Tentativa de homicídio no Faisqueira

– A intenção era matar o agiota e fugir no carro dele e depois sumir com o carro e com o corpo… mas o revolver ‘picotou’ – disse o pretenso assassino.

O macambúzio crime aconteceu às nove e meia da noite fresca desta quarta-feira, 17, na Avenida Antônio Scodeler, no bairro Faisqueira. Ao ser preso tentando se esconder entre as maquinas da empreiteira Delft nas imediações, Jose Aparecido Ferreira da Silva Resende confessou o crime e explicou porque tentou matar Júlio Cesar Domingues da Silva.
– Eu tenho uma dívida de R$ 9 mil com o Júlio. Ele estava ameaçando me matar porque eu atrasei duas parcelas. Por isso eu pedi para ele me levar na casa de um amigo, para pegar uma TV para abater na dívida. No meio do caminho eu mandei ele parar o carro e atirei nele. A intenção era matar e depois sumir com o corpo e com o carro dele… Mas o revolver falhou os primeiros tiros e acabamos entrando em luta corporal – admitiu Jose Aparecido.
Os primeiros tiros foram efetuados pelo pretenso assassino através do para-brisas do carro. Isso permitiu a reação da vítima que entrou em luta corporal com seu algoz. Ainda durante a luta, ele atirou outras vezes até descarregar o Smith Wesson calibre 32. Dois tiros acertaram os braços e outros dois o peito do suposto agiota, pondo fim à luta corporal.
A falha do trabuco e a reação da vítima atrapalharam os planos do assassino. Por isso ele fugiu à pé, pelo mato, e foi se esconder no pátio da empreiteira no loteamento Bela Italia, de onde pretendia pegar uma moto taxi para fugir. Mas foi descoberto pelos vigias e entregue à policia. O trabuco da famosa marca – que não costuma falhar – estava escondido a poucos metros de onde o assassino foi preso.
A versão do comerciante Júlio Cesar não difere muito da do assassino. Ele disse que tem um credito com Jose Aparecido, proveniente de uma moto Honda Hornet que vendeu à ele. No momento em que seguiam para o bairro Faisqueira a fim de receber parte da dívida, Jose Aparecido pediu pra parar, sacou o trabuco e atirou nele. O comerciante foi socorrido por terceiros e levado para o Hospital Regional Samuel Libânio. Os tiros de 32 recebidos nos braços e no peito não lhe oferecem risco de vida!
Jose Aparecido Ferreira da Silva Resende, 27, recebeu as pulseiras de prata, sentou ao piano do paladino da lei, assinou o 121 c/c 14 do CP e foi se hospedar no Hotel do Juquinha!
E a dívida aumentou…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s