Haitiano estupra criança em Extrema

ExtremaA chuvinha fina e fria baixou a temperatura do crime na região no ultimo final de semana de maio. Cidades com Pouso Alegre, Itajubá, Poços de Caldas e Varginha registraram menos de um Boletim do Ocorrência policial por hora. Santa Rita do Sapucaí, Ouro Fino e Extrema, cidades com população media de 40 mil habitantes, registrou menos de uma ocorrência policial a cada quatro horas. Os policiais passaram o fim de semana enroladas em cachecóis. Não fossem as rondas preventivas, os homens da lei quase não precisariam sair da taipa do fogão à lenha…!

A exceção nesta calmaria na criminalidade da região ficou por conta, naturalmente, da bela Passos, cidade com um terço a menos da população de Pouso Alegre. Lá, no entanto, a policia militar registrou um terço a mais dos BOs de Pouso Alegre e Poços de Caldas. O que não e nenhuma novidade, pois nos últimos cinco anos em Passos, o crime tem caminhado a passos largos…!

Apesar disso, neste fim de semana os BOs não passaram de registros de furtos, ameaças, brigas de vizinhos e infrações corriqueiras de transito.

O crime mais grave no extremo sul do Estado aconteceu na promissora Extrema, maior polo industrial da região. Embora esteja na fronteira com o Estado de São Paulo, a cem quilômetros da maior metrópole do Brasil, menos de cem de Guarulhos, uma das cidades mais violentas do Sudeste, o autor do crime praticado em Extrema veio de longe, de outro continente…

Passava pouco da onze horas da manhã chuvosa deste domingo ultimo dia de maio quando o cidadão Siltone Edrix bateu na porta da casa da vizinha C. Ao ser atendido e se dando conta de que os pais dela não estavam em casa, o moço de vinte anos pôs em pratica o hediondo crime…! Tomou a garotinha de 11 anos nos braços, cobriu-a de beijos e percorreu suas mãos bobas e assanhadas pelo seu débil corpinho impúbere, acariciando suas partes pudendas!

Enquanto satisfazia sua lascívia, o moço ‘recomendava’ à garotinha que não contasse nada a seus pais, pois teria ‘consequências’.

Mas ela contou!

Contou inclusive que esta não foi a primeira vez! Segundo a garotinha, Siltone Edrix, que é haitiano e mora com outros conterrâneos próximo de sua casa, já abusou delas outras vezes nestas circunstancias!

Após registrar o fato a pedido da mãe da garotinha, a policia militar foi entrevistar o haitiano tarado a poucos metros dali. Mas ele já havia dobrado a serra do cajuru! Caso não tenha pegado a primeira canoa para o Haiti, o imigrante Siltone Edrix, conseguirá um visto permanente no país pelos próximos oito anos… Pelo menos enquanto estiver hospedado no velho “hotel do contribuinte” de Extrema!

 

Cabeleireiro roda o Brasil aplicando golpes

A wilson IINorma Felicio é uma daquelas pessoas que sonha conquistar e dar um pouso de conforto à família. Para isso, como a maioria dos brasileiros, ela trabalha de manhã para comprar o almoço e de tarde para comprar a jantar! Como não herdou herança e nem ganhou na loteria, ele usa o talento que Deus lhe deu para cuidar da beleza e da vaidade dos outros. Sua especialidade são os ‘apliques’ afros… Aqueles cabelões falsos tipo rastafári! Para isso montou, com a filha, um salão de beleza na Rua João Basilio e outro na sua casa na Rua Cordeiro Olímpio no Aterrado. O da sua casa é tão pequenino, tão pequenino que eu passei defronte e não o vi! Só depois de levantar informações detalhadas na esquina, consegui achar o salão. O salão é pequeno mas o serviço é de qualidade. E para melhorar ainda mais a qualidade, Norma e as filhas tem buscado aperfeiçoamento.

No inicio do mês Norma conheceu um especialista na arte de apliques afros… O moço disse que mora em Belém do Pará e roda o Brasil ensinando sua arte às profissionais interessadas. Gentil, educado, delicado Wilson Gaspar Silva era a pessoa perfeita para ensinar novas técnicas de apliques à Norma e suas filhas. Com as aulas de Wilson seu salão iria crescer!

Norma ficou tão empolgada com o mestre ‘Wilson dos apliques’ que o levou para morar na sua casa. Morou lá duas semanas. Neste período usou folhas e cheques de sua filha para comprar material e ferramentas do salão. Na ultima quarta, 27, de manhã, Wilson saiu de sua casa no Aterrado e foi para o salão da João Basilio fazer unhas, levando produtos de beleza, ferramentas do salão e até um tablet da cliente Alessandra, agente de saúde do bairro. Mas não chegou ao salão da João Basilio…!

A Wilson Neste momento deve estar chegando à Belém do Pará onde diz ser radicado! Deixou Norma. Suas filhas e até a cliente Alessandra só com o cabo do guarda chuva na mão… E as contas pra pagar!

Desde então Norma passou a procurar informações do “mestre aplique” nas redes sociais. E ficou sabendo que ele ‘aplica’ mesmo… Aplica o golpe do estelionato nas pessoas que caem na sua lábia!

Segundo a própria Norma apurou, Wilson Gaspar Silva é um tremendo picareta! Por onde passa ele deixa um rastro de prejuízo… E raiva! Já deixou dezenas de donas de salões de beleza só com o cabo da escova na mão!

Wilson Silva de Belém do Pará não é bom apenas nos ‘apliques’ em salões de beleza… Ele manja também das coisas do além…! Ele aplica também o golpe do “Pai de Santo”! Em Salvador ele se apresentou em dois terreiros de Candomblé para dar uns passes e passou mesmo a mão leve em tudo que pode carregar… Deixou duas “Nhá fias” baianas falando com fantasmas!

Norma Felicio sabe que só vai ver novamente “Pai Wilson”, o mestres dos apliques afros e financeiros, na próxima encarnação e que, portanto, jamais vai recuperar seu prejuízo…! Tudo que ela quer é escrachar o picareta, para que outras pessoas bem intencionadas como ela e as filhas e a agente de saúde, não caiam na sua lábia…!

E você? Que ter aulas de ‘apliques’ com mestre Wilson?

 

 

Aconteceu o 6º homicídio em Pouso Alegre

Marcos Aparecido Marins de Almeida, tinha 40 anos e era usuário de drogas...

Marcos Aparecido Marins de Almeida tinha 40 anos e era usuário de drogas…

“Marquinho do João Corte”, “Dabordinha” ou “Gordinho”… Estes são os apelidos pelos quais podia ser chamado o cidadão Marcos Aparecido Marins de Almeida, nascido em outubro de 74 na vizinha Borda da Mata. Ele foi encontrado agonizando com vários ferimentos contusos na cabeça, no meio da madrugada desta sexta, 29 na Rua Benedita Eleuterio, na Baixado do Mandu em Pouso Alegre.

Segundo o BO que narra os fatos, ele teria sido agredido por dois desafetos, com socos, pauladas e pedradas na cabeça. Embora o informante que chamou a policia tenha dito que ele já estava morto, quando os policiais chegaram ao local ainda o encontraram com vida e tentaram levá-lo na viatura policial para o PS. Mas desistiram por falta de espaço. Quando o Samu chegou, Marcos Aparecido não respirava mais.

O medico do mesmo SAMU informou os policiais no local, que a causa mortis fora traumatismo craniano e hemorragia. Uma das enfermeiras da equipe do Samu que compareceu ao local do sinistro, moradora da cidade de Borda da Mata, reconheceu o morto como sendo Marcos Aparecido, paciente psiquiátrico daquele município. Próximo ao local em que ele foi barbaramente agredido, for encontrado uma ficha de atendimento no Hospital Regional Samuel Libanio com seu nome. Na algibeira do morto o perito que fez o levantamento pericial do local do sinistro encontrou uma “marika” para consumo de crack!

Marcos Aparecido “Gordinho” “Dabordinha” Marins de Almeida, cujo corpo foi liberado agora a pouco pelo IML de Pouso Alegre, tinha passagens pela policia por tentativa de furto e uso de drogas.

O assassinato do ‘bordiano’ ‘Marquinho do João Corte’ é o sexto ocorrido em Pouso Alegre neste ano de 2015. O quinto cujos motivos envolvem a famigerada droga ilícita! O quinto ocorrido no velho Aterrado, também batizado de “Baixada do Mandu”!

No primeiro dia do ano Luiz Henrique “Gago” foi morto a tiros nas proximidades do Campo do Bangu… No dia 03 de março o nóia Cristiano “Rocco” Lucas da Silva foi morto na margens do Mandu com um golpe de faca nas costas por causa de drogas. No dia 04 de abril o nóia Rafael Rodrigues da Silva matou a facadas o lavrador Lazaro Sebastião de Faria no terreno da Remonta, para tomar seu dinheiro para comprar drogas! No dia 18 de abril, Luan Mariosa, apontado como participe no assassinato de “Gago”, foi executado a tiros perto do Bar do Jairo… Por vingança e por drogas!

O único dos seis homicídios cometidos até agora na cidade, que não foi causado por drogas ilícitas, aconteceu no dia 22 de abril. Depois de enxugar copos juntos no Bar do Itamar a poucos metros do Rio Mandu, Jose Fernandes Bastos Filho cravou uma lapiana no peito do amigo Jose Luiz Rocha Tosta, o qual morreu no local. Neste caso a culpa foi da sedutora “Severina do Popote”…

Os primeiros cinco homicídios de Pouso Alegre em 2015 foram esclarecidos pela Policia Civil. Os assassinos de “Marquinho do João Corte” já estão com os homens da lei fungando nos seus cangotes… A batata já está assando pra eles!

Assaltou padaria do policial!

Passa a grana ou te encho de chulé...!

Passa a grana ou te encho de chulé…!

Oiiiii!

Está precisando de dinheiro? A conta bancaria no vermelho?

Não se descabele! Vá a uma mercearia, drogaria, lanchonete ou padaria e faça uma fita!

Não possui mascara, touca ninja e nem arma?

Não tem necessidade… Basta chegar lá, cobrir a cara feia com a camiseta, colocar a mão dentro da cueca e ameaçar sacar a pistola!

Mas tenha cuidado…! Não vá assaltar uma padaria ao lado da casa de um policial, pois o tiro poderá sair pela culatra!

O assalto nestes moldes aconteceu na noite ainda criança desta terça, 26 no bairro Santo Expedido. O assaltante nervoso enrolou a camiseta na cabeça deixando apenas os olhos malignos à mostra, entrou na padaria, colocou a mão por dentro da calça e avisou que queria todo o dim-dim do caixa, senão – faria xixi, certamente na dona da padaria! – iria mandar bala!

Eziquiel fez quase tudo certo... Mas escolheu a vitima errada!

Eziquiel fez quase tudo certo… Mas escolheu a vitima errada!

Mesmo desarmado Eziquiel Moreira Viana teria levado todo o dinheiro do caixa se não fosse por um detalhe! Ele estava assaltando a padaria da cunhada de um policial militar! Antes que ele colocasse a mão na bufunfa, o sargento que mora ao lado chegou e mostrou a ele uma pistola de verdade! E mostrou também um par de pulseiras de prata! A arma que Eziquiel levava escondida na braguilha era… Uma palmilha de sapato!

Com a orelha ardendo o assaltante ‘pé-de-palmilha’ foi sentar-se ao piano do paladino da lei na DP e de lá seguiu para o Hotel do Juquinha!

… E a velhinha desdentada de cabelos de trancinhas brancas fazendo crochê sentada na cadeira de balanço na varanda da casinha branca de pau-a-pique na sombra da velha amoreira repetiu seu velho bordão…:

– O mundo tá mesmo perdido, meu fio! Onde nós vamos parar…? Os bandidinhos pé-de-couve já estão assaltando até com palmilha chulezenta de sapato e não estão respeitando mais nem a padaria do policial?

PM prende trio cheirando cocaína na porta da escola

o trio da farinha :

O trio da farinha na porta da escola…: J.G.A, o do meio, é “dimenor”;  Kaique, o da direita, embora tenha saído da cadeia no dia 21 de março, continua em liberdade:  Eric, o que só fala com o Homem da Capa Preta pegou o Taxi do Magaiver e foi se hospedar no Hotel do Juquinha!

Aconteceu ao meio dia desta ensolarada segunda, 25. Os homens da lei chegaram até o local através de denuncias de pais de alunos que presenciaram o trafico de drogas ao lado do portão dos fundos da Escola Estadual Jose Marques de Oliveira, no centro de Pouso Alegre. Quando chegaram ao local os cabos Ferreira & Fernandes depararam com a cena de filme de quinta categoria… Enquanto J.G.A. segurava um aparelho celular na horizontal, Eric Julian e Kaique Alessandro cheiravam a carreira de drogas! Na algibeira de Eric havia outras duas barangas da mesma farinha e R$199 em espécie.

No momento da abordagem a farinha que estava encarreirada se perdeu no chão! Levados no taxi do contribuinte para a DP, cada um tentou tapar o sol como pode…

– Eu estava voltando da casa de minha namorada no Santo Antônio para o Aterrado e parei apenas para conversar com os amigos – disse Kaique

– Eu ia passando e vi o Kaique conversando com Eric… Então parei para lhe pagar uma divida e segurei o celular com a carreira de farinha… Mas eu não ia usar! Eu só uso maconha! – argumentou J.G.A.

– Só vou falar diante do homem da capa preta – sentenciou Eric Julian Avila de Souza com cara de home mau!

Considerando que J.G.A. estava apenas segurando a carreira de farinha e, ele tem apenas 16 aninhos, e considerando que Kaique Alessandro de Souza Pereira, embora estivesse diante da droga, nada de ilícito foi encontrado em seu poder, o douto paladino da lei decidiu liberá-los. E assim Eric, ‘o mudo’, que há dois meses completou 18 anos e já andava na mira dos homens da lei por envolvimento com drogas, comeu a farinha sozinho, desculpe, assinou o 33 sozinho. E foi se hospedar, pela primeira vez, no superlotado Hotel do Juquinha.

 

 

*** Abrace seu filho… Não deixe que as drogas o abracem!***

Assalto em Cachoeira de Minas

CachoeiraO sinistro aconteceu às nove e meia da manhã embaçada de domingo, 24, no centro de cachoeira de Minas. A vitima foi escolhida aleatoriamente pela dupla de assaltantes ‘John Lennon & Ribamar’ residentes na vizinha Conceição dos Ouros.

Maria Jose Ferreira, 39 anos, moradora do bairro Cruzeiro, havia acabado de sair de um açougue e passava defronte a prefeitura, quando o Gol GT 86 preto parou a seu lado. O passageiro John Lennon, saltou do carro, agarrou a bolsa à tiracolo de Maria Jose e tentou toma-la. Maria Jose, que sabe o quanto custa ganhar seu suado dinheirinho, resistiu e lutou com o assaltante… Mas foi vencida! Depois de dar vários socos na cabeça da vitima, rasgar sua roupa e jogá-la ao chão o assaltante foi embora levando sua bolsa com documentos, um celular e R$260.

Ladrões pés-de-couve que são, eles não se preocuparam em apagar os rastros… Foram vistos tomando o caminho do bairro Beira Rio, em direção à cidade vizinha! Quando chegaram à capital do polvilho os homens da lei já os esperavam para dar as boas vindas!

Apesar de terem sido pilhados com as provas do crime – bolsa roubada no carro e dinheiro no bolso de um deles – os artistas John Lennon & Ribamar juraram de pés juntos que eram inocentes. O reconhecimento formal da vitima, ainda com as marcas latentes das agressões sofridas na frente da prefeitura, sanaram qualquer duvida! Os assaltantes sentaram ao piano do paladino da lei em Pouso Alegre e assinaram o 157.

Com nome de ex-presidente da republica, ex-senador e ‘dono’ do Estado do Maranhão, “Jose Ribamar” Moura Venancio, 42, é figurinha fácil no álbum da policia. Ele já havia deixado seu rastro de crimes nas cidades de Sapucaí Mirim e Paraisopolis até chegar ao bairro BNH em Conceição dos Ouros, onde mora. Ameaças, furtos e trafico de drogas são seus artigos prediletos.

John Lennon Luiz Ribeiro, 24, apesar do nome mais famoso, tem a capivara mais modesta. Pesam contra ele apenas dois processos: um por ameaça e outro por porte de arma!

Ambos haviam descumprido normas da condicional e eram procurados pela justiça. Agora o caldo engrossou! O assalto na Rua da Prefeitura de Cachoeira de Minas no ultimo domingo pode render à dupla ‘John Lennon & Ribamar’ de 5 a 15 anos de cana!

 

 

Maconha na vagina – II

Quanto custa uma baranga de maconha em Pouso Alegre?

Depende!

Se for na esquina da Rua Luiz “Pordenciano” Alves – é assim que esta escrito na placa – com Oscar Dantas custa cinco ‘reial’!

Se for numa das celas do Hotel do Juquinha, custa R$50…!

Conforme corrigido pela própria através de comentário, seu nome coreto é: Eliane Benedita Aparecido Adriano...!

Conforme corrigido pela própria através de comentário, seu nome coreto é: Eliane Benedita Aparecida Adriano…!

Deve ser por isso que a jovem esposa Eliane Benedita Aparecida Adriana costuma levar a droga para o marido vender no interior do presidio! Afinal, de venda de droga ele entende bem… Já foi preso duas vezes por trafico aqui do lado de fora!  Se ela levar 10 barangas de maconha cada vez que for visitar o marido e a droga for vendida a 50 reais cada uma, eles vão faturar juntos mais de um salario mínimo por quinzena…! Como a despesa de hospedagem no Hotel do Juquinha é zero, quase compensa ficar preso só para cuidar da ‘transação comercial’ lá dentro… Desde que não aconteça um imprevisto e a casa caia!

Entradas de drogas assim no presidio acontecem com frequência. É humanamente impossível evitar. É humanamente possível entrar… Dentro das mulas!

No caso de Eliane Adriana ela caiu porque a droga caiu… Literal e inesperadamente! Depois de passar pela revista geral com a droga na vagina, Eliane foi direto ao banheiro retirar a droga de ‘lá’! Mal havia acabado de retirar a maconha, lavá-la e embrulhá-la em papel higiênico, uma colega de visita – que está gravida – passou mal. Antes que ela tivesse tempo de mocosar novamente a droga as agentes femininas apareceram para socorrer sua colega e a pegaram com a mão na massa. Mais precisamente com a droga embrulhada na mão!

A principio Eliane tentou negar a maternidade da criança, desculpe, da droga retirada da vagina. Mas acabou confessando seu vacilo.

– Eu ia levar para meu marido, Carlos Henrique de Souza, que está preso no apartamento 36 da ALA I – disse Eliane com cara de Madalena arrependida!

O infortúnio de Eliane Benedita Aparecida Adriana, 26, – mulher de nome poli composto e sem sobrenomes – teve ao menos um ponto positivo… Ela não terá mais saudades do marido! Embora estejam em alas diferentes, estão hospedados no mesmo prédio do Hotel do Juquinha! À noite poderão trocar ‘pipas’ e matar a saudade através das ‘teresas’ que cruzam os corredores..!

Mais da metade das mulheres recolhidas nos presídios Brasil afora estão cumprindo pena por trafico, porque assumiram as atividades comerciais de seus maridos quando eles foram presos. Outras tantas foram presas já no interior dos presídios justamente levando drogas na vagina para eles na prisão! Como elas foram presas depois, eles tendem a sair da cadeia primeiro…! Aí vem a perguntinha que não que calar!

– Quando estiverem em liberdade, será que os maridos irão visitar suas esposas no presidio e levar drogas – n …! – para elas venderem?

PM prende um dos assaltantes que baleou o taxista…

Jorge Luis Geronimo Sabiá: - Eu só queria uma carona para voltar para casa!

Jorge Luis Geronimo Sabiá: – Eu só queria uma carona para voltar para casa!

A corrida que quase levou o taxista Jose Ilson de Souza, 56 para o além, foi solicitada no meio da madrugada desta sexta, 22, no terminal rodoviário de Pouso Alegre. Os dois soturnos passageiros de cor negra pediram ao motorista do taxi que os levassem até o trevo do Fernandão. Antes de chegar ao destino, ainda na BR 459, os viajantes mostraram suas verdadeiras intenções! Um deles sacou um trezoitão, apontou para Jose Ilson e o obrigou a seguir até o bairro São Fernando. Já na rua deserta do bairro inabitado, quando percebeu que iria perder além da carteira a própria vida, Jose Ilson saltou no taxi e saiu correndo na madrugada fria. Neste momento ouviu atrás de si uma saraivada de balas. Um dos tiros o atingiu nas costas. A dupla de assaltantes não quis conferir o resultado. Imediatamente um deles tomou a direção do Chevrolet Cobalt e dobaram a serra do cajuru.

Apesar de ferido Jose Ilson conseguiu se mover e pediu socorro a um dos poucos moradores do bairro. A policia militar foi chamada, levou-o para o Hospital Regional  Samuel Libanio e iniciou a perseguição aos assaltantes.

Menos de uma hora depois o taxi foi abandonado em frente a Bloquel na cidade de São Gonçalo do Sapucaí. Algumas horas mais tarde a policia militar da cidade dos inconfidentes prendeu um dos assaltantes em via publica.

Ao sentar-se ao piano do delegado de plantão na DP de Pouso Alegre, Jorge Luiz Geronimo Sabiá , 21 anos, morador do bairro Inconfidentes, disse o que já era esperado…

– Eu só queria uma carona para voltar para casa, doutor! Quem atirou no taxista foi meu colega!

– E onde está ele?

– Sei não, doutor… Eu só conheço ele de vista!

Bem, na falta de tu vai tu mesmo! Jorge Luiz assinou o 157 c/c 121 e foi se hospedar no interditado Hotel do Juquinha, que já passa de 800 clientes!

O pouco habitado e ermo bairro São Fernando, no entroncamento das BRs 381 e 459, parece ser o local preferido dos assaltantes para execução de suas vitimas. Em 2002 o taxista Gabriel foi assassinado a tiros e queimado dentro do seu fiat Uno no malfadado bairro. Em agosto de 2012 três assaltantes pés de chinelo sequestraram o então prefeito de Congonhal Juninho Vilela e o levaram para o mesmo local. Ele não chegou a ser assassinado, mas foi espancado e deixado amarrado a uma arvore, enquanto os assaltantes fugiam com sua caminhonete. Todos foram presos e condenados pelo sequestro e roubo. O taxista Gabriel ainda remexe no tumulo tentando dizer o nome dos seus algozes!

O taxista Jose Ilson, apesar do susto e do ferimento, teve seu Cobalt recuperado e passa bem!

 

 

Policia Civil prende “Motoqueiro Fantasma” em Pouso Alegre

O Motoqueiro Fantasma trocou a moto pelo Taxi do Magaiver...

O Motoqueiro Fantasma trocou a moto pelo Taxi do Magaiver…

A prisão autorizada pelo Homem da Capa Preta com base nas investigações dos policiais civis, aconteceu no final da tarde desta quinta, 21. Quando Benedito Jose Teixeira de Souza, o “Bejota”, chegou a uma residência da Rua 7, no bairro Jatobá no extremo Sul de Pouso Alegre, para entregar uma baranga de cocaína os detetives Teobaldo e Andre já esperavam por ele.

No momento da abordagem Bejota levava 41 barangas da droga mocosadas no lugar de costume… No saco! E havia mais. Em sua residência no bairro da Saúde, os policiais apreenderam, na gaveta de um móvel da sala, mais 11 barangas da mesma droga. O traficante formiguinha – de luxo – entregou ainda mais seis barangas de farinha, as quais estavam enterradas em um terreno vago no bairro Colinas de Santa Barbara.

A prisão de Bejota, o Motoqueiro Fantasma, parece mais uma prisão corriqueira de traficante formiguinha como tantos que carregam drogas diversas daqui-prali cidade afora. De fato é. O que difere Bejota é sua ‘clientela’! Ele não vende maconha ou crack para nóias comuns e molambentos por aí. Pelo velho Aterrado ele nem passa. Sua clientela é seleta… É composta de estudantes, comerciantes, empresários, políticos…!

A entrega é rápida, segura e eficiente. Basta um telefonema e em poucos minutos uma motocicleta Honda preta encosta na porta da casa do cliente, na porta da loja, na porta da escola…

A prisão de Bejota deixou muito playboy de Pouso Alegre de cabelo em pé...! El deu muitas cabeças!

A prisão de Bejota deixou muito playboy de Pouso Alegre de cabelo em pé…! Ele deu muitas cabeças!

Teve um pedido de uma baranga de farinha que partiu do telefone corporativo da Câmara Municipal da cidade! Algumas dessas entregas foram filmadas nas ultimas semanas pelos pupilos do delegado Gilson Baldassari. Numa delas três caminhoneiros encostam seus brutos no trevo do Fernando na Fernão Dias e esperam a chegada da moto preta. Depois de receberem a ‘encomenda’ seguem viagem… Doidões! Noutra entrega em domicilio na porta de um estabelecimento comercial no centro da cidade, Bejota chega na moto preta, desce, dá um toque no celular, o cliente sai fora da loja, troca um centavo de prosa, o traficante enfia a mão na cueca, retira o volume – de droga! – coloca dentro do capacete sobre a moto, o próprio cliente escolhe a baranga, guarda no bolso da camisa, paga e se despede…! E o mais interessante! É um cliente bem apessoado, boa aparência, típica pessoa acima de qualquer suspeita! São pessoas assim que propagam o trafico…!

Estas imagens mostram duas nuances do trafico. A facilidade do traficante em entregar a droga direto ao consumidor, como se estivesse entregando uma cartela de analgésico pedido através do celular! E a Dificuldade de a policia combater este modus operandi, pois o entregador é um motoqueiro qualquer, um cidadão comum com o rosto escondido atrás do capacete e protegido pela Constituição Federal para ir e vir! E o seu cliente também é um cidadão comum, de classe media, empregado, acima de qualquer suspeita. O cliente deste tipo de trafico é o mesmo cidadão esclarecido, que, em nome da sociedade, cobra das autoridades mais eficiência no combate às drogas!

 

O Motoqueiro Fantasma, formiguinha de luxo, é cliente do Hotel do Juquinha desde 2010

Bejota, o ‘formiguinha de luxo’, é cliente do Hotel do Juquinha desde 2010

A prisão do playboy com o saco de farinha no saco, como se denota, foi apenas um detalhe! O extenso lastro probatório que justifica o pedido de prisão preventiva do meliante já havia sido juntado pelo zeloso delegado Gilson Baldassari.

Esta não é a primeira vez que Bejota sente o frio das pulseiras de prata. Ele foi preso antes, em 2008 e 2010 pelo mesmo motivo. Cumpriu a maior parte de sua pena na APAC. Filho de um sisudo e correto motorista com uma senhora de classe media alta, o playboy nunca precisou pegar no cabo da enxada… Mas também não pegou nos livros! A única faculdade que ele conhece é a de Direito, pois fica ao lado de sua casa… Mas ele nunca entrou lá! Preferiu a faculdade do crime!

Depois de uma das prisões, quanto já estava vendo o sol nascer quadrado no Hotel do Juquinha, Bejota enviou uma carta manuscrita à Corregedoria de Policia Civil. Nela o traficante diz que foi espancado, ameaçado e extorquido em cinquenta mil reais pelos policiais. E só foi preso porque se recusou a pagar. O caso virou Sindicância Administrativa e ainda tramita na Corregedoria.

Ao ser preso nesta quinta, o traficante foi interpelado a respeito da carta. Ele naturalmente negou sua autoria e jogou a ‘bomba’ no colo do parceiro e do seu advogado…

– Eu e o F… fomos orientados pelo nosso advogado a escrever essa carta. – Admitiu ele.

Nem precisava. Os policiais – detetives e delegado – que ele calunia são os mesmos que o prenderam pela terceira vez com robustas provas da sua traficância. Agora, além do crime de trafico reiterado de drogas, Bejota deverá responder também pelos crimes de Difamação, Calunia e Denunciação Caluniosa!

O delegado Gilson Baldassari, de ficha funcional incólume, chefe da Delegacia Especializada e ferrenho combatente do trafico na cidade e região, deve representar também contra o aludido advogado junto à OAB.

Até a prisão passada, o formiguinha de luxo Benedito Jose Teixeira de Souza era conhecido pela alcunha de “Bejota”. Desde que saiu da APAC e se especializou na entrega de cocaína em domicilio, com a facilidade de aparecer do nada na porta de uma casa, na porta da escola, na porta de uma loja, numa esquina qualquer, fazer sua entrega, receber a bufunfa e em segundos desaparecer, Bejota ganhou também, da propria clientela, o apelido de “Motoqueiro Fantasma”… Acabou mal-assombrado!

A proposito, a partir da semana que vem o delegado responsável pela prisão de Bejota vai começar intimar e ouvir sua ‘discreta’ clientela.  Alguns leitores do blog já estão com a barba de molho e o cabelo em pé…!

 

PM prende guardador de maconha no Chapadão

 

Hotel do Juquinha... Destino de quem guarda drogas para o "João Tapira"!

Hotel do Juquinha… Destino de quem guarda drogas para o “João Tapira”!

Passavam os homens da lei pelo bairro São Cristóvão na noite ainda criança desta quarta, 20, quando avistaram um cidadão com pinta de somongó na porta de uma casa e resolveram abordá-lo. O dialogo foi mais ou menos assim:

– Voce é o Alex Sandro? Temos informações que você anda vendendo drogas no bairro… É verdade?

– ‘Capaiz’, sargento!  Mexo com isso não…!

– Podemos dar uma olhada na sua casa…?

– À vontade, sargento. Sou do bem…

Já no interior da residência, Alex Sandro resolveu admitir que, embora não vendesse, era chegado a um baseado. E entregou uma porção de maconha já esfarelada, pronta para ser enrolada na seda, a qual ele guardava na geladeira.

– Só tenho essa aqui… Eu dou uns tapas na erva de vez em quando – disse meio desenxabido, com cara de gato que acabou de comer o toucinho!

Diante da conjuntura ligeiramente obnubilada, os policiais resolveram procurar mais drogas! E acabaram achando num dos cômodos do quintal 27 barangas de maconha pronta para comercio e um tijolinho da mesma erva, que seria fracionado e embalado para venda no varejo. A droga estava diligentemente escondida dentro de um tapete enrolado, coberto por outras roupas! Pilhado com a mão na massa, Alex Sandro mudou o discurso, tentando tapar o sol com a peneira…

– Ôh, sargento… a droga não é minha, não! Eu só ‘tava’ guardando ela para um sujeito do bairro. Ele me paga cem reais por semana para guardar pra ele!

– E quem é o sujeito dono da droga?

– Posso falar  não, sargento… Senão ele me mata!

Os policiais sabiam que a droga era do “João Tapira”. Mas nem precisava saber! Afinal, “guardar” droga é um dos 18 verbos do artigo 33 da Lei 11.343, cuja pena varia de 5 a 15 anos de cana.

Portanto, Alex Sandro Augusto Ramos, 26,  recebeu as pulseiras de prata, desceu no Taxi do Contribuinte, sentou-se ao piano do paladino da lei na DP, assinou o 33 e, pela manhã, seguiu no Taxi do Magaiver para o superlotado Hotel do Juquinha!