Desabafo de uma médica

Quando criança todos me perguntavam o que eu ia ser quando crescesse. E advinha? Eu dizia que iria ser médica! Na adolescência passava as minha férias fazendo cursinhos de primeiros socorros, anatomia, etc. Engravidei e tive uma filha aos 15 anos. Ainda assim, fiz instrumentação cirúrgica e estagiei no Hospital do Andaraí-RJ aos 16 anos! Fiz um vestibular concorridíssimo e aos 17 anos, passei na faculdade de medicina.
Mudei para uma cidade 400 Km longe da minha atrás dos meus sonhos. Estudei enquanto minha filha ficava em escolinhas integrais, e depois que ela foi para o ensino fundamental, várias vezes tive de leva-la a aula porque a empregada faltou. Ela foi cuidada até pelo meu professor de anatomia enquanto eu debruçava sobre cadáveres estudando!

Dia das mães e eu estudante de plantão na faculdade levando minha filha para conhecer os bombeiros.

Dia das mães e eu estudante de plantão na faculdade levando minha filha para conhecer os bombeiros.

Formei, e comecei nos plantões da vida para sustentar minha casa. Não tinha condições de fazer uma residência, entrei no PSF. Me apaixonei pela medicina comunitária! Lindo poder ter vínculo com os pacientes. Ir nas suas casas, conhecer suas famílias! Ter a permissão deles para ser tão íntimos e ouvir todos os seus segredos. Descobri que não queria mais outra coisa! Jamais atendi uma consulta particular!

Colação de grau em medicina

Colação de grau em medicina

Fiz pós-graduações (sim, bem mais que uma), tirei título de especialista na área e gostava muito do que fazia (apesar de meus colegas ganharem bem mais do que eu). Era feliz.

Foto-0060
De repente começou o furacão! Notícias de uma perseguição medonha à classe médica, e principalmente aos atuantes do SUS: “Vamos trazer médicos estrangeiros para atuar no SUS”, “Vamos colocar estudantes em atendimento obrigatório no SUS por 2 anos”, “Ato médico aprovado com veto”, e por aí vai… Agora eu realmente pergunto: Para onde vai a minha profissão ao qual eu estudei tanto? Como ter vínculo com alguém que não fala a minha língua, ou que está me atendendo por obrigação, louco para acabarem seus dois anos de escravidão? Estes são os “mais médicos” que queremos???? Não! Isso é o que o governo quer vender para a população!

DSC07734
Estou cansada! Por favor, parem o mundo que eu quero descer! Estou caçando a porta de saída deste sistema que está sendo brutalmente assassinado por pessoas que insistem em dizer que querem o melhor para o povo (a morte?). E assim que encontrar, não tenham dúvidas: eu vou sair! E vocês terão perdido alguém que realmente acreditava na saúde pública e a fazia com muito amor!

Hoje é um dia muito especial!!!

Hoje é o aniversário de uma pessoa muito querida, muito amada… Hoje comemoramos o qüinquagésimo quarto aniversário de Airton Chips.

DSC01292

 

Homem integro, exímio pai, marido dedicado, enfim, uma pessoa que tem tantos predicados que seria impossível de expressá-los.


23-09-12 (11)

 

Obrigada, Airton, por iluminar nossos dias nesta passagem terrena, e nos trazer tantas alegrias.

DSC02723

 

Que possamos estar juntos para comemorar mais e mais datas como esta, sempre rodeados de amigos, familiares, que te amam e te querem bem.

DSC01308

Você é uma pessoa muito especial.

Family 3

Que Deus continue sempre te cobrindo de maravilhosas energias e inspirações…  Te amamos!

Enxaqueca, cefaléia, etc… Ai que dor de cabeça…

Cefaléia é um termo técnico e significa exatamente o mesmo que dor de cabeça. É um dos sintomas mais comuns na medicina, é uma das queixas mais frequentes de consultas a clínicos, pediatras e neurologistas, etc, e também um dos motivos mais comuns de falta ao trabalho. A cefaléia é um sintoma universal no ser humano. Estima-se que 90 a 100% das pessoas terão algum tipo de dor de cabeça ao longo da vida.

A enxaqueca é uma forma de cefaléia, mas não a única; existem muitas outras. Para se ter uma idéia, a Sociedade Internacional de Cefaléia reconhece mais de 150 modalidades de dor de cabeça. Entre os médicos especialistas em dor de cabeça, alguns preferem chamar a enxaqueca de migrânea. A enxaqueca (ou migrânea) é uma doença herdada geneticamente, como demonstram as pesquisas que estudam famílias inteiras e pares de gêmeos.

As cefaleias são divididas em primárias e secundárias.

As cefaleias primárias mais comuns são: enxaqueca, Cefaleia de tensão, cefaleia em salvas. Outras formas menos comuns de cefaleia primaria incluem a hemicrania continua, a cefaleia nova diária e persistente, cefaleia do esforço, cefaleia da tosse, cefaleia por estímulo frio, hemicrania paroxística crônica.

Especialistas em cefaleia geralmente tratam também de dores faciais, como a neuralgia do trigêmeo, dor facial atípica, e dor miofascial.

Cefaleias secundárias são aquelas causadas por alguma outra doença, tal como tumores cerebrais, traumatismo craniano, meningites, acidente vascular cerebral (derrame), hidrocefalia, Herpes-zóster e aneurismas.

Qualquer que seja a sua dor, o importante é não pensar que isso é algo “normal” ou “com que se deve acostumar”. As dores de cabeça têm tratamento e os pacientes se beneficiam grandemente dele, embora, na maioria das vezes não seja possível evitar completamente as crises.

 

Fontes:

Sociedade brasileira de cefaléia, em http://www.sbce.med.br/dor-de-cabeca/mitos-e-verdades/40-enxaqueca-ou-dor-de-cabeca

Wikipédia, em http://pt.wikipedia.org/wiki/Cefaleia

Atividade física: fazer ou não fazer… eis a questão!

Todos nós escutamos que atividade física faz bem para a saúde, mas realmente sabemos o quanto faz bem e como a prática de exercícios físicos pode nos ajudar? Ou será que existem contraindicações para a prática destas atividades para certas pessoas? Afinal, exercício físico alivia a dor crônica ou piora a dor?

Muitos pacientes vão ao consultório com estas questões sobre a prática de atividades físicas, e é para acabar de vez com esta celeuma que vamos destrinchar estas questões:

Atividade física faz bem para a saúde?

A resposta é SIM, faz muito bem para a saude física e mental. Quando nos exercitamos liberamos endorfinas, que são hormônios naturais produzidos em resposta à atividade física, visando relaxar e dar prazer, despertando uma sensação de euforia e bem-estar.

Todas as pessoas podem praticar atividades físicas?

Há tempos atráz, acreditava-se que praticar esportes era coisa de crianças e adolescentes. Homens e mulheres logo que se casavam abandonavam suas atividades esportivas. Pessoas mais velhas, então, nem pensar.

Os médicos recomendavam que os idosos evitassem esforços físicos e fizessem repouso. Essa recomendação foi extinta, e  descobriu-se que a atividade física faz bem para a saúde desde o nascimento até o fim da vida.

Existem apenas recomendações especiais para alguns pacientes que são portadores de certas patologias. Na dúvida, sempre consulte seu médico.

Exercício físico alivia a dor ou a piora?

Estudos recentes apontam que a endorfina, liberada pelo exercício físico,  pode ter tanto um efeito sobre áreas cerebrais responsáveis pela modulação da dor, do humor, depressão, ansiedade como pela inibição do sistema responsável pela modulação de diversos órgãos como coração, intestino etc… Elas podem também regular a liberação de outros hormônios. Elas tem um efeito analgésico, portanto, aliviam a dor.

Mas respeite sempre seu ritmo, e a recomendação de seu médico ou educador físico.