar a aprovação. Ainda na fase de baliza ele cometeu as falhas suficientes para ser reprovado. Mas não se deu por vencido. Antes de descer do carro Giovani sacou um embrulhinho de bala da algibeira e fez a proposta indecente:
– Moço, por favor não me reprove… Estou com o dinheiro aqui. Eu trouxe os R$ 1.200 para pagar o exame.
O examinador nada respondeu. E enquanto finalizava a pauta, outro examinador se aproximou do veiculo e Giovani repetiu:
– Por favor, não me reprovem porque eu estou precisando da carteira. Eu ouvi dizer que se pagasse R$1.200,00 por cada fase do exame – baliza e direção – eu passaria. Eu estou com o dinheiro aqui!
Ao ver a nuvem negra no rosto dos examinadores e prevendo a tempestade, a instrutora da autoescola de Itamonte tentou intervir…
– Por favor, relevem. Não levem em consideração o que ele está dizendo… Ele é muito novo, não sabe o que está falando!
Mas não teve choro e nem vela e nem fita amarela… Giovani recebeu as pulseiras de prata, desceu no taxi do contribuinte e foi sentar-se ao piano do paladino da lei na DP. Lá o jovem candidato a motorista abriu mais ‘páginas do imbróglio’. Disse que tomou conhecimento que era prática comum pagar para ser aprovado nos exames, por isso combinou com a instrutora de Marcela que levaria dois pacotinhos R$1,2 mil separados, embrulhados em papel de bala para dar aos examinadores para ser aprovado em cada fase do exame. O dinheiro seria, segundo ele, entregue à instrutora, mas como não teve contato com ela antes de entrar no carro, resolveu entregar diretamente ao examinador, porque, segundo ele, acreditou que todos os examinadores participavam do suposto esquema de aprovação no exame de direção.

Giovani de fato portava dois pacotinhos de R$1,2 mil na algibeira. Além do dinheiro, pivô do infortúnio do jovem, a polícia apreendeu também seu aparelho celular, a fim de investigar suposta participação da instrutora Marcela Cristina Batista Parrela no crime de corrupção passiva.
Giovani assinou o 333 do Código Penal, cuja sanção privativa de liberdade varia de 2 a 12 anos de estadia gratuita no Hotel do Contribuinte.

Simplório & Finório atacam novamente

Desta vez a aposentada foi parar no hospital!

Como dona Cida, tem muita gente por aí que também vai cair no Conto do Vigário este ano… outra vez!

O golpe desta vez foi encenado na Rua do Rosário, no centro de Pouso Alegre. Dona Cida, 67 anos, passava por ali distraidamente pensando na morte da cabritinha, quando a dupla se aproximou. Um era moreno claro, gordo e alto, de olhos castanhos e usava camisa cor de rosa… O outro era moreno claro, baixo e usava camisa listrada. Segundo dona Cida, os dois se aproximaram juntos e foram logo dizendo que tinham um bilhete premiado no valor de 600 mil e precisavam da ajuda de alguém que tivesse documentos e conta no banco para receber o premio. Se dona Cida ajudasse, eles lhe dariam metade do prêmio. Nesse preço dona Cida topou a parada na hora. Ela só tinha que provar que era gente boa, que tinha dinheiro na mão para deixar com eles. Imediatamente a aposentada foi ao banco do Brasil, sacou R$ 5 mil e entregou para a dupla.
O desfecho do caso dona Cida não explica muito bem. Diz ela que ao passar pela rua Conego Jose Oriolo, no bairro Santa Filomena, ela desceu do carro da dupla e só então percebeu que havia caído no conto do vigário.
Embora pareça hilário, o caso é serio. Depois de se dar conta de que havia ficado só com o cabo do guarda chuva na mão, dona Cida passou mal! Teve que ser atendida no pronto socorro do hospital regional Samuel Libanio onde ficou em observação durante quatro horas. Enquanto isso a famosa dupla “Simplório & Finório” dobrava calmamente a serra do cajuru em um Vectra prata, com cinco mil reais na guaiaca, em busca da próxima vítima…!