Policia Civil mostra as armas…

Graças a uma Resolução do Conselho Nacional de justiça, acatando pedido da Secretaria de Direitos Humanos, a policia agora não pode mais mostrar seus presos de frente…!

A operação batizada com um nome curto, mas que sugere, e pretende soprar o crime para bem longe do Sul de Minas, foi realizada antes de o sol desta sexta-feira, 29, nascer. Entre mandados de prisão e de Busca & Apreensão eram mais de 40 alvos. Trinta e nove pessoas receberam as pulseiras de prata da lei. Doze em flagrante. As demais, já com a ‘carta branca’ do Homem da Capa Preta!
Um dos alvos é um estudante segundanista de medicina. Ele não foi encontrado em casa, no Santo Antonio, quando os policiais chegaram para o café da manhã, e nem na sala de aula da faculdade onde foi procurado mais tarde. Mas a batata do futuro medico está assando. Ele está na lista dos investigados por tráfico de drogas!
A mitológica Operação Notus, envolvendo cerca de 150 policiais lotados no 17º Departamento de Policia Civil de Pouso Alegre, que engloba as regionais de Pouso Alegre, Itajubá e São Lourenço, com dezenas de viaturas, helicóptero e cães adestrados, se estendeu às cidades de Santa Rita do Sapucaí, Heliodora, São Sebastião da Bela Vista, São Gonçalo do Sapucaí, Congonhal, Ouro Fino, Borda da mata, Monte Sião e Pedralva. O ‘vento sul’ soprou até a cidade paulista de Itapira.

Ladrões, intrujões, traficantes puderam perceber neste final de setembro, que a Policia Civil de Minas, cá no sul, apesar dos pesares, está muito viva! Aquela pergunta que os ouvintes do programa “Tudo Junto & Misturado” costumam me fazer às terças e sextas-feiras na Super Radio 90 FM, está respondida com ação: a Policia Civil não morreu! É bem verdade que há tempos vem recebendo o salário atrasado; que hoje tem menos investigadores do que tinha em 1980; que o que resta não consegue trabalhar atrás do computador e ir pra rua, exercitar o tirocínio policial, ao mesmo tempo… Mas continua disposto a mostrar as armas e ‘soprar’ o crime para longe!
No entanto, por ironia do destino, um dos investigados e abordados pela policia civil antes do sol nascer – e não foi preso por falta de provas, – quatro horas mais participou de um roubo à mão armada, onde um empresário morreu… conforme veremos no próximo post!

Anúncios

P.C. prende assassino de Elias Catarino

Ele se apresentou espontaneamente na delegacia, mas já estava com prisão preventiva decretada.

Paulo Henrique havia sido preso em 2013 por trafico de drogas.

Agora aguarda o julgamento pelo assassinato de Elias Catarino, atrás das grades.

Paulo Henrique Elias Simões é acusado de ter matado a tiros o desafeto e patrão Elias Catarino Junior, no final da manhã do dia 18 de julho de 2017. Depois de atirar no ex-patrão, na frente de sua casa no Jardim Guadalupe, PH dobrou a serra do cajuru, sem dar entrevistas. Mas deixou para trás as evidencias indeléveis do crime.
Com base na investigação dos seus pupilos, o delegado chefe da Delegacia de Homicídios de Pouso Alegre, Rodrigo Bartoli, pediu a prisão preventiva do assassino. Através do seu advogado, Paulo Henrique tentou por duas vezes a revogação do ‘mandamus’ do homem da Capa Preta. Mas perdeu na primeira e segunda instancia judicial. Por isso Paulo Henrique resolveu se apresentar espontaneamente, antes de ser abordado na rua ou em casa… mas foi preso.
Ao sentar ao piano do delegado Bartoli, Paulo Henrique disse que matou Elias Catarino Junior em legitima defesa.
– Ele havia ameaçado me matar. Por isso, para não morrer, quando ele foi à minha casa, eu atirei nele e fugi… – contou P.H.
O assassinato de Elias Catarino Junior foi o segundo ocorrido em 2017, o quarto de “morte matada” no ano em Pouso Alegre. PH tem vários BOs de infração de transito e um de trafico de drogas(leia o post “Presos ao cair da tarde no São João” aqui no blog). Desde a semana passada ele está hospedado no Hotel do Juquinha à disposição da justiça.

PM fecha biqueira do Marmita

Ele usava dois “dimenor” para vender a droga.

A prisão do ‘patrãozinho’ e seus dois ‘empregadinhos’ – é assim que eles se tratam – aconteceu no final da tarde desta quarta, 27, na Rua Antonio Pereira Sobrinho na Baixada do Mandu. Antes de mostrar as pulseiras de prata aos formiguinhas os policiais tiveram que confirmar as denúncias de amigos ocultos da lei. Do alto de um predinho abandonado ficaram observando a rotina da rua. Era o típico trafico formiguinha: na rua, ora T., ora, B. atendia o cliente que passava à pé ou de moto, ou de carro e fazia o pedido… O garotão se dirigia a um muro próximo, pulava o muro, voltava em seguida com a mer… cadoria, entregava, pegava o pagamento, seguia até uma casa próxima e entregava pela janela o que parecia uma cédula de dez reais.
Depois de alguns minutos observando a rotina deram o bote. E aí, como quase sempre acontece, veio a parte mais difícil da operação. Em meio à prisão dos envolvidos, apareceram os parentes e amigos dos distribuidores de drogas tentando evitar suas prisões. Afinal, segundo os envolvidos, eles não estão fazendo nada de errado! Estão apenas tentando ganhar o pão de cada dia. O que arrecadam com essas atividades mal dá para colocar comida na mesa e alguns eletroeletrônicos nas prateleiras. Além do mais, o que são alguns mil reais perto dos bilhões desviados pelas quadrilhas de Brasilia!? – pensam os formiguinhas. Pensam e, à sua maneira, jogam na cara dos policiais, como se eles sim, estivessem cometendo um crime ao prendê-los!
A inflamação contra os policiais começou com uma senhora que atende pela alcunha de “Fia”, e se estendeu aos transeuntes do local. Na confusão, outra senhora que atende pelo epíteto de “Gabi” pegou um objeto das mãos de T. e dobrou a serra do cajuru.
Retomado o controle da situação, com a chegada de reforços, os policiais apreenderam com o dono da biqueira R$ 1.214 em cédulas diversas. No local além do muro, onde B. pulava e voltava com a suposta droga, foi encontrado um pote com seis barangas de maconha e 175 barangas de farinha do capeta!
Marcos Leandro Camargo de Souza, 19, conhecido no álbum da policia pela alcunha de “Marmita” e seus ‘formiguinhas’ pegaram o taxi do contribuinte e foram sentar ao piano do paladino da lei na DP, onde assinaram o 33. “Marmita” subiu para o Hotel do Juquinha. T. de 17 e B. de 16 anos, agora ‘desempregados’, voltaram para casa.

PM prende mulas na rodoviária

Elas acabavam de chegar de São Paulo com cocaína e um quilo de maconha na bolsa. As drogas iriam para São Gonçalo do Sapucaí.

Anny ao menos ficará sob o mesmo teto do amado!

A abordagem aconteceu casualmente no inicio da tarde desta quarta-feira, 27, na Praça Jorge Beltrao, a lado do terminal rodoviário de Pouso Alegre. Ao verem a aproximação da policia as duas jovens demonstraram certo nervosismo, como se tivessem culpa no cartório. E tinham mesmo! Durante as buscas os policiais encontraram na bolsa da mais jovem um tijolo – baiano – de mais de um quilo de maconha, e um patuá de farinha do capeta, parte em pó e parte em pasta.
Priscila de Fatima Moura, 33, e Anny Karolyne Silva, 20, disseram que haviam acabado de desembarcar do ônibus que viera de São Paulo, onde foram buscar a droga.
– Pagamos mil reais pela maconha e íamos vender em tabletinhos de 50 reais – admitiram as mulas.
Anny e Priscila portavam cada uma um capacete e uma chave de moto. Questionadas confessaram que a moto Honda Titan branca e preta, placa DFL-4470, estava estacionada a pouco quarteirões dali à sua espera. O plano das mulas era retornar à São Gonçalo do Sapucaí, onde moram, com a moto, levando a droga. A viagem no entanto terminou na delegacia de polícia de Pouso Alegre onde as sócias do trafico sentaram ao piano, assinaram o 33 e subiram para o Hotel do Juquinha!
Em março de 2016, durante visita ao amasio Thiunay da Silva, ambos foram surpreendidos com droga no interior do presidio. Na ocasião o amasio assumiu a paternidade da criança espúria.
Para Anny, portanto, o prejuízo não foi tão grande, pois, a partir de hoje ela poderá ficar sob o mesmo teto do amasio Thiunay no Hotel do Juquinha.

PM apreende 40 quilos de maconha em Pouso Alegre

A droga estava no porta malas de um carro em poder do cidadão Luiz Eduardo Valques, no Jardim Flamboyant. A policia encontrou a droga casualmente, quando procurava por um carro clonado.

Valques: Dois carros clonados, 40 quilos de maconha e… silencio!

Segundo o BO, a proprietária do veiculo Hyundai HB20X, azul, placas PXT-6015 de Belo Horizonte, vem recebendo frequentes multas de transito relativo ao citado veículo, por infrações de transito cometidas no município de Pouso Alegre. Só tem um problema: ela e seu HB20 azul jamais estiveram em Pouso Alegre!
Diante da suspeita de clonagem os homens da lei passaram a monitorar o ‘clone’ azul. Ao trafegar pela Avenida Prefeito Olavo Gomes de Oliveira, no final da madrugada deste domingo,34, os policiais avistaram o HB20 azul e seguiram seus passos. A abordagem aconteceu próximo ao Portal Bela Vista no Jardim Flamboyant em Pouso Alegre. No banco traseiro do carro havia meio tijolo de maconha! Além da droga no carro o condutor do HB20 azul levava na algibeira as chaves de um veiculo Ford, que estava ao lado de sua casa. Consultando os dados do Ford KA, verificou-se que ele pertence a uma senhora na cidade de Uberlândia. Questionada a respeito do paradeiro do seu veiculo, a senhora informou que seu Ford KA SE, branco, placas PVI-Uberlândia, estava belo e formoso, e frio, na garagem de sua casa em Uberlândia, no Triangulo Mineiro.

Quando os policiais acionaram o controle remoto que estava na algibeira do moço, no Jardim Flamboyant em Pouso Alegre, a 600 quilômetros do Triangulo Mineiro, um Ford KA SE, branco, placas PVI-Uberlândia, ao lado de sua casa, deu ‘sinais de vida’ e destravou as portas. E as surpresas não pararam aí… No interior do Ford KA, em uma mala, havia 35 tijolos e meio de cannabis sativa de Linneu!
Luiz Eduardo Valques, o condutor do HB20 e portador da chave que abria o Ford KA, clonado e cheio de maconha, apesar de reticente e pouca prosa, admitiu aos policiais militares que a droga era sua.
Ao sentar ao piano o paladino da lei na DP, assistido pelo seu causídico, que chegou à delegacia antes dele, Valques preferiu o silencio. Diz que só vai falar com o Homem da Capa Preta. E em silencio subiu para o Hotel do Juquinha… hotel que ele já conhece!

Fuga da Apac

O preso aproveitou a baixa velocidade do veículo quando passava sobre a travessia elevada da Perimetral, próximo ao terminal rodoviário, para saltar do veiculo em movimento e se misturar aos transeuntes da Feira Livre.

A fuga sutil do ‘recuperando’ Gilmar da Silva Santos, 30, aconteceu ao meio dia deste domingo, 24, na Avenida Perimetral, em Pouso Alegre. Conforme faz rotineiramente, o funcionário da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados seguia para o Hospital Regional Samuel Libanio, levando uma carga de pães, quando o preso do regime semiaberto que o acompanhava, aproveitando a baixa velocidade sobre a travessia de pedestre, saltou da Kombi em movimento, atravessou a avenida e se misturou aos transeuntes da feira livre.
Gilmar, o baiano de Paramirim, 30, tem várias passagens pela polícia no município de Estiva. A última vez que sentiu o frio das pulseiras de prata da lei, foi em janeiro de 2016. Na ocasião, ele e um cumplice agrediram um lavrador com um taco de beisebol e roubaram-lhe cerca de F$ 2.300.
O preso que abusou da confiança e desistiu da ‘recuperação’ na Apac, ainda não foi recapturado!

Patrulheiros do GTR apreendem moto

A Honda Biz preta, roubada semana passada em Pouso Alegre, foi apreendida no município de São Sebastião da Bela Vista.

Os patrulheiros do GTR- Grupo Tático Rodoviário, chegaram à res furtiva através de ‘denuncias de amigos ocultos da lei’. Segundo o informante, uma moto Honda Biz preta, sem placas, trafegava pela rodovia MG 458 em atitude suspeita. Ao abordar o condutor da moto próximo à São Sebastião da Bela Vista, constatou-se que o veiculo, além de não possuir placa, tinha a numeração do motor e do chassi raspados. A motoneta Honda Biz preta, placa GST-8945, ano 2002, havia sido furtada em Pouso Alegre na semana passada. Contatada a vitima do furto, esta passou detalhes e características que identificavam a moto.
Apesar de ter sido pilhado com a mão na res furtiva, o piloto P.C.L., 19, morador da Baixada do Mandú, em Pouso Alegre, preferiu o silencio quanto procedência do “cabrito”! Levado para a DP ele sentou ao piano e assinou 180 do CP.
A motoneta roubada foi rebocada pera o pátio do Detran no sábado á noite. Nesta segunda ela voltará para os braços do dono!

Acidente fatal no Ipiranga

O motorista de 75 anos caiu em uma ribanceira e morreu no local.

O sinistro aconteceu no meio da tarde deste domingo, 24, na Rua Geraldo Camargo, no Bairro Ipiranga em Pouso Alegre.
Ao chegar ao local para registrar o BO a policia militar encontrou o veiculo Fiat Uno Mille Fire cinza, fora da estrada, caído em um barranco de aproximadamente sete metros de altura, totalmente danificado e sem o para brisa. O corpo do motorista, Neonicio Vieira de Freitas estava caído a poucos metros do veículo, sem vida. O corpo deverá passar por exames de necropsia no IML de Pouso Alegre, antes de liberado para os familiares.
A pericia da policia civil esteve no local fazendo os levantamentos de praxe e ainda não sabe o que teria causado o acidente fatal.
O aposentado Neonicio Vieira de Freitas tinha 75 anos e morava no proprio bairro do acidente.

Tiroteio no Andurah

Um dos envolvidos tomou um tiro no rosto… mas passa bem!

O imbróglio na mais badalada danceteria da cidade, na Avenida Tuany Toledo, ‘via gastronômica’ e principal via de acesso à cidade que mais cresce no Sul de Minas, não esperou a hora da assombração… começou antes mesmo da virada da noite desta sexta-feira, 13, desculpe, 23.

O entrevero começou entre os irmãos Diego Walace Pereira, 23 e Peterson Onofre Pereira, 19, e Gabriel Souza Sana, 18, no interior da danceteria. Trocadas as devidas farpas & espinhos, e o tradicional “cospe aqui se você for homem”, os brigões foram lá fora buscar a ajuda do trezoitão. Voltaram a se encontrar novamente na calçada do estabelecimento e mandaram bala um no outro. Diego Walace levou a pior. Ele recebeu um tiro no rosto. A azeitona entrou queimando pelo maxilar e saiu perto da orelha. Diego Walace foi socorrido pelos ‘anjos de vermelho’ e levado para o PS do Regional Samuel Libanio, onde recebeu os primeiros cuidados dos anjos de branco… E não será por conta desse tiro que ele perderá a vida!
Na algibeira do envolvido Peterson Onofre os policiais militares encontraram três projetis de calibre 38 intactos, sendo um deles picotado. O trabuco ele diz ter jogado para o alto antes da chegada da policia. E não sabe onde foi parar!
Gabriel Souza Sana, responsável pelo tiro que atingiu o rosto do desafeto Diego, disse não saber o paradeiro da arma usada no crime. Ele e Peterson foram levados para a Delegacia de Policia, sentaram ao piano mas contaram apenas o que lhes convinha. A policia civil, responsável pela investigação criminal na Comarca, vai tentar identificar os demais envolvidos e esclarecer a tentativa de homicídio.
Todos os envolvidos no tiroteio do Andurah são vizinhos, moradores da ‘baixada do Mandú’. Gabriel e Peterson são figurinhas fáceis no álbum da policia, inclusive por porte e disparo de arma

Rafinha apronta de novo no Faisqueira

O meliante usou um facão para ameaçar e roubar uma dona de casa.

Passava pouco das duas e meia da tarde quente desta sexta-feira,22, quando a jovem Michele ouviu batidas no portão de sua casa, no bairro Faisqueira em Pouso Alegre. Ao abrir o portão deparou com um guampudo brandindo o facão e anunciado o roubo. Ao ouvir o choro do filho da vitima, o assaltante ameaçar fazer picadinho dela e da criança caso a criança não parasse de chorar. E para mostrar que falava serio, encostou a lamina fria do facão no pescoço das vitimas. Em seguida mandou que a dona de casa ficasse quieta no banheiro enquanto ele procurava dinheiro. Depois de um tempo de silencio a senhora saiu do banheiro e deparou com a casa revirada e deu pela falta de um televisor de 39, um receptor de antena digital, uma fonte de receptor de tv, um pacote de feijão tropeiro e um litro de óleo de soja. Segundo testemunhas informaram à vitima, seu algoz é o sujeito conhecido pela alcunha de ‘Rafinha”.
Registrado o roubo, a policia saiu na sombra do assaltante do facão grande nas imediações e encontrou a res furtiva mocosada em um matagal nas margens do rio Sapucaí. O assaltante não estava muito longe. Ele foi localizado no forro de uma casa no loteamento Recanto das Aguas, nas imediações do local do crime.
Na tentativa de escapar das malhas da lei, Rafinha caiu do forro da casa de uma altura de três metros mas, como uma ‘determinada erva’ não sofre danos com a geada, o assaltante não se feriu.
Depois de passar pelo pronto socorro do Samuel Libanio, Rafael Almeida de Oliveira, o “Rafinha”, 27 anos, figurinha fácil no álbum da policia, irmão de outro meliante persona ‘non grata’ no bairro, o “Tata”, envolvido em dezenas de BOs, a maioria não registrados na policia, foi sentar-se ao piano do paladino da lei na DP, onde assinou o 157.
Com sua prisão pela policia algumas horas depois do crime, o meliante ficou no lucro. Ao tomarem conhecimento do roubo, familiares da vitima tentaram fazer justiça pelas próprias mãos… à bala! Rafinha sentiu o sopro de sutil das azeitonas quentes zunindo nos seus ouvidos!
Segundo moradores do Faisqueira, a anos os irmãos “Rafinha” e “Táta” há anos vem ‘tocando’ o terror do bairro.
– Esse foi um dos poucos casos dos irmãos que chegou ao conhecimento da policia. As pessoas já cansaram de chamar a policia e dois dias depois eles estão soltos de novo… – comentou um morador antigo do bairro.