Latrocínio no Paraíso dos Pescadores

Um dos assaltantes que matou o empresário havia recebido a visita da policia civil para uma busca em sua casa poucas horas antes do crime! Enquanto a policia reunia a imprensa para a coletiva na DP, o investigado, que não fora preso por falta de provas, estava cometendo o latrocínio.

Ewerton “Xanxão” Sanches: será que esses olhos verdes ja não foram vistos em outras cenas de crimes na região?

O frustrado roubo à transportadora aconteceu às dez e meia da manhã de sexta-feira, 29. Os três assaltantes chegaram pelos fundos do quintal da residência do empresário, que fica ao lado da transportadora, no bairro Paraiso dos Pescadores, e tentaram tomar o celular da irmã do empresário, para evitar que ela desse o alarme. Impossibilitada de usar o aparelho ela colocou a boca no trombone. No minuto seguinte os irmãos Renato e Walder apareceram. Assustados com a presença de estranhos agarrando a irmã, eles entraram em luta corporal com os assaltantes, sem perceber que eles estavam armados… E aconteceu o inevitável! Dois dos assaltantes, um com um 38 e outro com m 32 atiraram nos irmãos! Frustrado o assalto, os ladrões fugiram do local margeando o Rio Sapucaí em direção à Lagoa Vermelha. Pouco tempo depois os policiais abordaram na beira do rio, dois deles, Ewerton Sanches, o “Xanxão”, e Roni da Silva Vitor. Ambos estavam com as roupas molhadas! Minutos mais tarde outra equipe da policia militar abordou outro ‘molhado’, Carlos Alberto da Silva, o “Dez”, nas proximidades de Bloquel.

Carlos Alberto “Dez” da Silva: terceiro a ser preso, ele contou quem planejou e como foi o roubo


Foi Carlos Alberto da Silva, o “Dez” quem deu com a língua nos dentes. Segundo ele seis pessoas participaram do roubo à transportadora. Ele, Xanxão, Roni e ainda Milton “Zoio”, Rodrigo “Carioca” e Fernando Ribeiro dos Reis. O sexteto de assaltantes chegou ao local do crime em um VW Gol conduzido por Bruno “Zóio”.
– Eu estava’ com o ‘cano’ 32, o “Xanxão” estava com o cano 38 e o Roni com a faca – confessou o meliante. Aliás, o motoboy “Dez” confessou todo o mecanismo do crime, desde o convite e planejamento de Ewerton “Xanxão”, morador do Cidade Jardim, para o cometimento do crime. Só não contavam com a reação dos empresários.

Bruno “Zóio”…


Renato Nazareno de Souza recebeu três tiros na região abdominal e morreu no local. Walder Nazareno recebeu dois tiros, um no braço e outro na perna. A irmã deles, Maria Lucia recebeu coronhadas de revolver na cabeça e pancadas no olho. Ambos foram internados no nosocômio sem risco de vida.
Segundo a perita da Policia Civil, que esteve no local do sinistro e periciou as armas, do revolver calibre 32, usado por “Dez” saíram seis tiros. Do trezoitão usado por Ewerton saíram três. As outras três balas não saíram porque picotaram!

Rodrigo Carioca…


Durante as diligencias os militares foram informados por amigos ocultos da lei que os fujões haviam dispensado os dois revolveres usados no crime, por sob o muro de uma casa desabitada na rota de fuga. No local mencionado os policiais apreenderam as armas, celulares e toucas ninjas usadas no crime.

Rony…


Milton Bruno “Zoio” Teixeira Messias, Fernando Ribeiro Reis e Rodrigo Alessandro “Carioca” Palmeira foram presos numa construção na rota de fuga para o Cidade Jardim. Eles fingiram ser peões da obra, mas não colou!
Todos os envolvidos são suspeitos de roubos recentes nas vizinhas cidades de Conceição dos Ouros, Congonhal, Estiva, São Gonçalo do Sapucaí, Silvianópolis e Pouso Alegre.

Fernando…


O detalhe irônico nessa história, é que um dos bandidos havia recebido visita da polícia poucas horas antes do crime. Às seis da manhã Ewerton Sanches, o “Xanxão”, 39 anos, morador do Cidade Jardim recebeu em sua casa uma equipe da “Operação Notus”! Eles procuravam drogas e outras provas de crimes, mas só encontraram e apreenderam um celular.

Segundo Carlos Alberto “Dez”, Ewerton é o que portava o 38, cujas três balas picotaram…


À exceção de Carlos Alberto “Dez” da Silva, que ‘deu’ toda a fita, todos os demais envolvidos no latrocínio do empresário do transporte juraram de pés juntos que são inocentes. Mas sentaram ao piano, assinaram o 121 c/c 157 e subiram – de novo – para o Hotel do Juquinha, onde poderão ficar nos próximos trinta anos!

Anúncios

2 respostas em “Latrocínio no Paraíso dos Pescadores

    • 30 anos só, nossa justiça precisa rever urgente as leis, no minimo mereciam perpetua, bando de vagabundos marginais, ai depois vem os direitos humanos querer defender esses imundos que roubam e tbem matam sem dó e nem piedade, metem o terror sem ao menos dar uma chance de defessa, um pai de família, uma pessoa que sempre ralou muito na vida com um cabo de enxada na mão e na boleia de um caminhão para construir um patrimônio pra sustentar e dar o minimo de conforto para a própria família e tbem para a família de seus funcionários.Por mim,que Deus me perdoe,mais poderiam apodrecer e morrer na cadeia, belos exemplos para a família e filhos.Que a justiça divina junto com a justiça humana seja feita, pq tenho fé que Deus proverá na vida de cada um deles.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s