Meu celular e as maravilhas da internet

 

Meu 'amigo' rastreador de Windows Fhone, a qauilotrmos de distancia, me mostrou extamente onde meu ceualr estava...

Meu ‘amigo’ rastreador de Windows Phone, a quilômetros de distancia, me mostrou exatamente onde meu celular estava…

Embora há anos leve diariamente noticias mundo afora através da comunicação virtual, nunca fui amante incondicional da internet. Por vários motivos. Mas tem hora que realmente é preciso dar o braço a torcer! A internet faz coisas que nenhum detetive faria!

Na sexta de manha peguei o Mercedes Bens 2621 da Gardenia em Pouso Alegre e fui à Campinas buscar o carro da minha filha. Levei até uma garrafa d’agua, por vias das duvidas…!

Viagem tranquila, ônibus reativamente vazio, poucas paradas para ‘catajeca’… Ao meio dia o ônibus entrou lentamente no terminal rodoviário. Antes de saltar levei a mão ao bolso para pegar o celular e avisar que havia chegado e… Necasdecatibiribas! Não havia celular no bolso! Caramba!

– Será que esqueci o celular em casa, pela primeira vez?

Olhei para a poltrona vazia, olhei debaixo da poltrona e, tornei a revirar os bolsos da calça cargo e… Nada! Desembarquei!

Do terminal, depois de mais de vinte anos, voltei a usar o velho e infalível ‘orelhão’ pra ligar pra casa. Ouvi novamente a eterna mensagem: “chamada à cobrar… depois do sinal, diga seu nome e a cidade de onde você está falando”…! Antes que eu falasse, Tatiana me atropelou:

– Já te liguei varias vezes! Porque você não me atende…?

– É porque meu celular está fora do meu alcance…

– Como assim, fora do seu alcance!?

– Ele não está comigo! Eu estou na rodoviária de Campinas e ele deve estar no meu escritório em casa, numa greta do sofá da sala ou no console do seu carro…! – respondi com bom humor. – Enfim: perdi meu celular!

Consegui sobreviver em Campinas sem celular! Na manha seguinte já em casa, depois de refazer mentalmente meu trajeto, de apelar para São Longuinho e concluir que o celular estava irremediavelmente perdido, decidimos ligar para a operadora e comunicar a perda. Foi aí que a Inteligência – não os neurônios meus e os da Tatiana, mas sim a ‘Inteligência’, o aprimoramento dos meios de investigação da policia civil – e a internet entraram em cena!

– Espere… – Disse Tatiana – Numa das aulas de Inteligência durante o curso na Acadepol no ano passado, nós aprendemos a rastrear aparelhos de celular através do Windows Fone… Vou tentar!

Tecla dali, digita daqui, enter d’acolá… Em poucos minutos apareceu na tela do computador a imagem de um imenso cercado de muro com figuras que pareciam kombis ou caminhões parados lado a lado. Aproximando mais a imagem, vimos o nome de duas ruas que desembocam na Rodovia MG 290…! Olhando melhor vi que as figuras que pareciam caminhões eram na verdade ônibus…! Meu celular estava no interior de um ônibus na garagem da Gardenia. Provavelmente o mesmo no qual eu viajara no dia anterior!

 

... E vinte e quatro depois ele voltou pra casa!

… E vinte e quatro depois ele voltou pra casa!

Eureka! Achei meu celular sem sair de trás da mesa do computador! – Quer dizer, a Tatiana achou! Depois tem gente que acha que medico legista não é policia! – Restava saber se ele continuava escondidinho no ônibus que me levara à Campinas e seguira até Americana ou se ele havia sido ‘achado’ por alguém!

Em dez minutos cruzamos a cidade. Quando entramos na garage e o diretor de trafego mandou que o manobrista verificasse entre os mais de dez ônibus estacionados onde estava o 2621, Tatiana se adiantou e informou mostrando o ‘print’…

– É aquele primeiro, lá no cantinho direito da garage!

Antes de começar a procurar pelo aparelho no chão ou nas gretas entre os bancos, Tatiana ‘ligou pra mim’…! No instante seguinte meu aparelhinho acendeu a luzinha pálida e toucou nossa musiquinha velha conhecida numa gretinha entre a poltrona 07 e a janelinha do ônibus! Nem mesmo o faxineiro que faz a limpeza costumeira depois de cada viagem o havia encontrado!

Meu celular escorregou do bolso da perna direita da calça cargo, se acomodou confortavelmente na greta da poltrona tão logo me sentei na rodoviária de Pouso Alegre, passou por Campinas, foi até Americana e voltou quietinho, dormindo o sono dos justos, sem perturbar ninguém! Quando acabasse a bateria, nunca mais falaria com alguém. Ficaria ali naquela gretinha em silencio, anos e anos! Até que um dia o ônibus 2621 fosse para o ferro velho!

Ah, as maravilhas da internet…!

Vinte quatro depois de o celular escorregar do bolso de minha calça e viajar quase 500 quilômetros sem mim, sem sair de trás da minha mesa no escritório, eu o localizei… Graças às maravilhas da internet! Eu poderia orientar meu filho pra ir buscá-lo na garage e quando chegasse lá ele diria:

– Vim buscar o celular do meu pai! Ele está na greta da poltrona 07, naquele ônibus lá no cantinho do pátio!

Mas nada disso seria possível sem a internet e as poucas aulas de ‘Inteligência” que a Tatiana recebeu, com o sorriso largo e os olhos vidrados de interesse, – usando a blusinha de capuz verde que lhe garantiu o apelido de “chapeuzinho verde” – durante o curso de Medico Legista na Acadepol no ano passado!

 

*** Abrace seu filho… Não deixe que as drogas o abracem!***

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s