Verdades e mentiras sobre a loira gelada!!!

 DSC05129

   * O uso continuo do álcool pode levar ao uso de drogas mais pesadas?

– Não. Pois o álcool já é a droga mais pesada das drogas. Observe que uma garrafa de cerveja pesa cerca de 900 gramas!

      * A cerveja causa dependência psicológica?

– Não. 89,7% dos psicólogos e psicanalistas entrevistados afirmam que preferem whisky!

     * Mulheres gravidas podem beber sem risco?

– Pode. Está provado que nas blitz da policia, gestantes nunca são testadas. E quando elas tem que andar em linha reta, os guardas acham que ela está torta pelo peso da barriga. Ou seja, não há risco de ser presa.

     * Cerveja pode diminuir os reflexos dos motoristas?

– Não. A Universidade do Oregon fez a seguinte experiência com mais de 500 motoristas: Foi dada uma caixa de cerveja para cada um e, em seguida, colocaram um por um diante e um espelho. Em nenhum dos casos os reflexos foram alterados.

     * Existe alguma relação entre bebida e envelhecimento?

– Sim. A bebida envelhece muito rapido. Para se ter uma ideia, se você deixar a cerveja aberta sobre a mesa por muito tempo sem um acondicionamento especial, ela perde o seu sabor em aproximadamente quinze minutos.

      * A cerveja atrapalha no rendimento escolar?

– Não. Pelo contrario. Alguns donos de faculdades estão aumentando suas rendas com a venda de cerveja na proximidades de bares universitários.

     * Bebida mata?

– Sim. Anos atrás, em São Raimundo Nonato-PE, um rapaz que passava pela rua foi atingido por uma caixa de cerveja que caiu de um caminhão de entrega, levando-o à morte. Além disso, casos de infarto do miocárdio em idosos tem sido associados às propagandas de cervejas com modelos gostosas!

      * O que faz com que a bebida chegue aos adolescentes?

– Inúmeras pesquisas vem sendo feitas em laboratórios de renome tais como Burigo, Padrão, Pasteur, etc. Todas indicam que em primeiro lugar estaria o garçom.

    * A cerveja causa diminuição da memoria?

 – Que eu me lembre, não…!

 

     Então viva a loira gelada!!!

 

Anúncios

Um assalto com vários sotaques

Assaltante gaúcho:

– Ô, guri, ficas ‘atiento’, bá! Isto é um assallllto… Levantas o braço e te aquietas, tchê! Não tente nada e tome cuidado que este facão corta que é uma barbaridade! Passa os pilas pra cá e te manda a la cria, senão o ponto quarenta fala, tchê!

Assaltante cearense:

– Ei, bixim… Isso é um assalto! Arriba os braços e num se bula nem faça munganga… Passa vexado o dinheiro senão eu planto a peixeira no teu bucho…! ‘Pesdão’ meu Padim Ciço, mas é que eu tô cuma fome da mulestia…!

Assaltante mineiro:

– Ô sô, prestenção… Isso é um assartim, uai… Levanta os brass e fica quietim que esse trem na minha mão tá cheio de bala… Mió passa logo os trocados que eu num tô bão, hoje!… Vai andando! Tá esperando o que, sô…?

Assaltante carioca:

– Seguiiiinte, merrrrrmão… Tu tá lascado! Isso é um assalto bacana! Passa a grana e levanta os braços, porra… Não fica de bobeira que eu atiro pra caraca… Vai andando e se olhar pra trás vira presunto, morô…?

Assaltante baiano:

– Ô meu…………………… isso é um assaaaaalto………….. Levanta o braços, mas não se aveeeeeexe, nãaaaao……………… Se não quiser, nem precisa levantaaaaaar,……………pra num ficar cansaaaaado…………….. ! Vai passando a grana, bem devagariiiiiinho……….. Num repara, não, se o berro está sem baaaaaaala………. Mas é para não ficar muito pesaaaaaado!………. Não esquenta, meu irmãoziiiiiiiiinho, vou deixar teus documentos na próxima encruzilhaaaaaaada…………….!

Assaltante paulista:

 – Ôrra, meu… Isso é um assalto, cara… Levanta os braços rápido! Ôrra, meu… Passa a puta da grana logo!!! Ôrra meu, tá esperando o que? Mais rápido, meu, que eu ainda preciso pegar a puta da bilheteria ‘abeita’, ‘pá’ comprar a porra do ingresso do jogo do Curintia, meu…!

                                                                                                           Assaltante candango:

– Caro povo brasileiro…, no final do mês aumentaremos as seguintes tarifas: energia, água, esgoto, gás, IPTU, IPVA, IPI, ICMS, PIS, licenciamento de veículos, seguro obrigatório, gasolina, álcool, Imposto de Renda, passagem de ônibus, de charrete, de bicicleta, de trolinho, de tapete voador…!!!

Dilma Roussef

 

O espermograma do velhinho

Ao receber a recomendação medica para fazer um espermograma o velhinho passou na farmácia, comprou o potinho e foi pra casa. Parecia fácil… Entrou no banheiro, tentou com a mão direita, tentou com a esquerda e até com as duas e nada! Então chamou sua mulher para ajudar. Ela tentou com a mão direita, com a esquerda, com as duas e até com a boca e também não conseguiu.

Não vendo outra opção, ela chamou a vizinha. Esta, querendo ajudar, mesmo bastante constrangida, tentou com a direita, tentou com esquerda, com as duas mãos e, muito sem graça pediu licença e tentou com a boca… Mas também não obteve sucesso…

A vizinha, não se dando por vencida, chamou a filha, que tinha 19 anos e era a menina mais encantadora do bairro! E mais uma vez as tentativas infrutíferas: mão direita, mão esquerda, as duas, boquinha com todo cuidado, mas… Também não conseguiu!

O velhinho triste, cabeça baixa, voltou à farmácia devolveu o potinho dizendo:

– Dá pro senhor me ver outro potinho? É que lá em casa ninguém conseguiu abrir este…!!!

O prefeito e o papagaio da padaria do Jordão…

DSC00299

Toda vez que entrava na padaria do Jordão, durante a campanha politica, Quincas , como todo bom – e falso – candidato à prefeito – cumprimentava um por um os presentes, chamando-os pelo nome – embora as vezes chamasse Pedro de Paulo, Antônio  de Antenor e Francisco de Francisley… E distribuía largos sorrisos! Enquanto isso um papagaio maroto, como todos os papagaios, andava para lá e para cá no poleiro perto da porta, observando a falsidade do politico…!

Passadas as eleições vencidas por Quincas, seis semana depois ele assumiu a prefeitura. Como a padaria do Jordão era ali perto do ‘palácio publico’, toda manhã o novo alcaide parava na padaria para o desjejum. Mas quanta diferença no comportamento! Entrava mudo, pedia um pingado e um pão de queijo, comia fingindo olhar para a TV, pagava com moedinhas que trazia já separadas na algibeira – antes das eleições pagava com nota ‘grande’ e não fazia questão do troco! – e saia calado! – tenho a impressão que conheço alguém assim! – Quando passava pela porta o maroto papagaio soltava um palavrão;

– Fiadaputa…!!!

Quincas percebia que era com ele, mas nada dizia, achando que aquilo fosse uma malcriação do louro, até que um dia se ‘queimou’! Depois de mais um sonoro “fiadaputa”, resolveu reclamar com Jordão… Pelo telefone, é claro!

– Ô, Jordão, você precisa dar um jeito nesse seu papagaio! Todo dia é mesma coisa… Primeiro ele fica me olhando com cara de deboche, depois, quando eu saio da padaria ele me xinga de fiadaputa! Isso não pode continuar! Afinal eu sou autoridade máxima nessa cidade…!

– Ahn… Sabe Quincas! É que o louro tem uma certa razão… Ele estava acostumado a vê-lo sorrindo e cumprimentando as pessoas, agora, depois que as eleições passaram você entra na padaria e não sorri e nem cumprimenta mais ninguém…! – obtemperou Jordão.

– Ah… Então é isso!? Já sei como resolver…

No dia seguinte o prefeito entrou na padaria do Jordao, abriu um sorriso de um palmo e meio, fingiu um pouco mais do que durante a campanha politica e foi cumprimento todo mundo. Depois do ‘pingado’ com pão de queijo, deu uma olhadinha discreta para o louro que andava inquieto no poleiro de um lado a outro e saiu sorrindo satisfeito. Quando deu os primeiros passos na rua ouviu lá atrás um sonoro;

– Aprendeeeeeu, né … ‘Fiádapuuuuuta’!!!

Pedrinho e a carta para Deus… Atendida por Brasilia!

Quando Pedrinho, um garotinho de 7 anos, sapeca e bom de bola, morador ao pé da serra do cajuru, viu a potrinha pampa que nasceu no pasto do seu vizinho, logo se apaixonou. Queria a todo custo comprar a potrinha! Quebrou seu cofrinho de porquinho, pegou as moedas e foi pessoalmente procurar ‘seu’ Honorio para comprar a potrinha;

– Quanto quer pela pampinha, seu Honorio? – Perguntou o garoto.

– Quero R$ 140.

Pedrinho enfiou a mão no bolso da bermudinha listrada, pegou as moedas e contou… Quarenta reais! Faltava cem! Coçou seus cabelinhos encaracolas até o ombro e falou para ‘seu’ Honorio:

– Não vende ela pra ninguém! Eu vou arrumar os cem reais e volto no mês que vem p’ra buscar a pampa.

Enquanto voltava para casa cabisbaixo pela estradinha de terra batida, Pedrinho foi pensando. Pensou, pensou, pensou e chegou a uma conclusão… Só Deus poderia lhe dar os cem reais que faltavam para comprar a potrinha pampa! Chegou a sua casa, foi direto para o quarto, ajoelhou-se diante do crucifixo pendurado na parede, juntou as mãozinhas como convém a um cristão e se pôs a rezar! Repetiu o gesto durante uma semana, pedindo à Deus para lhe dar R$ 100 para comprar a potrinha pampa. Depois de dez dias rezando diariamente ajoelhado, de mãos postas, sem ver a cor do dinheiro, Pedrinho começou desanimar… Andava cabisbaixo de um lado a outro do sitio, pouca prosa, sem querer brincar! Nem Leleu, seu Fox Paulistinha viralatas o animava mais! Até que teve uma ultima ideia…

– Faz duas semanas que estou rezando pedindo cem reais pra Deus e não recebi sequer um sinal! Pois vou escrever uma carta para Ele agora, pedindo ao menos uma explicação!

E assim o fez.

– Querido Deus… Conforme nossa conversa anterior durante duas semanas, estou formalizando meu pedido de cem reais para comprar a eguinha pampa do ‘seu’ Honorio. O Senhor sabe que eu sou menino batuta! Faz tempo que não amarro palha de milho no rabo do gato, não fico jogando graveto no ribeirão para o Leleu buscar, e no mês passado apaguei o quadro negro da ‘tia’ Leninha três vezes e ainda ajudei ela levar aquela sacola de cadernos para corrigir até a porteira da casa dela! Se tiver faltando alguma boa ação para me equilibrar na sua balancinha é só falar que eu faço! Mas se não tiver, me manda os cem reais porque o Totonho do ‘seu’ Antero já está de olho na ‘minha’ potrinha pampa!

Terminou a carta, fechou com carinho, escreveu no envelope; “Para Deus/Brasil”.

 

Ao receber a carta com aquele destinatário; “Deus/Brasil” o sempre eficiente correio brasileiro encaminhou a carta para Brasilia. Ao abrí-la e lê-la, Dilma ficou muito comovida e resolveu atender o pedido de Pedrinho. Mas como não havia dotação orçamentaria para tal, ordenou ao primeiro secretario que passou na sua frente:

– Faça uma ‘vaquinha’ aí entre vocês e atenda o pedido deste menino… Tome aqui meus dez reais!

Não se sabe se pela avareza, incompetência ou por força de habito de desviar dinheiro publico, o envelope foi fechado com apenas os dez reais e foi enviado para a Serra do Cajuru. Apesar da decepção, como bom brasileiro que não desiste nunca, Pedrinho sentou-se novamente, para agradecer a merreca, e escreveu:

– Querido Deus, muito obrigado por me mandar o dinheiro que pedi… Contudo, eu pediria que, na próxima vez, o Senhor mandasse direto para o meu endereço, porque quando passa por BRASÍLIA, aqueles filhos da puta ficam com 90%!!!

 

Garotinho de 7 anos pode ser preso por sequestro e extorsão…

Quando viu o pequeno presépio e as arvores e enfeites natalinos prontos para receber o menino Jesus, o garotinho Wandergleydson – há fundada suspeita, ainda não confirmada, de que seja um torcedor do Timão – resolveu escrever a tradicional cartinha para o Papai Noel pedindo uma bicicleta. E começou assim…

– Querido Papai Nuel, fui um otimu minino eçi ano… ajudei meu pai, minha main e até meu irmãuzinhu… Quero ganhar uma bicicreta!

Depois de um minuto de exame de consciência, o garotinho pensou consigo mesmo…

-“Ele num vai acreditá nimim! Vô refazê a carta…” – e começou de novo.

– Papai Nuel, acho qi num fui muito bão eçi ano, mais axu qi mesmo açim meressu uma bicicreta…

Quando foi colocar a cartinha debaixo da arvore, ele parou, pensou outra vez e concluiu que talvez não tenha feito jus ao presente que estava pedindo. E decidiu tomar outra atitude! Embolou a cartinha, jogou num canto da sala, foi até o presépio, pegou a solene imagem de Maria ao lado de Jose, colocou dentro do sapato e escreveu o seguinte:

– Jesuis, se liga na parada aí, meu… Tô com tua mãe, firmeza mano? A treta é a seguinte… Se quisé vê a tua véia dinovu, manda o véio da carroça cos viado mim dá uma magrela novinha… cinão o bicho vai pegá pro lado da coroa, morou brodi…!?

Note que Maria não está ao lado de Jose...

Note que Maria não está ao lado de Jose…

O BO de extorsão e ameaça foi registrado no 5º DP do Carandirú e está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Crimes Natalinos Infantis. Até o momento, nem o pré-meliante – suspeita-se que ele ainda use fraldas e chupe bico amarelo da Lillo escondido dos amiguinhos da rua – nem o cativeiro da mae de Jesus foram localizados…

*Fonte desta informação: Chefia do cartório da 13ª DRPC/E.K.Noveli

Pra relaxar… Em dia de protestos tensos Brasil afora!

Telefonema de uma empregada domestica

Aproveitando a ausência dos patrões, Dircineia pega o telefone e fofoca com a amiga Claudete:

– Oi Crau, hoje de manha eu fui à feira. Antes de sair meu patrão me pediu para eu trazer figo. Aí eu perguntei:

– Figo fruta ou bife de figo?… O Homem ficou uma fera!

Gente fina, seu Adamastor. Num ligo não. Ele tem o sistema nervoso. Também, com um emprego chato daqueles! Vou te contar…! Ele é fiscal da receita. Deve ser um saco ficar conferindo receita de medico o dia inteiro.

Depois chegou o Adamastorzinho, o filho mais novo deles. Acabou de ganhar um carro todo equipado. Tem roda de maionese, farol de pilha, teto ensolarado e trio elétrico…! Não sei por que trio elétrico num carro. Deve ser porque ele gosta de musica baiana…!

– Cê num sabe da úrtima? Eu discubri que aqui nessa mansão que eu trabaio, é tudo fachada!

– Como assim Dircineia ? – Pergunta a colega Claudete, confusa.

– Nada aqui é dos patrão! Tudo é imprestado! Tudo! Cê cridita numa coisa dessas? Òia só: A rôpa que o patrão usa é dum tal de Armani… A gravata é dum tal de Perre Cardine… Os moveis são do tal Luiz Quinze. O carro é de uma tal de Mercedes…! Nadica de nada é deles!

– Noooosa que pobreza!

– E além de pobre eles são muito inzibido! Magina que outro dia eu escutei o patrão no telefone falando que tinha um Picasso…

– E num tem…?

– Que nada, fia… É piquinininho que dá dó!!

Para relaxar… e pensar!!!.

Incendio Justiceiro

 

Um prédio de 4 andares foi totalmente destruído pelo fogo; um incêndio terrível.

Todas as pessoas das 10 famílias de Sem-teto, que haviam invadido o 1º andar, filhos de presidiários que ganham salário de R$ 850,00, faleceram no incêndio.

No 2º andar, todos os componentes das 12 famílias de retirantes, que viviam dos proventos da “Bolsa Família”, também não escaparam.

O 3º andar era ocupado por 4 famílias de ex-guerrilheiros, todos beneficiários de ações bem sucedidas contra o Governo, filiados a um ParTido político influente, com altos cargos em estatais e empresas governamentais, que também faleceram.

No 4º andar viviam engenheiros, médicos, advogados, professores, empresários, bancários, vendedores, comerciantes e trabalhadores com suas famílias. Todos escaparam.

Imediatamente a “Presidenta da Nação” indignada e toda sua assessoria, mandou instaurar um inquérito para que o “Chefe do Corpo de Bombeiros” explicasse a morte dos “queridos companheiros” e apurasse por que somente os moradores, do 4º andar haviam escapado.

O Chefe dos Bombeiros prontamente respondeu:
– “Eles não estavam em casa. Tinham saído para trabalhar.”

Prosa mineira… ( da capital )

Sapassado, era sesetembro, taveu na cuzinha tomano uma pincumel e cuzinhanu um ki di carne com mastumate pra fazer macarronada com galin assada. Quascaí de susto quando ouvi um barui vindo de dendoforno, parecendo um tidiguerra.

A receita mandopô midipipoca dentro da galinha prassá. O fornisquentô, o midipipoca istorô e u fiofó da galinha ispludiu!

Nossinhora!

Fiquei branco quinein um lidileite!

Foi um trem doidimais!

Quacaí dendapia!

Fiquei sensabê doncovim, ontocô, proncovô…

Oi procevê quilocura!

Grazadeus ninguém semaxucô!!!…

Para relaxar… No domingo…

Romantismo lusitano

 

Manuel ia se casar e como nunca havia ido para cama antes com a futura esposa, resolveu pedir uns conselhos ao padre.

– Padre, eu estou com um problema. Vou me casaire hoje e o senhor sabe… Na lua de mel não sei bem o que falar para minha mulher na hora do … o senhor sabe, né seu padre…

– Claro meu filho. Faça o seguinte: abra a janela, olhe para o céu e diga; “Olhe que céu lindo, as estrelas tão juntas, tão próximas umas das outras, enquanto a lua majestosa parece dominá-las em harmonia perfeita…” E quando a mulher estiver caidinha você vaia e … crau… não tem erro.

– Muito obrigado, padre.

Na noite de núpcias, Manoel entra no quarto, abre a janela e se depara com o maior temporal.

– “Porcaria, vou ter que improvisar!” – pensa ele. Vira-se para a mulher e tasca essa:

– Maria… está a choveire pra caralho…. Falando em caralho…

 

 

A loira e o portuga

 

A loira sai gritando pela rua:

– Socorro! Fui estuprada por um português

Um policial acode e pergunta:

– Como sabe que foi um português?

– Porque eu precisei ajudar …!!!

 

 

Manuel no Harlem

 

Num bar mal-frequentado em Nova York estão reunidos os mais ferozes assassinos dos Estados Unidos. Manuel vai parar lá por engano. Sem saber está no meio de uma discussão entre terríveis assassinos que contam prosa sobre as brigas mais feias que enfrentaram. Um grandalhão ruivo de mais de cem quilos, dois metros de altura, abre a camisa, exibe a cicatriz que trás no peito e diz;

– Kansas City, 1980

Em seguida um negão enorme mostra um baita corte na barriga e diz:

– New York City, 1990

O negão leva um baita empurrão de um branquelo de dentes de alumínio, que ergue a camisa e rosna:

– Junction City, 1995!

Os três sujeitos encaram o portuga, que se encolhe todo assustado num canto. Com medo de levar umas porradas se ficar quieto, Manuel balbucia, puxando a calça:

– Apendi City, 1995

 

 

Gilvaneide e a balança

 

Em Salvador, onde tudo é muito lento, a professora pergunta:

– Alguém de vocês sabe quem é a pessoa mais rápida do mundo?

– É o Schumacher – se arrisca Roberio.

– É o Rubinho  – diz Rosirene.

Todos caem na gargalhada.

– Eu sei professora. A pessoa mais rápida do mundo é minha tia Gilvaneide – Grita Dercimar com convicção.

– Sua tia? Porque? – Espanta-se a professora.

– Oxente, quando tia Gilvaneide sobe na balança ela vai de zero a cento e vinte em menos de um minuto!!!

 

Bom domingo a todos…  e torçam para o Corinthians..!!!!!