Meninos que vi crescer… Entre os ‘adultos’ de Pouso Alegre!

Airton Chips e seu "Meninos..." e Maristela Saponara Correa, Secretaria da Academia Pousoalegrense de Letras e autora do livro "Teatro Municipal de Pouso Alegre".

Airton Chips e seu “Meninos…”, e Maristela Saponara Corrêa, secretaria da Academia Pousoalegrense de Letras e autora do livro “Teatro Municipal de Pouso Alegre”.

Na ultima de outubro, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Pouso Alegre, em parceria com a Biblioteca Municipal Prisciliana Duarte de Almeida, realizou uma exposição de livros no saguão da Biblioteca Municipal, na Praça Senador Jose Bento. O objetivo do evento era, além de comemorar a Semana Nacional do Livro, expor as obras e homenagear os autores pousoalegrenses. Cerca de 100 livros de 89 autores radicados em Pouso Alegre foram expostos.

O livro de crônicas policiais “Meninos que vi crescer”, de autoria deste blogueiro, esteve em exposição.

Ver meu “Meninos…” entre as obras de Amadeu de Queiroz, João Beraldo, Jorge Beltrão, Octavio Miranda Gouveia e outros conterrâneos ilustres deixou-me ligeiramente garboso e motivado a lançar o segundo volume!

livro  Meninos que vi crescer, livro robusto com 50 crônicas policiais vivenciadas pelo autor na cidade de Pouso Alegre e região, contadas ao longo de 469 paginas, já está à venda nas livrarias e bancas de revistas de Pouso Alegre e através do site “meninosquevicrescer.com.br”. No entanto, o lançamento formal da obra será feito no inicio do ano que vem, em parceria com a Academia Pousoalegrense de Letras!

 

Gibi, Chavinho e Coquinho… Atrás das grades!

Gibi... Atras das grades pelos próximos 10 anos!

Gibi… Atras das grades pelos próximos 10 anos!

Não adiantou fugir do local do crime; não adiantou se apresentar de braços dados com o causídico…! Os assassinos do angolano receberam as pulseiras de prata e subiram no taxi do contribuinte para Hotel Recanto das Margaridas!

Tão logo começou o expediente na Delegacia de policia civil de Santa Rita no Sapucaí nesta terça e recebeu o BO sobre o assassinato de Joceu Wando Capilo, o delegado de homicídios da Comarca, Mario Roberto Rodrigues Martins, se dispôs a pedir a prisão dos suspeitos João Paulo do Prado e seus asseclas alcunhados “Chavinho” e Coquinho”. Antes mesmo de encaminhar o pedido ao Homem da Capa Preta, o advogado dos assassinos se dispôs a apresenta-los!

Em seu depoimento, João Paulo “Gibi” do Prado abriu o livro! E assumiu toda responsabilidade pelo crime.

 

– Fui eu que puxei o gatilho, doutor…! A ‘treta’ era com o Valdecir… Quando o maluco entrou na parada eu dei os tiros nele! – Confessou o meliante que até ontem gozava de liberdade condicional!

Os detalhes do covarde crime, no entanto, quem contou ao paladino da lei, foram as testemunhas e o laudo de necropsia! O primeiro tiro foi no nariz do estudante desramado. Tão logo ele caiu de costas fatalmente ferido, Gibi deu mais um tiro no olho…!

Mesmo tendo João Paulo assumido a autoria dos disparos fatais, o delegado Mario Martins enquadrou também os parceiros dele, Wellington Cruz Lima, o “Coquinho” e Breno Inácio Vilela, o “Chavinho”, no artigo 121 do CP. Os três estavam espancando covardemente o desafeto Valdecir Bernardes, o que teria provocado a intervenção pacifica do estudante assassinado. Diante de tal clamoroso crime o Homem da Capa Preta acatou o pedido do zeloso delegado e decretou a prisão preventiva do trio.

Gibi, Chavinho e Coquinho, todos figurinhas fáceis no álbum da policia, estão de volta ao lar-doce-lar do Hotel Recanto das Margaridas onde deverão aguardar julgamento!

Justiça feita?

Ainda não!

A atitude das testemunhas do brutal crime ao delatar os assassinos e fazer circular nas redes sociais a cara e os nomes deles, foi de fundamental importância. Além de mostrar a indignação com a violência urbana, contribuiu para o esclarecimento rápido do crime. Não que a policia fosse cruzar os braços, ou que a justiça fosse esperar de olhos vendados… Temos absoluta certeza que tanto o delegado de policia quanto o juiz da comarca agiriam exatamente como agiram! Um pedindo e o outro acatando o pedido de prisão preventiva! A diferença é que os meliantes sentiram tanto a pressão da sociedade, que estenderam espontaneamente os braços e os ofereceram para as pulseiras de prata da lei! Pouparam um grande trabalho à policia..!

A policia fez o se trabalho… O Homem da Capa Preta com certeza fará o seu! Mas não poderá ir uma virgula além do que prescreve a lei!

É aí que o melado desanda! Pois as leis penais brasileiras são frágeis, flácidas, cheia de brechas e buracos e no final da tachada, não dá rapadura que preste…! Não pune ninguém!

Aliás, pune sim, pune filhos que ficam sem pais assassinados por motivos banais ou por meia dúzia de moedas; pune pais que ficam sem seus filhos assediados por traficantes inescrupulosos; pune o jovem que enterrou seus sonhos – e quiçá sonhos do seu país, pois estava buscando conhecimento para melhorar a qualidade de vida do seu povo além mar! – porque ousou levantar a mão… para pedir paz!

Louvável a coragem das pessoas que se indignaram e ousaram escancarar a cara do assassino do estudante Jocéu na redes sociais! Isso mostra que o povo quando quer… sabe o que quer!

Mas é preciso ir além… É preciso escancarar a ineficiência das nossas leis e pedir, e exigir dos “homens de Brasília” – aqueles que escolhemos para nos representar – que modifiquem as leis, que mudem as leis, que criem leis que realmente punam o meliante! E não o cidadão de bem que não pode sequer sentar na calçada de sua casa numa noite de calor para jogar conversa fora com o vizinho!

Não basta a policia prender. Não basta o judiciário aplicar a lei, se a lei não pune ninguém!

Já passou da hora de os nossos congressistas tirarem os olhos do umbigo – e do bolso! – e justificarem a vida de marajás que levam com nosso dinheiro!

Ah, e criarem leis que obrigue o Executivo construir presídios onde os presos possam trabalhar e produzir o seu próprio sustento!

… Mas é preciso continuar se indignando…!

 

População de Santa Rita procura Gibi

O corpo do jovem estudante assassinado segue nesta quarta, 04, para Angola onde será sepultado!

O corpo do jovem estudante assassinado segue nesta quarta, 04, para Angola, onde será sepultado!

O crime que abalou a população de Santa Rita do Sapucaí, aconteceu no final a noite de sexta, 30, na Avenida João de Camargo, no centro da cidade. E aconteceu por motivos banais… Ao intervir numa briga entre três sujeitos, tentando apartá-los, o estudante recebeu dois tiros, provavelmente de revolver calibre 32, na cabeça e morreu horas depois no hospital. Joceu, 30, natural de Angola na África, cursava engenharia das telecomunicações no INATEL desde 2012.

       Segundo relatos de pessoas que estavam por perto e presenciaram a briga, a intervenção pacifica do estudante avesso à violência, e seu consequente assassinato, os tiros foram disparados pelo meliante conhecido pela alcunha de “Coquinho”, o qual estava na companhia de outros dois brigões, “Chavinho” e “Gibi”.

     Logo após os tiros que vitimaram o estudante d’além mar, Gibi e seus comparsas dobraram a serra do cajuru em um Fiat Elba em direção à BR 459.  Imediatamente após socorrer o estudante agonizante, os homens da lei saíram na sombra dos encrenqueiros assassinos, mas perderam seus rastros!

     

Gibi atras das grades...

Gibi atras das grades…

Gibi "diboinha"...

Gibi “diboinha”…

João Paulo do Prado, 34, o “Gibi”, morador do Recanto das Margaridas, é um dos meliantes mais ‘lidos’ da cidade! Constam em suas páginas, desde o inicio da maioridade penal, furtos, roubos, ameaças, lesões corporais e uma tentativa de homicídio. – Em fevereiro ultimo João Paulo do Prado tentou riscar do gibi o desafeto Ricardo Pedro Candido, o “Ri”. Não conseguiu! A façanha ficou por conta do irmão mais novo, Cleber do Prado, o Gu, o qual, três meses depois riscou de vez “Ri” dos gibis da policia com tiros de trezoitão no “Recanto”. – Apesar do gibi tão grosso, Gibi estava em liberdade condicional desde julho!

      Fora do seu habitat natural, Gibi, de cabeça baixa é a humildade em pessoa. Sob a tutela da lei tem um sorriso fácil… Acabou de se converter!

– Encontrei Jesus, doutor… Parei com essa vida errada! – dirá ele quando precisar de algum favor ou beneficio seu! Fora dos olhares sisudos da lei, como a maioria dos meliantes, Gibi mostra as garras e volta a escrever paginas obscuras e negras! Já teve nas mãos todas as chances de reinserção social possíveis… Mas sempre acaba rasurando, rasgando e jogando fora!

      Num inicio de noite fresca de 2007, resolvi esperar a chegada dos presos do regime aberto na entrada do “Hotel Recanto das Margaridas”. Sentei-me num banquinho de madeira debaixo de uma mangueira na beira da horta e fiquei na penumbra. Não tardou surgiu Gibi lá no fim da rua e veio ligeiro trocando as paginas, quero dizer, as pernas. Quando chegou à esquina do Bar do Pelé, entrou rápido no boteco e saiu com uma garrafa pet… E continuou em direção à cadeia. Quando chegou à esquina, olhou pra cima e… ops! Avistou a viatura na porta do presidio. Gibi parou, pensou por um instaante, concluiu que havia ‘boi na linha’, olhou para a garrafa pet na mão, deu meia volta e voltou para o bar do Pelé. Um minuto depois, já atrasado, subiu a rua e chegou quase correndo à porta da cadeia… Sem a garrafa pet! Naquela noite Gibi não pode vender seu estonteante ‘suco de gerereba’ no ‘presidio modelo do Sul de Minas’ como sempre fazia!  

       A indignação do povo de Santa Rita com o covarde  assassinato do jovem estudante angolano provocou uma atitude que pode acabar virando moda… Delataram e postaram foto do suposto criminoso nas redes sociais. Desde o dia seguinte ao crime a foto de “Gibi” circula no face e whatsapp com a legenda “Procurado”!

       Quer dizer então que a qualquer momento a policia ou um cidadão qualquer poderá prender Gibi e seus comparsas?

       Não. Eles não estão em situação de flagrante e nem tem ordem escrita e fundamentada do Juiz para prendê-los! 

      Então vai ficar por isso mesmo?

      Não.

      Os assassinos do estudante angolano poderão ser preso a qualquer momento, “desde que” o Homem da Capa Preta, a pedido do delegado de policia, decrete suas prisões, temporária ou preventiva!

       Caso João Paulo “Gibi” do Prado seja mesmo autor dos disparos que mataram o estudante angolano, ele poderá ser condenado de 12 a 30 anos de cana!

       A iniciativa dos internautas em espalhar a foto do suposto assassino nas redes sociais… Pode virar moda!  

 

Cachoiêra de Minas continua lá…

Placa proxima
Placa distante
Esta crônica foi publicada aqui no Blog no dia 20 de outubro de 2011 com o titulo; “Retrato da educação no Brasil”. De lá para cá muitos carros passaram cantando pneus a poucos centímetros dela; muita agua passou no leito do Rio Sapucaí alguns metros abaixo; milhares de pessoas leram o ‘vacilo’; Cachoiera ganhou o mundo através do Blog… E nada mudou!

“Terminou outro dia a greve – recorde – de 112 dias dos professores de Minas. Aliás, terminou como todas as outras nos anos anteriores; com os professores com uma mão na frente e outra atrás. Enquanto isso, os estudantes brasileiros se formam, recebem seus canudos e ingressam  na faculdade ou no mercado de trabalho escrevendo assim:

A placa está ali a quinhentos metros da cidade de Santa Rita, saída para Pouso Alegre, na descida do bairro Serrinha, acima da ‘vivenda’ do “Psicoteca” – Aliás, ‘psicoteca’ é corruptela de ‘psicotécnica’, resultado da cultura ou incultura do Sr. Sebastião ao pronunciar tal palavra – há cinco anos, desde a conclusão das obras de recapeamento e ampliação da BR 459.

O erro não é somente gráfico, mas também fonético, afinal, cachoeiiiiiiiira soa bem diferente de cachoiêêêêêêêêra…

De quem é a culpa?

Do funcionário do DENIT/DER que mandou pintar a placa? Ou do ‘profissional’ que pintou a dita cuja? De ambos. E acrescento ainda mais dois culpados. O cidadão cachoeirense e a escola.

O funcionário do DENIT ou encarregado da obra deveria escrever no papel os dizeres a serem pintados e conferir a ‘obra’ depois de pronta. O ‘artista’ que pegou no pincel, se não sabia escrever, deveria consultar quem sabe antes de ‘pintar o sete’.

Tudo bem, não dá para esperar muito destes dois; um é empregado do governo e fiscalizando ou não a qualidade da obra, vai receber seu polpudo salário no fim do mês – Aliás, obra do DENIT… Põe polpudo nisso!!! O outro, tanto faz; cachoeira, cachoiera ou cachorreira… o que importa é que o dimdim ‘escorra’ para seu bolso.

Mas e o cidadão cachoeirense??? Por ali passam diariamente centenas de cachoeirenses todos os dias… Será que não sentem nem mesmo um arranhão no orgulho ao verem o nome de sua cidade escrito de forma errada? Ou será que nunca repararam?

Bem, se o cidadão ‘cachoierense’ não se importa em ver o nome de sua cidade deturpado, se o funcionário do DENIT não se importa em ver a competência do seu trabalho atestada e se o pintor de placas não se importa em pintar publicamente sua ignorância, desculpem-me. Deixem a placa lá. Serve ao menos para alguns motoristas mais atentos se distrair na viagem, pintando comentários pejorativos sobre os três.

Enquanto isso, os governos deixam seus estudantes meses sem aula por causa de cento e poucos reais e se justificam dizendo que estão cumprindo a lei…! Mais correto seria se tivessem pintado; “Cachorrada” dos polit….”, bem, deixa prá lá…

Não se surpreendam se na próxima placa escreverem “Cachorreira” de Minas…”

Em 2014 a rodovia que havia sido totalmente reformada em 2006, passou por nova reforma. Aliás, reforma desnecessária e inexplicável, uma vez que só tinha alguns buraquinhos aqui e acolá. Muito mais gritante é construir uma 3ª faixa no trecho da MG 350, que liga Itajubá ao alto da serra da Mantiqueira, e, melhor ainda, até Piquete, caminho inevitável de milhares de romeiros que dobram a serra com destino à Padroeira do Brasil e ao Rio de Janeiro. Esse é um mistério que, embora saibamos, não nos arriscamos explicar! Um dia ‘aquele pessoal de Brasilia’ irá prestar contas lá no ‘escritório de cima’…!

O fato é que durante a operação tapa buraco – no bolso de alguns políticos! – a placa de Cachoiera foi retirada na margem da via. Aí eu pensei:

– Bem, a reforma da pista servirá para alguma coisa além e financiar campanha politica… Finalmente, oito anos depois, irão corrigir a grafia da placa!

Mas… para minha surpresa, a placa voltou ao mesmo local com a mesma grafia tal qual era antes!

Meu Deus, pelos meus professores da infância, pelos meus netinhos que ainda não nasceram… Será que nem desta vez perceberam o erro?

Pelo andar da carruagem, não… Cachoeira de Minas continua Cachoiiiiiiiiiieeeeeeeeera de Minas!

 

 

Professor da ETE, Hilário Coutinho, é picado por cobra

Setembro, mês do quarto aniversario do Blog

        jararacaO professor de filosofia da ETE, Hilário Coutinho, foi picado por uma cobra venenosa, provavelmente uma jararaca, ao pé da noite de sábado. Ele voltava de uma visita familiar, para seu sitio no bairro dos Coutinhos, em Congonhal, quando, no momento de engrenar a marcha da motocicleta, sentiu a picada na perna esquerda, abaixo da panturrilha. A principio pensou que talvez tivesse esbarrado no pedal da moto ou num graveto, mas a dor tornou-se tão intensa que o obrigou a parar alguns metros adiante, e constatou que a marca das presas deixadas na lateral da canela, eram de cobra. No escuro da noite não era prudente procurar pela malfeitora para identifica-la e facilitar a injeção do antídoto para o veneno, mas, pela hora do fato, tipo do ferimento, altura do bote e pela vasta experiência do professor que cresceu carpindo mandioca e roça de milho, puxando cascavéis para os pés com a enxada, pode-se deduzir que a sua ‘inimiga’ era uma irritadiça jararaca.

O professor teve muita sorte. Apesar da dor aguda, latejante e da dormência na região atingida e ao longo da perna esquerda, a quantidade do gélido veneno da peçonhenta não foi suficiente para tira-lo de combate. Ele conseguiu chegar ao seu sitio pilotando a moto com o filho imberbe na garupa e meia hora depois foi socorrido no PS do Hospital Regional Samuel Libanio onde passou a noite em observação e já retornou às suas atividades.

A invisível serpente de pouco mais de meio metro, certamente já havia gasto a maior parte do seu veneno abocanhando algum rato nas imediações, ou então, irritada com o compassado tótótótó da Bross laranja do professor, havia distribuído alguns botes a esmo na inocente motocicleta.

DSC05940 Ironicamente, na quinta anterior, o professor havia proferido uma palestra conjunta para cerca de 80 pessoas no auditório da ETE, cujo tema discorrido tratava da “Vida depois da Morte”. Ao final, com sutil bom humor o culto professor concluiu sua fala, do ponto de vista filosófico; “… pelas minhas características genética e estatística, devo viver até os 82 anos… se não surgir no meu caminho nenhum acidente…”. Dois dias depois, o acidente mostrou a cara, quero dizer, as presas…!

 

* Matéria publicada no dia 21 de setembro de 2011, a 1.466 dias atrás, quando o Blog tinha em media 40 acessos por dia! Hoje a media é de 10 mil por dia!

* Junto com a cascavel e o urutu, a jararaca forma o trio peçonhento mais venenoso do Brasil. Segundo os roceiros, a “picada de jararaca quando não mata… aleija”! Apesar disso o professor Hilario Coutinho não sofreu sequelas. No final do ano passado publicou seu livro de historia e genealogia “A Familia Coutinho no Sul de Minas”… E continua firme ensinando filosofia aos alunos da ETE em Santa Rita do Sapucaí!

Santa Rita do Sapucaí tem 4 traficantes a menos

Boroga foi meu cliente quando ainda 'dimenor'. Depois de completar 18 anos ja assinou dois 33 c/c 35, um 129, um 147 e 329. Havia deixado o Hotel Recanto das Margaridas em abril passado!

Boroga recebeu minhas pulseiras de prata varias vezes quando ainda era ‘dimenor’. Depois de completar 18 anos ja assinou dois 33 c/c 35, um 129, um 147 e um 329. Havia deixado o Hotel Recanto das Margaridas em abril passado!

Os policiais militares chegaram até o quarteto através de denuncias anônimas. Segundo os amigos ocultos da lei, o predinho do bairro Monte Verde, abriga uma movimentada biqueira de drogas!

– É um entra e sai de pessoas dia e noite… – dizia João.

– Carros e motos encostam na casa o tempo todo… – dizia Jose.

– Alguém passa na rua e assobia… Logo depois aparece alguém no portão e entrega a droga! – dizia Maria.

A prisão aconteceu no final da tarde desta terça, 22.

Antes de dar o bote, os homens da lei pararam à distancia e ficaram observando. Não demorou encostou uma Honda Titan vermelha com a placa dobrada e dela saltaram dois ocupantes e entraram na casa. Tão logo entraram os policiais deram o bote. Pegaram quatro meliantes mocosados nos fundos do prédio. No quarto em que estavam, os policiais apreenderam 21 barangas de farinha do capeta e cerca de R$600 em dinheiro de porta de igreja. Encontraram também uma infinidade de celulares e objetos sem procedência comprovada.

 

Magdiel assinou um 155 em 2012 e dois 33 em 2013. Saiu da cadeia em outubro de 2013!

Magdiel assinou um 155 em 2012 e dois 33 em 2013. Saiu da cadeia em outubro de 2013!

Magdiel Silva dos Santos, 21, Rafael Rodrigues da Silva, 21, Romulo Henrique Tobias, 21 e Leandro Alves Pereira o velho Boroga, 26, – condutor da motoca com placa virada para dificultar identificação, – juraram de pés juntos que estavam no local apenas para consumir droga, pois são usuários! Não colou. Desceram todos para a Delegacia Regional de Pouso Alegre, sentaram ao piano, assinaram o 33 c/c com 35 da Lei 11.343.

No final da manha desta quarta voltaram para Santa Rita do Sapucaí! Mas foram no Taxi do Magaiver… Direto para o Hotel Recanto das Margaridas!

No final da m,anhã o Taxi do Magaiver seguiu lotado para o Hotel Recanto das Margaridas!

No final da m,anhã o Taxi do Magaiver seguiu lotado para o Hotel Recanto das Margaridas!

“Santarritense vai buscar vitória em Uberlândia”

1a Foto“Nem mesmo o uniforme branco, numero 1, evitou que o jovem time do Vale da Eletrônica perdesse para o experiente time do Triangulo, diante de sua torcida, na nublada manha de domingo. O time dirigido pelo técnico Cleber, zaqueirão formado pelo Galo na década de 90, começou pressionando e logo no inicio, numa jogada confusa na área, conseguiu abrir o marcador. O Robozinho do Vale empatou poucos minutos depois e parecia que iria reagir, mas a experiência do time visitante fez a diferença.

O esquadrão do Araxa, com o belo uniforme preto e branco semelhante ao do Galo – tem penas mas é Ganso – com vários jogadores veteranos e ‘rodados’ no futebol, não teve muita dificuldade para dominar o jogo e impor seu ritimo. O tempo todo rondou a área adversária.

Aos 42 anos o ‘guarda-roupa’ revelado pelo Atlético na década de 90 e depois defensor do ‘Porco’ paulistano e do futebol europeu, ainda está em forma.

Aos 42 anos o ‘guarda-roupa’ revelado pelo Atlético na década de 90 e depois defensor do ‘Porco’ paulistano e do futebol europeu, ainda está em forma.

Para desespero da pequena e agitada torcida do Santarritense a pelota desfilou livre, leve e solta inúmeras vezes na porta do seu gol e acabou entrando mais duas vezes.

Apesar da derrota, o time do Vale da Eletrônica, que só venceu uma vez na competição, ainda tem chance de passar para a outra fase do certame e continuar sonhando com o titulo ou o acesso à Primeira Divisão, graças à desistência do Araguari, que não aquentou a pressão da falta de dinheiro e à derrota do Jacutinga, que também voltou a perder em casa para o Cap-Uberlandia. Se cantar afinado esta noite no Parque do Sabiá, contra o time que o bateu por 3×0, o Robozinho do Vale mantem viva a esperança do torcedor.”

No intervalo deste jogo, este garotinho esmerilhava uma pelta com amiguinhos num dos gols. O nome dele é Erick – Guarde este nome. Aos 11 anos o garotinho da Escolinha do Bugalu toca fácil e com estilo na pelota. Não se surpreenda se aos 22 ele estiver envergando uma ‘amarelinha’.

No intervalo deste jogo, este garotinho esmerilhava uma pelota com amiguinhos num dos gols. O nome dele é Erick – Guarde este nome. Aos 11 anos o garotinho da Escolinha do Bugalu toca fácil e com estilo na pelota. Não se surpreenda se aos 22 ele estiver envergando uma ‘amarelinha’.

 

O objetivo de republicar este post no mês de aniversario do Blog, é fazer a pergunta:

– Onde está o garotinho Erick…!???

 

Motoqueiros de Santa Rita roubam malote em Pouso Alegre

 John William de Oliveira, vulgo Gordinho, 24 anos, foi processado por trafico em 2009 e por roubo em 2010. Em 2012 recebeu sua primeira condenação; 5 anos e três meses. Passou dois anos atrás das grades. No dia 21-05-2015 deixou o Hotel Recanto das Margaridas em liberdade condicional!

John William de Oliveira, vulgo “Gordinho”, 24 anos, foi processado por trafico em 2009 e por roubo em 2010. Em 2012 recebeu sua primeira condenação; 5 anos e três meses. Passou dois anos atrás das grades. No dia 21-05-2015 deixou o Hotel Recanto das Margaridas em liberdade condicional!

Raspava onze da manhã indecisa desta segunda quando o empresário M., proprietário do Auto Posto São Cristovão, entrou no seu veiculo Nissan March e se dirigiu ao banco Santander na Avenida Prefeito Olavo Gomes de Oliveira, no bairro Cruzeiro, em Pouso Alegre levando um malote recheado de dim-dim e cheques para depositar. Quando chegou defronte o banco, do outro lado da rua, antes mesmo de descer do carro já foi atendido…! Mas quem o atendeu não foram os funcionários do banco… Foram dois motoqueiros! O garupa da moto Yamaha Fazer preta placa OLX-9640, apontou um trabuco também preto, parecendo ser pistola e se ofereceu para ajudar… Mas foi muito grosso ao dizer:

– Fica esperto!

Diante da grosseria – e da pistola – preta do motoqueiro, o empresário imediatamente entregou o malote contendo R$40 em dim-dim e R$37 em cheques diversos.

O fato naturalmente foi registrado pela policia militar, que espalhou a noticia por toda região contando o caso da Yamaha Fazer preta com placas de Santa Rita do Sapucaí.

Horas mais tarde a aludida moto foi localizada bela e formosa descansando na sombra da casa de numero 1.590 da Rua Cônego Adolfo Carneiro no bairro Anchieta, na cidade de Santa Rita do Sapucaí!

Seguindo os registros oficiais e não oficiais da motoca usada para levar o malote recheado do Auto Posto São Cristovão, a policia militar chegou ao cidadão John William de Oliveira. Este por sua vez, de longe, via telefone celular da irmã, contou a historia da carochinha…!

Abandonada sem dono na rua da amargura em Santa Rita do Sapucaí, a moto assaltante foi rebocada para o pátio credenciado pela policia.

A pergunta que não quer calar…:!

– E agora… Quem vai à delegacia buscar a motoca Fazer preta?

Mulher espera 15 dias pela ressureição da mae

Neste 01 de setembro, o Blog completa 4 anos de existência. Para comemorar a façanha, durante todo o mês estaremos publicando uma das crônicas que foram noticia em cada dia corresponde no mês de setembro de 2011.

A da senhora de Santa Rita do Sapucaí, que acreditava que a mãe morta de causa natural ressuscitaria com rezas e incensos, é uma das matérias publicadas no primeiro dia de vida do blog…!

cemiterio

“Outro dia, em 2006, aconteceu um fato inusitado na capital da eletrônica. Não foi tão macabro quanto o esquartejamento em seis partes de Três Corações, mas daria enredo para um bom filme de terror.

Dona T.M.M., 56, vivia com as filhas já titias – porque será que ficaram para titia ? – e a mãezinha já anciã numa viela do bairro Maristela. Vivia literalmente com as filhas e a mãe, pois não se relacionavam com ninguém na vizinhança, devido ao seu ‘gênio difícil’, ou como a própria T.M. diria se fosse perguntada;

-“…porque eles são impuros”!

Apesar de não ter nenhum contato com a estranha família, a não ser visual, um belo dia, vizinhos perceberam que a velhinha de 82 anos não aparecia mais nem na janela da casinha simples do beco. Passaram a observar melhor e começaram sentir um estranho cheiro no ar. Uma mistura de perfume com ervas queimadas e… Carniça! Pior, carniça humana!

Teria a calada velhinha morrido?

Teria ela sido esquartejada e enterrada no quintal?

Os problemas da estranha T.M. eram dela, mas como vivemos em sociedade, alguém resolveu chamar a policia para sentir o cheiro também.

Interpelada na porta da casa a domestica disse que sua mãe estava dormindo. E relutou em deixar-nos entrar. No entanto, agora com a porta aberta, tínhamos certeza; algo não cheirava bem ali…!

Entramos na marra! E o que vimos num quartinho dos fundos da singela e limpa casa causou arrepios e náuseas; sobre a pequena cama de solteiro cuidadosamente forrada com lençol estampado, ornada com desenhos coloridos de quimera, cercada por vasos de flores artificiais, estava a anciã…, plácida, calada e serena… Morta há quinze dias!

Indagada sobre a cena, T.M. repetiu sem titubear que a mãe estava dormindo e poderia acordar a qualquer momento. E ainda acrescentou com convicção…

– Ela não deve ser imolada, pois poderá ser ‘contaminada’ pelos impuros… – disse ela como se fosse uma guardiã.

A retirada da velhinha putrefata da casa da filha, espalhando seu nefasto e inevitável odor pela vizinhança, exigiu escolta policial.

caixão Dois dias depois do enterro voltei ao local a fim de intimar dona T.M., para prestar esclarecimentos em I.P.  Ela ainda estava brava com o ‘seqüestro’ da mãe. Fincou os pés e disse que não iria atender a intimação. Que não estava sujeita às leis dos homens. A única lei que acataria era a do seu deus, o “Deus da Guerra” e só iria à delegacia se o seu Deus assim o permitisse. Mas arriscou à clássica pergunta;

– E seu eu não for à delegacia, o que vai acontecer?

Como todo bom policial que não complica mas esclarece, respondi na virgula, com firmeza mas sem exasperação;

– Não se preocupe,  se a senhora não chegar às duas horas, às duas e dez estarei aqui na porta para lava-la no táxi do contribuinte!  – Quase perguntei se precisava levar pulseiras de prata.

No dia seguinte quando abri a porta da delegacia às duas da tarde, dona T.M. estava lá com sua grande e surrada bolsa estampada a tiracolo, agarrada ao braço de uma filha taciturna. Fingiu que não me viu, mas logo que virei as costas, entrou atrás de mim e foi direto ao cartório do escrivão Erasmo prestar depoimento.

Ela não cometera nenhum crime. Nem mesmo vilipendio de cadáver. Sua mãezinha havia morrido de velha. Ela só tinha que ser avisada e mudar-se de cemitério! O homem da capa preta na certa deve ter pedido o arquivamento do processo e nunca mais ouvimos falar na mulher que queria ressuscitar a mãe depois de 15 dias… Com incensos e preces ao ‘Senhor da Guerra’”!!!

Pedrinho tropeçou na pedra…

Droga do PedrinhoPassava pouco das três da tarde desta terça, 23, quando a policia militar recebeu uma denuncia anônima dando conta de que o garoto Pedrinho estava vendendo drogas em sua residência no bairro Loteamento do Vale. Imediatamente os homens da lei foram fazer uma visita à Pedrinho. Informado da denuncia, o pai do garoto autorizou a entrada dos policiais em sua casa. Após breve revista no quarto do garoto os policiais militares encontraram a prova do crime:

– 67 pedras beges fedorentas,

– um tablete de maconha,

– uma balança de precisão e,

– minúsculo sacos plásticos para acondicionar drogas.

E tinha mais… No saco, desculpe, na cueca do garoto havia mais sete pedras bege – ainda mais –  fedorentas! Antes de tropeçar na pedra e cair nos braços da lei, Pedrinho já havia vendido três barangas da droga por R$ 30.

Além da droga, o jovem traficante mantinha em seu quarto um simulacro de pistola. O que será que ele pretendia fazer com a arma de brinquedo!?

Com a casa derrubada, Pedro Henrique Duarte Lemos, o Pedrinho, que completou 18 aninhos no mês de janeiro, contou que costuma buscar as drogas no velho Aterrado em Pouso Alegre para revender a dez reais a baranga no Vale da Eletrônica! Só não disse o nome do seu fornecedor… Mas nós já sabemos! É o João Tapira!

Pedrinho é o mais jovem traficante de Santa Rita do Sapucaí a assinar o 33 este ano e mudar-se para o Hotel Recanto das Margaridas!