Tentativa de homicídio no “Capim Gordura”

Os tiros disparados por duas armas atingiram a parede e o portão da casa da vitima. O motivo seria uma dívida de drogas no valor de R$400.

Wesley “Gordinho”, figurinha fácil no álbum da policia, assinou mais um BO na ‘caminhada’.

O crime aconteceu por volta de cinco e meia da tarde desta quinta-feira, 16, na Rua A, no Jardim Aeroporto, no local batizado nos anos 80 como Capim Gordura!
Segundo testemunhas, quatro sujeitos em um veiculo HB20 preto efetuaram vários disparos de arma de fogo na direção da residência do cidadão Diego da Silva Lucas. Na residência estavam os familiares de Diego, incluindo crianças, mas ninguém foi atingido. Os tiros acertaram as paredes e portão da casa.
Segundo o próprio Diego Lucas, os desafetos tentaram mata-lo por conta de uma dívida de drogas no valor de quatrocentos reais!
Seguindo o rastro da pólvora, a policia militar prendeu três dos ocupantes do veiculo assassino na Avenida Dr. Lisboa, no centro de Pouso Alegre. O quarto elemento, um garoto de 16 anos, havia desembarcado do veiculo sinistro na Baixada do Mandú, com as armas do crime. Com os três suspeitos presos na Avenida os policiais encontraram R$ 1.800 reais.
Lucas Ribeiro Pascoal de Oliveira, 29, o “Luquinha”, condutor do veiculo HB20, apresentava hálito etílico. Questionado ele admitiu que havia bebido vodca e cheirado cocaína… na terça-feira!
Luquinha e o ‘parça’ Wesley Alex da Silva Pinto, o “Wesley Gordinho”, vão responder por tentativa de homicídio e corrupção de menores, pois os outros dois ‘parças’ que participaram da tentativa de assassinato no Capim Gordura, o “Bino” e o “Gui do Zecão”, são menores de idade. Para os dois “Dimenor” deve … “dar nada, não”!

Anúncios

Moradora de Pouso Alegre ganha premio de R$ 20 mil da “Vivo”

… Mas para receber o premio ela teve que depositar quase R$7 mil na conta ‘do’ vivo!

Esta é mais uma daquelas histórias das quais o colunista, para não perder o credito junto a seus leitores, se sente obrigado a preparar-lhes o espirito com a seguinte frase: “… acredite se quiser!”

O ‘vivo’ provavelmente estava falando de dentro de uma cadeia!

O imbróglio foi registrado no final da manhã desta modorrenta quinta-feira pós-feriado de meio de semana. A jovem C.S.M., 28, portadora do diploma de segundo grau, moradora do bairro Costa Rios, ao sul da cidade, procurou a policia militar e contou seu triste fado: segundo ela, no final da tarde de ontem recebeu aquela famosa mensagem no seu celular:
“ Olá, você é dona da linha xyz? Essa linha foi sorteada na promoção especial da Vivo. Você acaba de ganhar R$20 mil reais! Voce só tem que fazer o seu cadastro para receber seu premio…”
Que maraviiiiilha! Em pleno feriadão chato de meio de semana de sol de rachar mamona na sombra, ganhar vinte mil reais assim de bandeja. Que sorte a da jovem C.S.M.!!!
Percebendo que a jovem engolira a isca, quero dizer, que a usuária da linha havia se interessado, ‘o’ vivo operador ‘da’ Vivo foi passando as instruções. C.S. foi ao caixa eletrônico mais perto de sua casa e fez um deposito na conta indicada, no valor de R$1.499!
Um minuto depois recebeu nova mensagem ‘do’ vivo! “Olha, o dinheiro, não sabemos porque, não entrou na conta! Voce tem que repetir o deposito! Mas não se preocupe… O valor será estornado ou então devolvido pra você junto com o prêmio de R$20 mil.
… E dona C.S. depositou mais R$1.499 na conta “do” vivo e foi pra casa! Meia hora depois recebeu nova mensagem:
– Desculpe, infelizmente tivemos um probleminha aqui. Seu deposito não entrou na nossa conta. Você terá que repetir o deposito novamente… no valor de R$3 mil!
Não se sabe exatamente como, – pois dinheiro não nasce no jardim e nem em contas bancarias! – dona C. conseguiu o dim-dim e repetiu os depósitos. Um de R$2.799,66 e outro de R$ 199,87!
Depois de depositar quase seis mil reais na suposta conta da Vivo, dona C. perdeu o contato com o ‘setor de premiação’ da operadora. Passou a noite acabrunhada, na incerteza se receberia ou não seu premio e seus depósitos de volta, torcendo para receber um novo telefonema da Vivo!
E não é que o ‘vivo’ telefonou de novo! ‘Vivo’ e ousado, muito ousado. Telefonou e disse que estava tudo certo para C.S. receber seu prêmio de R$ 20 mil e seus depósitos de volta. Ela só tinha que fazer mais um depositozinho básico de R$ 800 reais!
E o que a jovem C.S., de 28 anos, portadora de diploma de 2º grau, fez hoje de manhã? Depositou mais R$ 800 na conta ‘do’ vivo!
Algumas horas depois de total silencio do seu aparelho, sem nenhum sinal ‘do’ vivo, ou do seu prêmio de vinte mil, ou ao menos da devolução dos seus depósitos de quase sete mil, ela resolveu ir ao banco sustar os depósitos, e tomou um susto!…  já era tarde!
De uma cidade qualquer do país, ‘um vivo’ já havia sacado o ‘premio’ de R$6.800 depositados à prestação pela jovem e ingênua C.S.M.! E ela ficou só com o cabo do guarda-chuva na mão…!

Afogado no Rio Itaim

O corpo foi encontrado no final da tarde desta quarta-feira,15, no bairro Boa Vista, município de Estiva, a 30 quilômetros de Pouso Alegre e 170 de São Paulo, onde a vitima morava!

Debaixo desta ponte, no Rio Mandú, Juarez havia sido assaltado em setembro de 2011…!

A morte do pedreiro Juarez Izidio da Silva, por afogamento ainda é mistério. Teria ele caído no rio cujas aguas mal cobrem a canela? Teria passado mal e caído na agua? E o que ele estaria fazendo tão longe de casa? Essas são perguntas cujas respostas dificilmente virão à tona.
A perita da policia civil que esteve no local, não encontrou nenhum vestígio de crime. Os exames de necropsias também detectaram apenas afogamento.
Apesar de portar na algibeira sua carteira com documentos que o identificavam, ninguém o conhece nas cercanias do local do encontro do cadáver. Um ‘holerith’ da firma onde trabalhava, encontrado em seu bolso, foi o fio da meada para achar seus familiares. A própria medica legista que o examinou cuidou da investigação. Ao contatar a empresa sediada na capital paulista, foi informada que o cidadão Juarez estava desaparecido há pelo menos dois dias. Sexta-feira,10, fora seu último dia de trabalho. Com isso a família foi localizada e avisada da fatalidade.
Juarez Izidio da Silva, alagoano de Arapiraca, não registra antecedentes criminais no Estado de Minas, mas já levantou poeira em terras manduanas. Em setembro de 2011, quando saiu para fazer um programinha sexual com uma ‘mariposa da Perimetral’, em Pouso Alegre, ele foi assaltado debaixo da ponte do Rio Mandú!
Identificado o morto e entregue seu corpo aos familiares, persiste ainda uma certa aura de mistério no ar… Como uma pessoa adulta, madura, se afoga num rio de aguas tão rasas, tão longe de casa?

Assalto frustrado na pizzaria

“Fiona” foi preso poucos quarteirões depois do local do crime, com a res furtiva na algibeira. Desta vez o crime da pizzaria não acabou em pizza!

O assalto pé-de-couve aconteceu na noite ainda criança desta quarta-feira, 15, no bairro Cruzeiro, ao sul de Pouso Alegre. O guampudo jovem entrou na pizzaria com o pretexto de fazer um lanche, pediu um copo d’agua e de repente sacou uma lapiana e disse a que veio:
– Perdeu Mané, gostosuras ou travessuras?
O comerciante não estava disposto a entregar a ‘gostosura’ e tentou impedir o roubo… E acabou sentindo o frio da lamina branca do assaltante! O primeiro golpe rasgou sua camisa e raspou a costela, o segundo acertou sua mão!
Os homens da lei foram chamados e alcançaram o meliante no bairro vizinho, o Costa Rios, antes que ele entrasse na ‘baixada do Mandú’. Ele ainda levava na algibeira os quase R$ 100 reais roubados a preço de sangue da pizzaria e a faca usada no crime, e resistiu! Primeiro tentou pular um muro e, não conseguindo, encarou de frente os policiais, com a faca em riste. No entanto, como o meliante não é do tipo que rasga dinheiro, diante dos canos frios das .40, ele preferiu se entregar!
Allyson Jose Pereira Azarias, completou 18 aninhos no mês de maio passado, mas está na estrada do crime contra o patrimônio há vários anos. Começou a furtar e roubar para alimentar outro crime: o uso de drogas! Na semana passada a vítima foi sua própria mãe, que tenta colocar comida na mesa catando recicláveis pela cidade. Na ocasião Allyson furtou o botijão de gás da mãe para trocar por pedra bege fedorenta!
Nos próximos meses Allyson “Fiona” fará abstinência forçada de crack e de roubos, no Hotel do Juquinha!
O pizzaiolo ferido com dois golpes de faca, foi medicado no nosocômio regional e passa bem!

O que você faz com seu lixo eletrônico?

MUTIRÃO DE LIXOS ELETRÔNICOS

APROVEITEM POUSO ALEGRE E REGIÃO

Será dia 18/11/2017 das 09:00 ás 16:30 na Rua Coronel José Inácio,Centro ( Rua da Rádio Difusora),em frente o numero 199 ( Mundo Das Antenas)

Aproveitem para destinar corretamente seus lixos eletrônicos com a RV Lixos Eletrônicos

Venham tragam seus Lixos Eletrônicos( iremos recolher qualquer tipo de aparelho eletrônico,sem exceções)

…APROVEITEM…

–Nossa novidade:
Estaremos recolhendo Lampadas de Led e cartões com chip seja eles de banco,TV por assinatura e também os chips de aparelhos celulares!

–Iremos distribuir alguns brindes no mutirão

“Neusinho” caiu…

Ele foi preso vendendo farinha no mais antigo ‘point’ de drogas da cidade. É sua primeira cana depois de completar 18 anos, há dois meses, no inicio de setembro

Denúncias de amigos ocultos da lei levaram a policia militar à Rua Oscar Dantas, o mais antigo point de drogas da Baixada do Mandú ao meio dia desta terça-feira,14. Segundo o informante, um garoto magro, bem jovem, com cabelos descoloridos estava a todo vapor fazendo o nefasto comercio de drogas na esquina da Jose Antonio Dantas.
Ao se aproximar da biqueira móvel, os policiais constataram que o formiguinha era o velho conhecido “Neusinho”, figurinha fácil no álbum do crime por infringir vários artigos do código penal e o artigo mais incisivo da Lei 11.343, o artigo 33.
Depois de observar por alguns instantes o modus operandi do garoto dos cabelos descoloridos, os homens da lei deram o bote! E tiveram que usar uma gravata para segurá-lo!
Irineu Ferreira da Silva Neto, o “Neusinho” de cabelos descoloridos tinha bons motivos para tentar escorregar dos braços da lei… É que na sua algibeira havia R$1.169 reais em notas de porta de igreja, comumente usadas no comercio… de drogas. A poucos metros, atrás de uma placa pregada em um poste, como avisara o amigo oculto da lei, havia 22 barangas de farinha do capeta.
Segundo o delegado Renato Gavião, o qual sentou “Neusinho” ao piano, ontem mesmo ele posou para fotos nas redes sociais exibindo um trezoitão. Ainda segundo o observador paladino da lei, a bravata do garoto de cabelos descoloridos, que completou 18 anos no inicio de setembro, é relativa, pois, ao ser preso ele fez nas calças… aquilo que comumente se faz no vaso sanitário!
“Neusinho” disse que o destempero aconteceu no momento em que o soldado aplicou-lhe a gravata e apertou demasiadamente seu pescoço.
O trabuco exibido ontem nas redes sociais não apareceu, mas o 33 da Lei antidrogas foi suficiente para mandar “Neusinho” para o Hotel do Juquinha.

Arrastão na cafeteria

Se o provável pedinte foi acintoso ao usar uma maçã para agredir a vitima e roubar sua bolsa na porta da clinica, o trio de meliantes que assaltou a cafeteria foi no mínimo ousado! O crime aconteceu debaixo do sol forte das 13:00h de sexta- feira, 10, no bairro Santa Rita I, a poucos quarteirões do Fórum da Comarca!

O assalto aconteceu a poucos quarteirões daqui…


Empresários, um advogado, uma professora, um vendedor, além do comerciante e seus funcionários estavam no “Monte Nobre Café” quando o trio de assaltantes chegou, cada um portando um trabuco. O mais assanhado encostou no balcão, fez as ameaças de praxe e deu as ordens: queriam tudo que o comerciante e seus clientes tinham na algibeira. Enquanto ele mantinha todos sob a mira do trabuco, seus comparsas passaram a sacolinha! Foi uma coleta e tanto! Os bandidos levaram 5 celulares de clientes e dois do comerciante. E roubaram também R$3.764 em espécie, dos clientes e R$2.400 do comerciante.
Antes de dobrarem a serra do cajuru, o assaltante obrigou todo mundo a ficar pianinho, sem chamar a policia, na cozinha da cafeteria, até que eles estivessem bem longe.
E como o segundo final de semana do ‘novembro azul’ estava fadado a ter um roubo por dia, no sábado à tardinha dois guampudos usaram uma faca para subjugar um vendedor de títulos Sul Minas Cap no bairro São Camilo. Os ladrões roubaram 200 reais do vendedor.
Pra fechar o final de semana, no domingo à noite, um guampudo usou um revolver, possivelmente um 38, para tomar o celular de uma dona de casa a caminho da padaria, no Foch.
Até o momento nenhum dos meliantes dos quatro roubos do ‘novembro negro’ sentiu o frio das pulseiras de prata!

Meliante usa maçã para assaltar!

Depois de sete dias sem crimes violentos em terras manduanas, ‘novembro azul’ começa a amarelar! Além do aumento dos furtos, os roubam voltaram a acontecer! O mais acintoso aconteceu ao meio dia e meia desta segunda,13, no bairro Santa Lucia em Pouso Alegre. O assaltante usou como arma uma maçã!!!

Dona Terezinha havia acabado de sair de uma clínica acompanhando sua mãe, quando o meliante moreno claro, estatura mediana, de menos de 20 anos, usando chinelos, bermuda e camiseta se aproximou comendo uma maçã. De repente o guampudo jogou a maçã no rosto da senhora e tentou agarrar sua bolsa. Ao intervir em defesa da filha, dona Geni, de 84 anos foi jogada ao chão pelo assaltante. Com mais um empurrão em Terezinha, o guampudo conseguiu tomar sua bolsa e dobrar a serra do cajuru, levando com ela o celular e R$350.
O crime só foi registrado uma hora e meia mais tarde, depois que a farmacêutica conseguiu socorrer e acalmar sua mãe.
O violento assaltante deve ser um destes pedintes que circulam dia e noite pelas ruas da cidade com cara de pelamordedeus! A maçã, usada para distrair e assaltar as duas senhoras na porta da clinica, certamente ele ganhou de alguma alma bondosa que tentou matar sua fome!

Roubo famélico

A dupla disse que roubou para comprar comida! Depois de prender os assaltantes a polícia levou uma cesta básica para a família deles!

O imbróglio aconteceu na simpática Jacutinga, cidade que homenageia a sorrateira ave ‘Penelope Ochrogaste’, a 84 quilômetros de Pouso Alegre.
Passava pouco das nove da noite deste sábado, 11, quando o jovem Felipe Thadeu de Melo, 21, chegou à porta da loja “Altas Horas” e perguntou se tinha ‘todinho’! Diante da resposta positiva, ele disse que iria lavar os pés e se afastou. Voltou um minuto depois com os pés limpos. Atrás dele entrou Fabio Rosa Soares, 26. Enquanto Felipe pegava os todinhos na prateleira, Fabio sacou uma lapiana e ameaçou fazer picadinho da dona da loja e do seu ‘cliente’ Felipe, caso não tivesse seus pedidos atendidos!
O primeiro pedido que fez foi o dim-dim do caixa. Em seguida pediu o celular da loja. E para completar o engodo pediu o celular do freguês Felipe Thadeu. Ao ver o assaltante sair correndo com o dinheiro da loja – cerca de 120 reais – e seu celular, Felipe Thadeu também saiu correndo atrás do assaltante.

A polícia militar rondava casualmente as imediações e por isso chegou ao “Altas Horas” em baixíssimo tempo… menos de dois minutos! E saiu na sombra do assaltante. Em menos de dez minutos alcançou Fabio Soares. Ao seu lado, belo e formoso, caminhava o comprador de todinho, Felipe Thadeu de Melo, já com o celular ‘roubado’ na algibeira! Eles eram comparsas! O pretexto de lavar os pés ao lado da loja era apenas para avisar o ‘parça’ que a comerciante estava sozinha no estabelecimento! Ambos haviam trocado as roupas usadas no momento do roubo minutos antes.
Apesar da engenhosidade do crime os assaltantes são pés-de-couve. E necessitados! estão passando fome!
– Nós roubamos para comprar comida, pois temos mulher e filhos em casa para alimentar – disseram Felipe e Fabio.
Antes de levar a dupla de assaltantes para a Delegacia Regional de Pouso Alegre, os policiais visitaram seus familiares e confirmaram a chorumela de Felipe Thadeu e Fabio Rosa. E, sensibilizados com a penúria da família dos assaltantes, providenciaram uma cesta básica e pediram apoio à Assistência Social da cidade para ampará-las.
Plagiando o saudoso e folclórico Vicente Mateus, “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”… Por isso e apesar disso, Fabio Rosa Soares e Felipe Thadeu de Melo, sentaram ao piano, assinaram o 157 e subiram para o Hotel do Contribuinte!
Ao menos os dois terão casa, comida e roupa lavada gratuita… por algum tempo!

Monica & Capeta… De novo atrás das grades

Ele foi preso na rua…Ela dentro de casa, tentando eliminar a prova do crime!

Uma das prisões de Capeta foi em 2013, – foto – na saída do supermercado, levando uma picanha na cueca!

A prisão – de novo – dos velhos clientes da justiça, aconteceu no inicio da madrugada deste domingo, 12, na Baixada do Mandú. Ao ser abordado na porta de sua casa, na Trav. Joaquim Pedro de Castro Jose Renato Coutinho levava na algibeira 05 barangas de farinha do capeta. Quando os policiais entraram na sua casa, depararam com Monica, toda agitada, tentando dispensar outras 27 barangas da mesma droga no vaso de descarga. Não deu. Tanto ela quanto ele receberam as pulseiras de prata, pegaram carona no taxi do contribuinte e foram sentar ao piano do paladino da lei na DP.

Monica foi presa em maio de 2015, dentro do Hotel do Juquinha, com maconha na vagina! Em fevereiro deste ano voltou a ser presa quando tentava entregar 13 barangas de farinha a um ‘cliente’ na beira do Rio Mandú!


Jose Renato Coutinho, o “Capeta”, 47, figurinha fácil no álbum da policia desde que o tráfico de drogas era ‘regido’ pela charmosa Lei 6368, e Monica Ramos dos Santos, 39, assinaram mais um 33 e desde a manhã do domingo já estão hospedados por conta do contribuinte no Hotel do Juquinha!