Faxina no “Hotel do Juquinha”…

Noticias de rebelião em andamento… Não passam de BOATOS!

O famoso Hotel do Juquinha, no cruzamento da BR 459 com MG 179, em Pouso Alegre, está passando por uma operação “pente fino” desde o inicio da manha desta sexta-feira, 27. Agentes prisionais de varias unidades da região estão participando desta operação. O objetivo da faxina, segundo o diretor Sergio Moraes, é apreender celulares, drogas e outros objetos ilícitos, inclusive procurar possíveis “tatus”.
Por telefone, o diretor Sergio Moraes concedeu a este colunista a entrevista abaixo:
– O que há de verdade e o que há de boato nas mensagens que estão circulando nas redes sociais sobre rebelião no presidio, Sergio?
– Nós estamos realizando um procedimento de rotina no presidio visando apreender celulares, drogas e encontrar possíveis “tatus”… Neste momento, 13:30 – desta sexta 27 de janeiro – estamos terminando a revista em uma das alas do presidio. Faltam ainda tres alas, duas masculinas e uma feminina. A revista deve durar todo o dia…
– A que se deve este barulho a que alguns parentes de presos estão relatando em suas mensagens?
– Todos os presos, cerca de 200 de cada ala, são retirados das celas e colocados no pátio. Depois os agentes batem grade e revistam cada palmo de cada cela. Até o momento não encontramos “tatus”, embora haja indícios. Mas há celulares, como se pode ver pelas mensagens enviadas pelos próprios presos de dentro do presidio.
– Quando foi feita a última revista geral no “hotel”…?
– Foi à quase cinco meses. O nosso efetivo está cada vez menor, alguns agentes tiveram seus contratos rescindidos, falta agente para vigiar e a cada dia chegam mais presos. A ‘bronca’ maior dos presos é porque estão tendo que ir para o pátio… Se acostumaram ficar sem ser incomodados por muito tempo. Mas o procedimento é necessário para que possamos manter as visitas e banhos de sol…
– Além dos agentes de outras unidades da Suapi, quem mais está acompanhando a revista?
– Nós informamos o promotor da execução penal sobre o procedimento e o convidamos para acompanhar. Ele autorizou mas, justamente para não fomentar boatos, achou por bem não acompanhar de perto.
– Além dessa preocupação rotineira com objetos ilícitos como celulares, drogas, chuços e possíveis buracos que facilitam fugas, há algo mais que preocupa a administração do presidio no momento?
– O clima no presido é sempre tenso… O que mais preocupa no entanto, é a superlotação; a unidade foi construída para abrigar 395 presos. Neste exato momento temos 798! Mas já tivemos 850!
– O que você pode dizer à população e aos familiares dos presos com relação a toda essa balburdia nas redes sociais?
– Fiquem tranquilos. Estamos cumprindo estritamente o nosso dever, tudo dentro das normas da Suapi e fiscalizadas pelo Juiz e promotor da Execução Penal. Barulho infelizmente sempre haverá… Ninguém quer sair do seu conforto.
O ‘gerente’ do Hotel do Juquinha, disse ainda que assim que terminar a revista geral e fizer um relatório para o juiz, divulgará um balanço geral da “faxina” à imprensa.

* Postado às 14h20 do dia 27 de janeiro de 2017.

Anúncios

Uma resposta em “Faxina no “Hotel do Juquinha”…

  1. Quem gosta de sair do conforto? Ainda mais a vagabundagem, tem que descobrir por onde entram esses celulares lá dentro. Acredito que através desses celulares, tanto nós aqui fora quanto todos que lá trabalham correm perigo, apesar da maioria sempre serem ladrões de frango, mas nunca se sabe, como você diz “aquela pedra bege fedorenta”, dá muita coragem aos meliantes.
    Um grande abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s