Jovem surpreende ladrão com a mão na massa…

Mas não consegue evitar o furto do celular através da janela do quarto!

A temperatura na noite passada não estava muito alta; 20 graus! Mesmo assim o jovem Bruno Henrique resolveu dormir com a janela aberta, para receber o frescor da noite… E recebeu também uma mão leve! Ao se entregar às caricias de Morfeu, Bruno sonhou que uma mão entrava sorrateira pela janela e pegava seu celular…! Ao despertar com o leve burburinho do gatuno esfregando na sua janela, Bruno constatou que não era sonho! Havia mesmo um gato, de duas pernas, pendurado na janela, esticando a mão para pegar seu celular debaixo do seu travesseiro! O gatuno já estava com metade do corpo dentro do quarto. Apesar do susto, Bruno tentou segurar o gatuno. Mas ele escapou pelos vãos dos seus dedos e dobrou a serra do cajuru.
Apesar de que ‘à noite todos os gatos são pardos’, Bruno teve tempo de ver que o ousado gatuno que escalou uma parede de dois metros e meio para pegar seu celular, era branco, jovem e tinha barba rala por fazer! Da janela que continuava aberta, Bruno ainda pode ver o gatuno montar numa motoca pequena e descer em direção ao centro, levando seu Samsung J7.

Leia logo mais: Aluna denuncia assedio sexual…

Crescem os furtos em Pouso Alegre…

Mas crescem na proporção inversa ao valor da res furtiva.

O celular continua sendo a menina dos olhos dos meliantes. Mas tem aumentado também o furto de carros com mais de vinte anos de uso. Alguns desses ‘velhinhos’ não passam de ‘furto de uso’. Depois de serem usados para ir de um local a outro, e principalmente para a pratica de outros crimes mais pesados, são abandonados nas imediações do local do segundo sinistro. À estes dois crimes soma-se outro que tem se tornado frequente nas últimas semanas: o furto à residência! Na ausência do dono, ou até mesmo na presença dele! E o detalhe é que tais furtos têm acontecido nos bairros mais pobres, na periferia da cidade.
No bairro N.S.Aparecida
Ao chegar do trabalho no inicio da madrugada desta quinta, 23, os garçons João Paulo e Gediael tiveram uma desagradável surpresa… Sua casa estava toda revirada. Os ladrões levaram roupas, calçados e cerca de dois reais de ambos. Para entrar na casa dos garçons, os meliantes arrombaram a porta da cozinha.
Furto de carro velho
Só nesta quarta, 22, dois velhinhos mudaram de mãos.
Mauro G.P. Balbino estacionou seu Fiat Uno Mille na porta da casa de um amigo no bairro Portal Vila Verde, por volta de oito e meia da noite. Às dez, quando saiu da casa para ir embora, só o pó! Seu ‘milinho’ azul ano 96 já havia ido embora nos braços de outros!
O administrador Mateus Luiz Rocha estacionou seu Monza na Prefeito Sapucaí, defronte o hospital regional, às dez da noite e foi visitar um parente. Quando saiu do hospital, por volta de meia noite, seu Monza ano 1985 não estava mais lá.
Furto de celular
O ultimo furto “menina dos olhos” aconteceu no final da noite desta quarta, no ponto de ônibus da BR 459. A operadora de caixa, G.B.T. havia acabado de sair do trabalho no Serra Sul Shopping e no momento em que embarcava no ônibus que a levaria para casa, dois guampudos puxaram sua bolsa e saíram correndo. Na bolsa, segundo ela, havia R$100 e seu aparelho celular, além de documentos pessoais.
A dupla de ladrões pés-de-couve foi presa meia hora depois chegando ao bairro Cidade Jardim. Mas estava de mãos limpas. Reconhecidos pela vitima, Cleofas Jefter Mendes, 23, e Gilberto Elder Alvim, 23, confessaram o crime e disseram que haviam jogado a bolsa atrás da Via Mondo. A bolsa foi recuperada com quase ‘tudo dentro’… Faltavam o celular e o dim-dim.
Jurando de pés juntos que não pegaram o aparelho celular e nem o dinheiro, Cleofas e Gilberto – que são suspeitos de outros furtos nas imediações – sentaram ao piano, assinaram o 155 e foram se hospedar no Hotel do Juquinha.

Assaltante atira em casal de comerciantes em Cambui…

Os tiros foram disparados pelo assaltante da Honda CB 300 amarela, durante roubo à uma distribuidora de bebidas na cidade!
A pequena Cambui, no corredor entre Pouso Alegre e São Paulo, mais uma vez viveu momentos de tensão e violência. Nesta terça-feira, 21, foram dois assaltos com desfechos inusitados!

Vigilante evita roubo ao correio… sem querer!

O primeiro roubo à mão armada do dia aconteceu ao pé da fresca manhã, na agencia local dos Correios.
Ao chegar para o trabalho, o gerente foi rendido por dois guampudos armados e levado para o interior da agencia. O assalto, no entanto foi interrompido pela chegada do vigilante! Não, ele não deu tiros e nem rendeu os assaltantes! Mas, querendo ou não, ele colocou os meliantes para correr.
Ao entrar na agencia e perceber o roubo em andamento, o vigilante recuou e tentou sair correndo para buscar ajuda. Na pressa ele tropeçou e caiu ao chão, na calçada!
Com a aglomeração de pessoas que vieram socorrer o vigilante, os dois assaltantes se assustaram e desistiram do roubo! E dobraram a serra do cajuru à pé, até embarcar num Fiat Uno prata que os esperavam com o motor ligado a poucos metros dali…!

Assaltante atira no casal de comerciantes

O segundo roubo do dia na cidade que se tornou alvo preferido dos assaltantes nos últimos meses, aconteceu ao meio dia e meia.
Quando chegava ao seu estabelecimento comercial no centro de Cambui, a senhora Janete Caetano foi abordada por um assaltante, o qual tentou tomar sua bolsa com ‘tudo dentro’. Ao ver a esposa se agarrando à bolsa para evitar o roubo, seu marido, Luiz Antonio Caetano, tentou defende-la e entrou em luta corporal com o assaltante armado! O meliante então, cumpriu a ameaça implícita que todo assaltante armado faz: … mandou bala no casal de comerciantes! E fugiu, deixando marido e mulher baleados na porta da distribuidora de bebidas.
Luiz Antônio e Janete foram levados por terceiros para o hospital local. Ambos foram atingidos pelos disparos na região abdominal. Ele teve ferimento superficial e ficou em observação. O ferimento de Janete foi mais grave. Ela precisou passar por cirurgia para retirada do projétil.
Após os disparos o assaltante montou na garupa de um comparsa que esperava por ele à poucos do local do sinistro e dobrou a serra do cajuru – e talvez a Serra doa Canguava – em direção à Fernão Dias. A batata dos assaltantes da CB 30 amarela está assando!

Gislene, a parceira de Wander, volta a amedrontar…

A aparição da “nóia da meia noite” se deu no bairro Santo Ivo, no início da madrugada deste domingo, 19. Ela bateu na porta de uma residência pedindo um celular emprestado!

Passava pouco da meia noite quando Gislene bateu no portão de uma residência. A ladainha era a mesma de sempre…: quando os donos da casa atenderam, a jovem magricela, com cara de pelamordedeus, disse que sua filha estava passando mal e ela precisava de um celular para pedir socorro! Antes que os moradores da casa fizessem qualquer coisa, o filho deles – leitor assíduo deste blog – que estava na sala, foi logo alertando:
– É golpe, é golpe, é golpe!
Ao ouvir o alerta, e percebendo que daquele mato não sairia coelho, Gislene virou nos calcanhares e dobrou a serra do cajuru. Os moradores da casa abordada, não sabem dizer se o “Wander” estava ou não esperando por ela além da esquina.
Desta, como das vezes anteriores, Gislene, a “assombração da meia noite” ou “nóia da madrugada”, não cometeu nenhum crime. Mas deixou um rastro de insegurança e medo.
A leitora que passou tal informação ao blog, disse que quase entraram em pânico…
– Meu pai tinha que levar meu irmão à rodoviária para pegar o ônibus à 01:00h da manhã… Eu fiquei com medo de ficar só com minha mãe em casa e fomos todos juntos para a rodoviária! Vai saber o que uma pessoa sob efeito de drogas é capaz de fazer! – Disse a leitora preocupada!
Apesar de todo desconforto e insegurança que a nóia “Bonnie”, sozinha ou com seu parceiro “Clyde”, vem causando aos moradores de Pouso Alegre, não há muito que a polícia possa fazer pois, embora Gislene e Wander Luiz não recolha impostos, são considerados ‘cidadãos’. E como tal, tem o direito de ir e vir garantido pela Constituição Federal. Mesmo que seja em horas mortas da madrugada com pedidos estapafúrdicos. Até porque, nenhum dos infindáveis crimes atribuídos ao “casal 20 da internet” nas semanas anteriores de fato aconteceu. Tudo não passou de boatos. Inclusive o da prisão em Ouro Fino no início do mes.
Wander Luiz & Gislene, o casal 20 da Internet, ou casal “Bonnie & Clyde” ‘tupiniquim’, continua livre, leve e solto. Nosso post publicado no dia 07 de março deixou isso bem claro. Ambos estão presos apenas aos grilhões da droga!
Não há motivos para alarme. No entanto, não se pode dormir com os olhos dos outros. Não se pode dar sopa para malandro em prato fundo! As pessoas que se sentirem incomodadas, com fulcro no artigo 42 da LCP, podem e devem acionar a polícia. Afinal, de bumbum de neném ou da cabeça de nóias sob efeito de drogas – ou com abstinência dela – pode sair qualquer coisa. Portanto, antes de abrir a porta… chame a polícia!

Chiquinho da Borda provoca acidente na MG 290

Final de semana de poucos crimes em Pouso Alegre e região. E na ausência de crimes cabeludos, o BO que merece destaque é o que narra a luta de um policial militar para prender um andarilho mamado, que brincava de andar na pista de rolamento da rodovia debaixo de chuva, com risco de morrer ou de causar acidente.
E causou mesmo!

O tenebroso fato aconteceu na noite ainda criança deste domingo, 19, na Rodovia MG 290, próximo à Borda da Mata. O sargento Durães da polícia militar seguia para a cidade a fim de assumir seu turno de trabalho, quando inopinadamente um VW Gol parou na sua frente no meio da pista. O choque na traseira foi inevitável! Ao descer do seu carro para avaliar os estragos e apurar as causas, o sargento soube então que o cidadão Edilson Felix da Silva, – travestido de “Chiquinho da Borda”, – fora o causador do sinistro.
– Ele estava andando pelo meio da pista. Eu tive que parar para não atropelá-lo – explicou a motorista do VW gol.
Ao ser questionado sobre seu comportamento de risco, o cidadão aparentemente embriagado, violento e agitado, investiu contra o policial com socos, pontapés, unhas e dentes… e entraram em luta corporal. Na tentativa de se esquivar das mordidas do moço enfurecido, e dominá-lo, o policial rolou com ele na poeira – aliás, na lama, pois estava chovendo! – caíram numa valeta na margem da via e foram parar numa cerca de arame farpado. Foram cerca de vinte minutos de luta entre o policial fardado e o andarilho que mais parecia o “Chiquinho da Borda”!
Com a chegada do reforço da cidade de Borda da Mata, finalmente o andarilho encerrou a caminhada. Apesar das pulseiras de prata, Edilson continuava agitado e violento a ponto de danificar o interior da viatura policial com chutes e pontapés.
O médico plantonista do PA constatou que ambos, andarilho e policial, sofreram escoriações generalizadas ao longo do corpo.
Edilson Felix da Silva, 42, natural de Jandaia do Sul-PR, sem residência fixa, sentou ao piano do paladino da lei, assinou o 129 e… Voltou para casa! Quero dizer estrada, já que não tem residência fixa. Pois o 129 do CP é um daqueles artigos elencados no rol da Lei 9.099, cuja pena não passa de uma cesta básica ou uma semana de trabalho comunitário no asilo!
O prejuízo maior mesmo ficou para o sargento Durães, que, apesar de toda conjuntura, bateu seu Captiva na traseira do gol da tosadora!

Você viu o Alfredo?

Ele está desaparecido desde sábado!

Você tem um cachorrinho de estimação? Então é fácil para você imaginar a angustia de alguém quando perde seu animalzinho.
Pois é!
A dona do Alfredo está vivendo essa incerteza desde que o Alfredo saiu de casa, no último sábado de manhã. Ele se perdeu no bairro recanto dos Fernandes e ainda não voltou para casa. Alguém disse tê-lo visto próximo à faculdade de Direito, mas a informação não se confirmou!
O Alfredo não tem pedigree. Seu valor é afetivo. Ele tem três anos de idade e é totalmente dócil. Dorme na cama com a dona.

Ajude o Alfredo a voltar para casa.
Se você o encontrar por aí, ou se você o encontrou e recolheu na sua casa, entre em contato com a Aretuza através do WhatsApp 9.9812-2703, ou com este blog.

Faça sua boa ação da semana… Ajude o Alfredo para a sua família!

Mais uma noite de insônia no Astúrias

Desta vez a poluição sonora foi bem mais embaixo!

Asturias…


Menos de doze horas depois de ver sua queixa publicada aqui no Blog, João da Silva teve que chamar a polícia novamente para reclamar do volume excessivo de um som que não o deixava dormir em paz! Mas desta vez a poluição sonora não era produzida no cume do Residencial Astúrias! A festa, que havia começado às nove da noite e passava da hora da assombração, estava acontecendo a quase um quilometro dali, bem mais embaixo, em um sitio às margens da BR 459!
Segundo a polícia militar apurou, tratava-se de uma festa periódica dos acadêmicos de medicina nas dependências do Pesqueiro do Compadre, logo depois do Posto Bonanza. Mas o som era tão volumoso que atrapalhava o descanso do “João da Silva” e dos seus vizinhos no Pousada dos Campos. Ainda segundo o BO, no local, à meia noite e meia, havia cerca de 200 estudantes de medicina e seus convidados!
A polícia militar, como de praxe, puxou a orelha dos ‘festeiros’ e advertiu que se ligassem o som novamente seriam enquadrados no artigo 329 do CP. Os futuros médicos Antônio e Bem-Hur, organizadores da festa, baixaram o som.
Resta saber agora qual o tom que o João da Silva vai dar a mais este som nas alturas no Astúrias!

Policia Civil prende Galinha em Heliodora

O fugitivo carioca era procurado desde o final do ano passado quando matou a tiros um ex-vereador na Baixada Fluminense!

A prisão do bandido aconteceu ao pé da manhã desta quinta-feira, 16. Ele estava trabalhando numa lanchonete em Heliodora, cidadezinha mineira no sul do estado, que homenageia a musa do inconfidente Tomas Antônio Gonzaga, autor do celebre poema… “Barbara bela do norte estrela, que o meu destino sabes guiar…”.
A polícia civil de Pouso Alegre soube do paradeiro de Galinha através de denúncias de amigos ocultos da lei nesta quarta-feira, 15 e armou a arapuca. Quando o sol mostrou os bigodes na manhã desta quinta, 16, a mando do inspetor Balca, os detetives Valdo e Davi, de Natércia e de São Gonçalo do Sapucaí, já estavam de campana na bucólica pracinha da cidade. Tão logo entrou na lanchonete, na qual trabalhava, Galinha ouviu a frase de gelar a espinha:
– “teje preso”! – e recebeu as pulseiras de prata.
Alexandre Magno de Aquino Sampaio, o “Galinha”, 30, era procurado pela justiça carioca desde o final do ano passado. Ele estava com a prisão preventiva decretada por conta do assassinato do ex-vereador e ex-policial militar aposentado, Nelson Gomes de Souza, o Nelson Lilinho. O crime capital contra o político aconteceu no dia 16 de dezembro do ano passado no bairro Tomazinho em São João do Meriti, na Baixada Fluminense. Galinha e o ‘parça’ Rodrigo Siqueira Moura teriam matado o desafeto em terras fluminenses por causa de uma briga de transito. Os assassinos que estavam numa moto atiraram quatro vezes contra o ex-vereador. Dois tiros acertaram sua cabeça. O comparsa de Galinha foi preso no mesmo dia. Galinha bateu asas, dobrou a serra da cajuru, a Serra das Araras, e foi se esconder na cidadezinha das cachoeiras, a 54 quilômetros de Pouso Alegre.

Fim da linha para o “Galinha” Fluminense…


Além do assassinato do político, o meliante carioca é figurinha fácil no álbum da polícia por furtos, receptação e estelionato. A última vez que ele viu o sol nascer quadrado foi em dezembro de 2013, quando então saiu em liberdade condicional.
Enquanto espera bandeira 2 no Taxi do Magaiver para São João do Mariti, Galinha ficará hospedado no Hotel do Juquinha.

Moradores de rua arrombam restaurante no centro

O destempero dos moradores de rua aconteceu no Restaurante “Tempero Caseiro” na Com. J. Garcia.

Passava pouco da meia noite desta quarta, 15, quando transeuntes notaram as luzes do restaurante Tempero Caseiro acesas e a porta arrombada. Segundo os amigos ocultos da lei que chamaram a polícia, os fregueses madrugadores eram quatro; três homens e uma mulher.
Chamado pela polícia ao local, o proprietário constatou que os gatunos da madrugada haviam furtado a caixa registradora com cerca de R$300 em notas pequenas e moedas, e vários pacotes de cigarro. Para entrar no restaurante os meliantes usaram três barras de ferro, furtadas em um estacionamento ali perto.
O quarteto de gatunos foi preso meia hora depois na Rua Dom Assis, paralela ao restaurante arrombado. O dim-dim em notas miúdas e os cigarros ainda estavam com eles.
São todos moradores de rua com vários anos de ‘caminhada’. Todos tem origem na cidade de São Gonçalo do Sapucaí. Alguns, além de andar a esmo sem lenço, sem documentos e sem nem um passarinho para tratar, vez por outra passam a mão leve nos bens alheios, para saciar a fome.
Apesar da falta de responsabilidade, de compromissos e de não precisarem de relógios, a vida dos moradores de rua – e gatunos nas horas vagas, – no entanto, não tem sido um mar de rosas.
Leandro Ramiro Faustino, 24, tem vários registros policiais. Na maioria deles, ele é vítima de ameaças e de lesões corporais. Para piorar um pouco, ele tem convulsões! Ele já foi trabalhador da construção civil, mas teve a profissão prejudicada pelas frequentes convulsões!
Natan Expedito dos Santos, 26, foi preso em Pouso Alegre em 2012, tentando furtar uma bateria de caminhão.
Kenia Reis Sabiá, 31, é a que tem o perfil mais sinistro. Ela já foi casada, tinha um lar, mas acabou perdendo a família para as drogas. E já cometeu vários furtos pés-de-couve.
Diordi Antonio dos Santos, 37, natural de Vinhedo, o mais velho do quarteto que destemperou no restaurante Tempero Caseiro, embora já esteja há muito na estrada, não registra nenhum crime no Estado de Minas.
O quarteto sentou ao piano e assinou o 155 qualificado. Por uns tempos os moradores de rua terão casa, comida, roupa lavada, assistência medica, assistência jurídica e segurança armada… no majestoso Hotel do Juquinha!

Ibirá x Astúrias…

Onde acontecem os piores crimes?
Quem nunca foi vitima de perturbação do sossego, que atire a primeira pedra!
Colocação estranha não é mesmo? Foi de propósito. Resolvi começar este artigo pelo avesso! Não sei se vou conseguir sensibilizar alguém com isso, mas é esse o objetivo.
Nunca antes na história deste país o brasileiro falou tanto em direitos… “Dos seus direitos”.
Nunca antes na história deste país o brasileiro – jovem, de classe média, mal-educado, prepotente, insensível, impaciente, aproveitador, sob efeito de drogas licitas ou não – desrespeitou tanto o direito… “dos outros”! E ficou sem punição!

Asturias…

O loteamento Alto Ibirá está localizado no ponto urbano mais alto de Pouso Alegre. Loteamento nobre por conta da mais bela vista da cidade, o local tem sido ponto de encontro de casais de namorados, de usuários se drogas licitas e ilícitas, de pessoas solitárias que querem apenas curtir o silencio da noite da noite ou o brilho das estrelas, e até mesmo de pais corujas que querem mostrar sua cidade a seus filhos, ou quem sabe estudar astronomia! Por estar num local ainda desabitado, com um mínimo de policiamento, o local tem sido palco também de graves crimes contra o patrimônio. Só no curto período de maio a setembro do ano passado sete casais viram o cano frio de um trezoitão a pouco mais de um palmo dos olhos! Alguns chegaram a sentir o cheiro da pólvora…! Outros casais tiveram que beijar o chão frio das largas avenidas ainda desertas e ficaram sem dinheiro, sem lenço, sem documentos, sem celular e sem carro! Tiveram sorte de não ficar em trajes de Adão & Eva!

Asturias…

Os crimes afugentaram os frequentadores do local e naturalmente secaram a mina de ouro dos meliantes que até então surgiam literalmente de trás das moitas sombrias.
O belo bairro, de onde se pode avistar quase todos os bairros da cidade, voltou às páginas policiais no dia 25 de janeiro, com mais um roubo, que culminou com a morte de um estudante dias depois.
No meio do carnaval noticiamos aqui um estupro, segundo a vítima, acontecido no local. Aliás, este, mal contado, ainda vai dar pano para manga!

Alto Ibirá visto do Astúrias…

E o residencial Astúrias? Onde entra nas paginas policiais? Não entra! Perturbação do sossego alheio não tem espaço nas páginas policiais…
Mas deveria.
Tirar o direito líquido e certo do cidadão ao seu descanso é tão grave quanto tirar o ‘radinho’, a bicicleta, o carro, uma nota de cinquenta ou qualquer outro bem material!
É por isso que alguns moradores do bairro Pousada dos Campos, vizinho ao belo Astúrias, estão imolando a justiça em busca dos seus diretos ao descanso noturno.

Astúrias…

João da Silva – vou chama-lo assim para não expô-lo ainda mais aos baderneiros de plantão, e até porque ‘João da Silva’ é o típico brasileiro que diariamente tem seus direitos espoliados por pessoas que ainda não aprenderam a viver em sociedade, e pela própria lei, que no Brasil só existe para inglês ver! – um dos moradores do Pousada, não tem mais o direito de ‘pousar’ em paz! É que o ponto mais nobre do Residencial Astúrias, desde que foi pavimentado e urbanizado, se tornou point de usuários de drogas. Mas João não está nem aí para o que as pessoas andam fazendo no verão… desde que façam – de preferência longe da sua casa – em silencio! Desde que não perturbem o seu descanso. Por isso ele impetrou várias ações na justiça em busca do seu direito ao descanso.

Astúrias visto do Ibirá…

Num dos trechos das inúmeras petições que já encaminhou à justiça, João relata o desconforto causado pelos baderneiros a ele, à sua família e aseus vizinhos:
– Perdemos horas de sono por noite, pois ao acordar com o barulho, não conseguimos mais dormir! Aí temos que chamar e esperar a polícia! E Depois que eles vão embora, quando vão, devido a interrupção do sono, a agitação, o estresse, demoramos horas para dormir – desabafa – com razão – João da Silva.
Em todas as petições que fez ao douto Homem da Capa Preta, Joao da Silva anexou reportagens sobre trabalhos científicos que compravam que “dormir pouco aumenta riscos de doenças, causa confusão mental, reduz a produtividade no trabalho e reduz a expectativa de vida”. Todas as petições são fartamente ilustradas com áudios e vídeos gravados por ele durante as madrugadas de insônia a poucos metros do local da balburdia!

Astúrias visto do Ibirá…

Dentre os baderneiros ‘surdos’, alheios ao direito dos outros ao silencio noturno, pilhados acima dos cem decibéis no Residencial Astúrias, os quais deverão ser chamados na chincha e deverão sentir as iras do artigo 42 da Lei das Contravenções Penais, estão João Pedro Franco Silva, morador do centro de Pouso Alegre e Jung Nam Oliveira, morador do Cidade Jardim.
João Pedro estava curtindo funk e baladas sertanejas na madruga do dia 14 de fevereiro. O som para vizinhança toda saia do seu Chevrolet Onix preto.
Jung Nam também curtia os mesmos ritmos e gêneros através do aparelho instalado no seu Fiat Elba Weekend, a plenos pulmões, na madrugada do dia 25 de fevereiro.
Um deles, ao ser abordado, alegou que estava no local com seus amigos curtindo funk e música sertaneja, para espairecer, por causa da morte de sua avó!
O incomodado João da Silva chama a atenção do signatário da petição para o sutil escarnio do moço:
“Ora, note-se que os infratores, em seu egoísmo, pretendiam festejar após a morte de sua avó, ouvindo funk e música sertaneja (vide vídeos anexos) durante toda a madrugada, como meio de “espairecerem”, perturbando o sossego das pessoas inocentes, ocupadas e já cansadas por seus exaustivos afazeres diários, que moram nos arredores”.
Apesar de ambos estarem infringindo a lei, nenhum deles recebeu as pulseiras de prata.

Um das mais belas vistas da cidade…

A última vez que João da Silva foi trabalhar cansado, mal dormido e estressado, foi nesta quarta-feira,15! É que no meio da madrugada aconteceu outro show de funk ao lado da sua casa. O som vinha do veículo Fiat Bravo branco estacionado no cume do residencial. Eduardo Henrique da Silva, Pedro Henrique Matozzo Medeiros e Debora Matozzo Medeiros Leite, residentes no bairro Tijuca estavam no veículo. Segundo o BO, quando os policiais chegaram não havia som nas ‘alturas’. O trio foi orientado pelos policiais a deixar Joao da Silva em paz!
Segundo João da Silva, a policia militar, embora compareça ao local, constate a ocorrência do crime, libera os infratores no local! E, na maioria das vezes, como de praxe, tão logo os baderneiros veem a última luzinha colorida da viatura sumir na esquina, recomeçam a baderna! Inclusive, à titulo de vingança, ou para comemorar a impunidade, aumentam ainda mais o volume do som!

Por isso, além de noticiar o frequente crime de perturbação do sossego, previsto no artigo 42 da LCP, e pedir a consequente persecução penal aos infratores, João da Silva noticia também suposto crime de “prevaricação”, por parte dos agentes policiais, uma vez que, embora surpreenda os infratores durante o cometimento do crime, de acordo com a Lei 9.099, deveria conduzi-los à presença da autoridade policial, mas não o fazem, incorrendo nas iras do artigo 319 do CP.
João da Silva, fecha sua petição ao magno Homem da Capa Preta com um alerta; apesar dos “ incontáveis casos de perturbação de sossego e outras infrações no loteamento “Residencial Astúrias”, ninguém jamais foi conduzido à Delegacia de Polícia ex lege – o que em muito tem contribuído para a cifra negra e para a impunidade que tanto assolam não só a comarca, mas toda a nação brasileira.
Voltando ao subtítulo da matéria, onde acontecem os piores crimes?
No Alto Ibirá, onde acontecem os crimes contra o patrimônio?
Ou no Astúrias, onde acontecem os crimes contra a pessoa?
No Ibirá, as vitimas vão até lá…
No Astúrias, as vitimas não podem fugir de lá…!