Ladrões levam R$ 62 mil em cigarros

A ‘queima’ aconteceu ao pé da manhã desta segunda-feira abençoada por Santa Rita de Cassia, no Algodão.

Depois de um final de semana de temperatura fria, e criminalidade morna, em Pouso Alegre, com apenas 09 furtos e um roubo pé-de-couve, a segunda-feira, 22, começou quente – como tem sido nos últimos meses! Logo de manhazinha um vendedor de cigarros sentiu um friozinho na espinha ao ver o cano frio de um trabuco.
O sol mal havia colocado os bigodes para fora quando o motorista M.C.A. subiu na sua Ducato no bairro São Cristóvão, pediu a benção do protetor dos motoristas e pegou a estrada. Mas não foi longe! No final da Prefeito Olavo Gomes de Oliveira, no Costinha, antes de entrar da Fernão Dias, ele teve que parar. À sua frente, na curva de acesso, parada na pista, estava uma Parati velha. Antes que Marcelo engatasse a ré, um gol parou colado na sua traseira e um dos ocupantes levantou a fralda da camisa exibindo o cabo do trezoitão. A parada foi rápida. No minuto seguinte já estavam rodando novamente pela Fernão Dias. Só que Marcelo agora era passageiro! Sua Ducato com cerca de R$64 mil em cigarros era conduzida por um dos assaltantes. O outro ocupava o assento da porta. A viagem seguiu tranquila até o Algodão. Lá, na estrada de terra a poucos metros do asfalto, outra Ducato esperava por eles. O transbordo da carga de cigarros durou poucos minutos, ao cabo dos quais, o vendedor de cigarros retomou a liberdade, com uma recomendação:
– Pode ficar sentado atrás do volante da Ducato. Mas não saia daqui antes de meia hora… – disse o assaltante alisando o cabo do trezoitão.
Tão logo viu a Van sumir na Fernão Dias sentido São Paulo levando sua carga de cigarros, Marcelo avisou a firma e chamou a polícia. Mas… Só o pó! Aliás, só as cinzas da carga de R$ 62 mil em cigarros!

Criada a “Amo Fatima I”

A associação pretende, entre outros objetivos, zelar pela segurança dos moradores e preservar a área verde do bairro – a mais extensa e bela do município!

Criado em 1980, o bairro N.S.de Fátima em Pouso Alegre, tem 360 residências. O bairro abriga uma creche, um posto de saúde, um centro de atendimento à mulher, um CIEM, o Colégio Anglo e a FUVS. Na divisa da mais pomposa via gastronômica, incluindo concessionárias de veículos, o Fátima I tem a maior e mais bela área verde urbana do município. E tem mais um cartão de visitas – literalmente! – diariamente, no inicio da manhã, final a tarde e início da noite, aproveitando a topografia plana do bairro moradores dos mais diversos cantos da cidade fazem caminhadas pelas ruas do Fátima I.

Foi pensando nesses ‘atributos’ e ‘atividades’ que um grupo de moradores resolveram criar a associação. Além da integração entre os moradores, e demais objetivos que movem uma comunidade, a diretoria focará suas atividades no zelo pela segurança e preservação do meio ambiente.

A “Amo Fátima I” nasceu no dia 29 de março de 2017 quando, na primeira assembleia com a presença de quase um terço dos moradores, foi escolhida a diretoria provisória. Desde então a diretoria, incluindo os membros do Conselho Fiscal, tem se reunido semanalmente nas dependências do CIEM de Fátima para criar o Estatuto da associação.
A Assembleia Geral do dia 07 de junho de 2017 tem apenas 02(dois) dois assuntos na pauta:
– Leitura e aprovação do estatuto, e
– Homologação da diretoria e conselho fiscal.
Por questões de espaço, conforto e acústica, a Assembleia Geral Extraordinária, extraordinariamente será realizada no Plenário da Câmara Municipal de Pouso Alegre. Para tal, cada casa do bairro Fátima I estará recebendo, nesta segunda feira, o convite formal para a assembleia do dia 07 de junho.

Policia prende suposto sequestrador da companheira em Pouso Alegre

Ele é acusado de estuprar a companheira e mantê-la em cárcere privado desde o inicio da semana.

A noticia do suposto sequestro chegou ao conhecimento da polícia de Pouso Alegre através da delegacia de policia de Peruibe-SP. Segundo a congênere paulista, Wagner Roberto dos Santos havia sequestrado a companheira Mariana Martins Silvestre na segunda feira e estaria desde então mantendo-a em sua companhia e tendo relações sexuais com ela contra sua vontade. Ainda segundo o informe, Mariana teria passado mal e fora internada por ele no hospital Regional Samuel Libânio em Pouso Alegre. Foi nas imediações do sobredito nosocômio que Wagner Roberto recebeu as pulseiras de prata da lei nesta quinta-feira,18.
Segundo Mariana, desde a segunda-feira o companheiro a mantinha sob efeito de drogas e mantinha relações sexuais com ela contra sua vontade, até que ela passou mal e precisou ser levada para o hospital. Ela será submetida a exames de corpo de delito de crime sexual.
Wagner Roberto dos Santos, 37, conhecido pela alcunha de “Marron”, morador de Ipuiuna, tem varias passagens pela policia por ameaças e débito alimentar. Se o IML confirmar lesões sexuais contra Mariana, ele poderá responder por estupro.

Meliantes voltam do recesso…

… E até uma empregada domestica entra em cena e furta a patroa!

Depois do assalto atrapalhado na porta do banco Itau, onde o assaltante teve que atirar na comerciante para tomar sua bolsa, os meliantes de plantão resolveram tirar folga. Mas o recesso durou só um dia! Na terça-feira eles já colocaram as manguinhas – as faquinhas e os trabuquinhos – de fora! Foram 22 furtos e 4 roubos em Pouso Alegre desde então.
Teve roubo a mercearia, teve roubo a caminhoneiro na Fernão Dias, teve roubo a transeunte. Num deles o assaltante levou a fortuna de R$10 e acabou sendo preso! Teve furto de moto, furto de carro, furto de celular, furto à residência, furto em fábrica de cadeados e até um furto de dinheiro e cordão de ouro do armário de um técnico de enfermagem dentro do hospital regional Samuel Libânio!
O caso mais interessante, no entanto, ainda que insignificante, foi o furto ‘domestico’, cometido por uma empregada no bairro Santa Rita, no final da manhã desta terça, 16. O furto foi percebido pela patroa quando ela chegou ao banco para fazer o deposito e o envelope com o dim-dim não estava mais na sua bolsa! A empresaria, que antes havia deixado o dinheiro dentro de um envelope, dentro da sua bolsa, dentro do carro aberto dentro da garage por apenas alguns minutos, onde só havia a empregada, voltou para casa e chamou a empregada na chincha! Pressionada pela patroa, Elenise Satiro admitiu o ‘deslise’!
– Desculpe patroa, eu não sei o que deu na minha cabeça. Fui eu mesmo que pegou o dinheiro. Ele está escondido na lavanderia – confessou a empregada com cara de pelamordedeus!
A prova do crime, ou seja, o envelope que continha os R$322, Elenise disse ter queimado na pia, para sumir com as cinzas!
O detalhe ainda mais interessante nesta história, é que empregada Elenise já havia trabalhado na mesma casa anteriormente e havia sido despedida por causa de pequenos furtos!
– Depois de um tempo eu resolvi dar a ela uma segunda chance e a contratei de novo – contou a empresaria furtada pela segunda vez!
Elenise Satiro,41, desta vez saiu do serviço no taxi do contribuinte e foi sentar-se ao piano do delegado de plantão na DP. Para evitar a hospedagem gratuita no Hotel do Juquinha, a doméstica, que não é ladra, mas escorregou nos trezentos e vinte dois reais, terá que desembolsar um salário mínimo de fiança!

Preso foge da Delegacia de Policia

O fato aconteceu no final da noite desta segunda,15, na delegacia regional de Pouso Alegre. Mas a liberdade durou apenas três horas!

Numa noite fresca de 1982 sentimos pela primeira vez o dissabor de ver um preso escapar pelo vão dos dedos. A sensação é parecida com chupar cabo de guarda-chuva velho! Interrogávamos um suspeito de pelos menos meia dúzia de furtos a residências em Pouso Alegre. Sabíamos quem eram os ladrões… faltavam as provas! A confissão era uma delas! Quando ele começou a abrir o livro, fui à Inspetoria da velha delegacia da Silvestre Ferraz, duas salas ao lado, checar suas informações no livro de “registro de crimes contra o patrimônio”. Como não encontrei o BO a que ele se referia, o Adair foi me ajudar. Enquanto procurávamos, o Paixão também chegou para ajudar. E o preso ficou no ‘confessionário’ aos cuidados apenas do Barbosa! Não havia riscos. Afinal, o preso estava algemado, sem o cinto, com a calça na mão, justamente para dificultar seus movimentos! Dois minutos depois o Barbosa também chegou à Inspetoria para ajudar a procurar o tal registro. No minuto seguinte nós quatro perguntamos juntos:
– Quem está no ‘confessionário’ com o preso ???
Ninguém. E não havia necessidade. Não havia mais preso no confessionário! Foram necessários poucos segundos para que ele batesse asas!
Quando estávamos no meio da rua tentando avistar sua sombra em cima do telhado da velha delegacia, único local possível para se fugir, o Mauricio Chiarini que chegava em casa com amigos, ao lado da delegacia perguntou:
– Vocês estão procurando um preso que fugiu algemado e seminu? Nós acabamos de encontrar com ele lá perto do portão da Rinha…!
Demorou vários meses para esclarecer aqueles furtos…
Naquele mesmo ano eu estava no mesmo confessionário interrogando o Peixinho, às dez da manhã. Quando ele terminou de contar para quem havia vendido a televisão furtada do Dr. Afonso Celso, eu fui à inspetoria pedir uma viatura para continuar as diligencias. Um minuto depois o colega Mairinques, que havia ficado com o Peixinho, também chegou à Inspetoria. Antes que eu perguntasse a ele onde estava o nosso preso, o detetive Pomarola, – que na época era ainda um meninão gordo e cabeludo que trabalhava com seu pai no escritório em frente, me respondeu… Depois de bater timidamente nas minhas costas ele falou… com a boca e com os braços:
– Saiu um cara algemado correndo ali do fundo da delegacia!
Era o nosso preso Peixinho… Ensaboado!
Esse eu consegui recapturar. Corri sem vê-lo por vários quarteirões, atravessei a linha férrea da Avenida Brasil, entrei na várzea do Aterrado e finalmente o alcancei na beira do Rio Mandú – essa história está na pagina 37 do livro “Meninos que vi crescer”!
Fugas de presos são assim… Basta um descuido do policial, e o preso, que nunca se descuida, bate asas e levanta voo! Mesmo que ele esteja sem o cinto, tendo que segurar as calças, ou com as mãos presas por algemas, se houver possibilidade de fugir… ele foge! Motivo para o bandido fugir não falta: ele não tem nada a perder! E pode ganhar um valioso prêmio… a liberdade!
No final da noite desta segunda, 15 de maio, aconteceu mais uma fuga deste tipo na delegacia de polícia civil de Pouso Alegre. Quem dobrou a serra do cajuru foi o meliante Wagner Aparecido Roque, 27. Ele havia sido recapturado duas horas antes na cidade de Cachoeira de Minas. Wagner o “Negão” era fugitivo da cadeia de Itajubá, para onde fora levado uma semana atrás, depois de ser preso preparando para dar o bote em um posto de combustíveis na vizinha Piranguinho.
Negão, 27 anos, está na estrada do crime desde o fim da adolescência. No entanto, não costuma criar raízes atrás das grades. E é do tipo valentão! Daqueles que gostam de rolar na poeira com os homens da lei. Em 2011 a Juíza Criminal da Comarca de Itajubá mandou chamar Negão à sua presença para dar-lhe uns puxões de orelha. Negão, que estava cumprindo pena no regime aberto, engrossou com a juiza! Quando os policiais chegaram para conduzi-lo para o presidio, Negão rolou na poeira com os homens da lei…! Mesmo na presença da ‘Mulher da Capa Preta’!
As onze e meia da noite desta segunda, depois de ter sido preso num mocó em Cachoeira de Minas, Wagner Negão esperava no ‘corró’ da DP o momento de pegar o taxi do Magaiver para o Hotel do Juquinha. Mesmo dentro do ‘corró’ ele continuava com as pulseiras de prata. Mas bastou um minuto de descuido para Wagner Negão bater asas e levantar voo! Três horas mais tarde ele voltou a andar no taxi do contribuinte. Wagner Negão foi novamente recapturado às três da manhã na BR 459, perto da Maria Fumaça.
Apesar de ter sido recapturado poucas horas depois da fuga da DP, pelos mesmos policiais que cochilaram, Wagner Negão deixou uma peteca quente para os policiais segurarem!

Policia prende senhora de 61 anos … furtando

Ela foi flagrada pelas câmeras do “Big Brother” de uma loja no centro de Pouso Alegre.

Dona Ivone não sabe como brincos, anéis, cremes e perfumes foram parar dentro da bolsa dela!

Pequenos furtos em lojas, supermercados, farmácias em Pouso Alegre tem aumentado consideravelmente. Nem a presença de seguranças de caras fechadas que ficam na porta dos estabelecimentos de braços cruzados esperando para convidar o meliante sorrateiro para o ‘café na gerencia’, e o famoso Big Brothers, tem evitado tais furtos.
A maioria dos meliantes é nóia em busca de algo que possa trocar por uma baranga de droga. Os pratos prediletos são produtos de higiene pessoal, brinquedos, ursinhos de pelúcia, produtos de beleza, peças de carne. Muita gente já saiu do supermercado com a picanha dura, gelada, dentro da cueca. Tem uns que costumam furtar bebidas… Anos atrás o ‘Coelho Ly’ furtou um litro de whisky. E no caso dele, não foi para ficar mamado ou trocar por pedra! Ele queria furtar qualquer coisa que o levasse de volta para o velho Hotel da Silvestre Ferraz, onde havia deixado ‘Ley’, o irmão gêmeo e os demais manos de caminhada! Estava com saudade…!
As vezes, no entanto, tais furtos sorrateiros são praticados por pessoas aparentemente acima de qualquer suspeita. Tempos atrás uma freira foi flagrada na saída do Baronesa com a bolsa cheia de barbeadores descartáveis!
Muitos desses furtos são cometidos por portadores de “cleptomania”, pessoas que não resistem ao impulso de fazer coisa proibida, de burlar a vigilância, mesmo sabendo que é errado e que não trará nenhum proveito. Quando isso acontece, os anjinhos da guarda que acompanham tais ‘cleptomaníacos’ sorrateiros ficam de queixo caído, boquiabertos, sem acreditar no que estão vendo!
– Não!!! Não acredito no que estou vendo! Não! Voce não está colocando estes objetos na bolsa! Não! Qualquer um, menos você! Me recuso a acreditar que você vai surrupiar estes objetos insignificantes nesta loja! Meu Deus! Eu não vou conseguir te salvar!!! As câmeras estão filmando! Você vai ser preso! – descabelam os pobres anjos da guarda.
Pois é, os anjos da dona Ivone devem ter ficado boquiabertos no final da manhã desta quarta-feira quando ela entrou numa loja popular no centro de Pouso Alegre. Justo ela com aparência tão sóbria! Tão respeitável… Tão… acima de qualquer suspeita! Mas ela escorregou! E depois na delegacia, disse que não se lembrava de nada! Quando dona Ivone entrou na loja na praça Senador Jose Bento, a vendedora logo ligou as antenas e avisou a patroa. E o big brother gravou tudo! Quando dona Ivone saiu da loja levando na bolsa brincos e anéis, sem passar pelo caixa, a casa caiu. Levada para a delegacia, constatou-se que na bolsa da respeitável senhora havia, além das bijuterias, oleos hidratantes e perfumes também furtados da loja Boticário da Com. Jose Garcia. Lá ela havia passado batido.
Ao sentar ao piano da delegada de plantão, dona Ivone disse que não sabia como os produtos furtados foram parar na sua bolsa!
– Eu não lembro de nada… – disse a senhora.
Pior! Durante a oitiva, dona Ivone começou a tremer e disse que estava passando mal, estava tendo um ataque cardíaco! Coincidentemente havia uma medica na delegacia e a socorreu. Porém, no momento em que estava sendo entrevistada pela medica o celular de dona Ivone tocou. Ela então interrompeu a entrevista medica, parou de tremer e atendeu o celular normalmente. Mas não disse que estava na delegacia! Disse que estava no hospital, e que logo seria liberada. Enquanto falava com o interlocutor, ela deu uma piscadela de cumplicidade para a medica que a atendia! E tão logo desligou o celular… voltou a tremer! Aliás, dona Ivone ficou bastante conhecida na DP por conta desta e de outras cenas ontem à tarde!
Mas não teve choro e nem vela e nem fita a amarela… Temendo, tremendo e não sabendo explicar a ‘mágica’ da res furtiva de duas lojas em sua bolsa, dona Ivone assinou o 155. Para voltar para Senador Amaral, onde diz que mora, ela teve que chamar um parente para pagar sua fiança de um salario mínimo fixada pela delegada de plantão!

Tentativa de estupro no gabinete do prefeito

O alcaide teria aproveitado a presença da senhora que fora à prefeitura fazer o cadastramento no programa “Minha casa, minha vida” para leva-la ao seu gabinete e agarrá-la à força!

O esdrúxulo caso aconteceu na pequena Heliodora, cidade das cachoeiras, a 54 quilômetros de Pouso Alegre. Segundo D.T.C. 29, ela foi levada para o gabinete e agarrada à força pelo prefeito municipal Alex Leopoldino de Lima. No BO que registrou na polícia militar, a senhora contou que havia ido à prefeitura fazer o cadastramento no programa “Minha casa, minha vida”, e na saída foi abordada pelo prefeito que, a pretexto de falar sobre o tratamento médico de um parente, levou-a para o seu gabinete onde o crime aconteceu.
– Quando entramos ele fechou a porta, sentou na beira da mesa, começou a dizer coisas obscenas, pegou meu braço, me empurrou contra a parede e tentou me beijar na boca à força – contou ela aos policiais.
Sem conseguir o intento, o prefeito teria mordido seu pescoço enquanto tentava bolinar seus seios. Ainda segundo a vitima, o prefeito só interrompeu sua investida quando ela pegou na maçaneta da porta e ameaçou gritar!
D.T.C. conta que saiu da prefeitura totalmente transtornada e foi direto para a casa onde trabalha sua sogra e contou-lhe o fato. Posteriormente contou também ao marido e demais familiares.
O fato aconteceu no meio da tarde do dia 25 de abril, mas chegou ao conhecimento da polícia no dia 29.
– Eu fiquei com muito medo de não acreditarem em mim. Mas hoje à tarde o prefeito foi ao meu local de trabalho e depois à minha casa. Felizmente eu não estava lá. Depois ele procurou meu sogro no local de trabalho dele para dizer que eu estava mentindo, sem ele ter dito nada… Só então criei coragem para procurar a policia – contou D.T.C., acompanhada de dois advogados de Pouso Alegre.
E contou mais. Disse que trabalha no caixa de um estabelecimento comercial na cidade e sempre que vai ao local, o aludido prefeito lhe “faz propostas de cunho sexual”!
Com a redação da Lei 12.015/2009 dada aos Crimes Contra a Dignidade Sexual, o crime do prefeito de Heliodora, ainda que não tenha passado do campo do “ato libidinoso”, em tese, se enquadra no artigo 213 do CP: Estupro.
“Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique ‘outro’ ato libidinoso: Pena: Reclusão de 6 (seis) a 10 (dez) anos”.
Como tem ‘foro privilegiado’, Alex Leopoldino de Lima, de tradicional e respeitada família de comerciantes residente no bairro São Geraldo em Pouso Alegre, depende de autorização da Câmara municipal de Heliodora para ser processado. Caso venha a ser processado e condenado, o que era para ser “minha casa, minha vida” para D.T.C., poderá ser tornar “minha casa, minha, prisão” para o prefeito de Heliodora.

Os roubos da sexta-feira

Assaltante ou cobrador?

Passava a funcionaria publica S.M.B.GP. pela Avenida Tiradentes a caminho do trabalho, na manhã desta sexta, 05, quando recebeu aquela ‘intimação’ de gelar a espinha:
– Isso é um assalto! Passa a carteira e o celular!
A senhora, no entanto, não acreditou que a sexta feira estava começando tão mal, e continuou andando. Até ouvir nova ameaça:
– Pare senão atiro!
Ainda assim ela não acreditou, e saiu correndo até entrar numa papelaria.
Como o movimento no local àquela hora era pequeno, o ousado assaltante correu atrás, e entrou na papelaria, e continuou exigindo o dim-dim. Ao ser questionado por um terceiro que apareceu em defesa da donzela indefesa, ele sacou um argumento bem original:
– Eu só estou cobrando uma dívida que ela me deve!
Mas acabou desistindo da cobrança!
E foi “cobrar” dívida em outro lugar…

Cobrador ou assaltante!

Minutos depois da frustrada tentativa de roubo na Tiradentes, o mesmo assaltante negro, de roupa colorida, – pra lá de chapado – fez nova tentativa de cobrança na Duque de Caxias. Ele se aproximou do cidadão W.R.S., perguntou as horas e quando viu o celular na mão do cidadão, disse que o aparelho era dele…:
– Esse celular é roubado. É meu. Nem paguei. Estou com nome sujo nas Casas Bahia. Mas se você me der R$ 50 pode ficar com ele… Mas se não der, vai levar um tiro!
Enquanto resolviam o impasse, os homens da lei que caçavam o “cobrador” da Avenida Tiradentes, chegaram!
Luciano Messias Caetano, 18 anos completados há menos de um mês, recebeu as pulseiras de prata e foi sentar-se ao piano do paladino da lei na DP.
Ah, a única arma que o assaltante cobrador ou cobrador assaltante possuía era… a língua!

O assaltante dos olhos azuis

E pra fechar a sexta de trabalho duro e começar o final de semana, pois ninguém é de ferro, dois assaltantes roubaram um deposito de agua e gás na Avenida Alberto de Barros Cobra. Eles chegaram numa moto escura e, como de praxe, um ficou lá fora com a motoca ligada, enquanto outro executava a tarefa. E foi fácil, pois na loja só havia uma jovem. E aí ele abusou… Depois de tomar o celular das mãos da secretaria e pegar a única cédula que havia no caixa – R$50 reais – ele obrigou a jovem a ficar de joelhos no banheiro e encostou o cano do trabuco na sua cabeça para fazer pressão! Mas não tinha mais o que levar, a não ser galões de agua! Depois de revirar também a bolsa da jovem e achar mais dez reais, o assaltante montou na garupa do ‘parça’ e dobraram juntos a serra do cajuru.
O roubo de sessenta reais, um celular e um aparelho do sistema de monitoramento de câmeras, pode custar à dupla 5 anos de cana!
Ah, o assaltante nervoso e violento, que usava capacete e touca ninja, é alto, magro, branco e tem lindos olhos azuis!

Policia prende travesti na madrugada

“Karol” foi surpreendido em cima do telhado de um ‘pet shop’!

A noticia que chegou até a policia militar, via 190, dava conta de que havia uma mulher no telhado de um pet shop da rua Dr. Samuel Libanio, tentando entrar na loja.
– O que você está fazendo aí? Perguntou o vigilante.
– Estou dando uma volta… – respondeu a figura com voz cantada.
– Quando eu disse que iria chamar a policia, ela começou arrancar telhas do telhado e jogar na minha direção… – contou o vigilante noturno da firma de segurança eletrônica.
Só faltou molhar a ponta do dedo indicador e dizer que iria me afogar..!!! – deve ter pensado o vigilante.
Quando a PM chegou ao pet shop, a ladra, quero dizer, o ladrão, ou talvez o ladra-ão, já havia dobrado a serra do cajuru. É que se tratava de um homem, que às vezes age como mulher, ou seja: um travesti! O moço, que se veste como moça, é Normando Ferreira Santos, também conhecido por “Karol”, 36, morador do Cidade Jardim.
Após atirar telhas no vigilante, Normando desceu do telhado do pet shop e passou sebo nas canelas, sendo seguido de perto até pular o muro de um quintal na rua Antonio Caixeta, onde finalmente recebeu as pulseiras de prata dos homens da lei.
Para entrar no pet shop, além de pular o muro e subir no telhado, “Norma” quebrou o vidro da janela dos fundos. Depois de danificar três sensores de segurança e revirar tudo sem encontrar nada de interessante, ele resolveu ir embora de mãos abanando, quando então foi surpreendido no telhado pelo vigilante e tentou mata-lo com uma telha. – Ou afogado em cuspe!
Embora não tenha levado nada, a cachorrada, desculpe, o arrombamento ao pet shop no meio da madrugada, rendeu ao travesti um 155 triplamente qualificado, portanto, sem direito à fiança! E lá foi Karol, mais uma vez, para o Hotel do Juquinha!

Preso durante entrevista de trabalho…

Ele não é meliante… mas tem um débito com a justiça!

A prisão do inadimplente aconteceu na recepção da empresa Delft no trevo da MG 179 às oito e meia da manhã desta segunda, 02 de maio. A polícia chegou até o procurado através de denúncias de amigos ocultos da lei, informando que ele estaria naquele local naquele horário.
Ao receber as pulseiras de prata da lei, Pedro Henrique se assustou e argumentou que não sabia porque estava sendo preso.
– Não tenho nenhuma pendência judicial. Eu tive um processo na justiça por causa de pensão, mas isso já foi acertado há quatro anos.
Bom, se foi acertado o processo quanto ao debito da pensão, faltou acertar com a justiça, pois o nome de Pedro Henrique da Silva, 64, continua na lista negra! Havia em seu desfavor, um mandado de prisão cívil, por causa de ‘pensão alimentícia’!
Por ironia do destino, o inadimplente foi preso justamente no momento em que foi fazer entrevista de emprego na construtora!
Se a falta de quitação do debito alimentar foi por causa de recurso financeiro, o credor continuará sem receber, pois o devedor perdeu o futuro emprego! E foi morar temporariamente no Hotel do Juquinha…!